Um Estudo – João Capítulo 14, verso 1

Um Estudo – João Capítulo 14, verso 1

­Um Estudo – João Capítulo 14, verso 1

Palavras atribuídas ao Senhor Jesus escritas na Bíblia

Verso 1 – Não se turbe o vosso coração; credes em Deus, crede também em mim.

Está muito claro no texto desse versículo, que Deus é Um, e Jesus é outro. Jesus é um homem iluminado que dá uma mensagem relativa a Deus. (Cristos, do grego = o iluminado).

Essas perspectivas iniciais mudam de acordo com os interesses dos líderes dos Sistemas Organizados de forma Arbitrária, que se propõem a divulgar os Evangelhos, e dependem de adeptos, que sejam sujeitos às normas princípios e rituais e contribuintes para sua sobrevivência.

Todas as Grandes Religiões, assim denominadas pelo número de adeptos, sempre oferecem um Deus abstrato para todas as pessoas que têm pensamento predominantemente do tipo abstrato, e que são apenas 5% em qualquer cultura.

Todas as Grandes Religiões Oferecem um ou mais Homens divinos, ou, divinizados, para as pessoas que pensam de modo concreto, direto e objetivo. Estes são no máximo 25% em qualquer cultura.

Todas as grandes Religiões Oferecem miríades de deuses, ou, anjos e seres afins, bem como centenas de santos, para as pessoas imaturas e emotivas, que pensam predominantemente de modo fantasioso, e são pelo menos 70% em qualquer cultura.

Já assisti sermões onde um domingo o pregador fala a respeito de Deus, depois de seu filho amado, e depois dos anjos e seres afins. No Domingo seguinte o mesmo pregador, começa falando do Senhor Jesus, depois dos anjos e finalmente respeito de Deus, em um terceiro domingo ouvi que falava dos homens e seus problemas, dos mensageiros angelicais, depois de Deus, e finalmente a respeito do sacrifício de seu Filho amado. O conteúdo era praticamente o mesmo, mas mudava a maneira de se expressar. No entanto deixou claro que Deus é Um o senhor Jesus é outro.

Cresci, desde menino, freqüentando uma igreja Cristã, da denominação Batista. Enquanto era menino sempre ouvi dizerem que Deus era Deus. Jesus era um homem nascido de mulher, mas filho de Deus. Depois de adulto, vi que mudaram a concepção, como se fosse uma afirmação para valorizar o cristianismo, dizendo que o senhor Jesus Homem, era Deus encarnado. Ocasionalmente li a estória de Horus (Mito egípcio), e achei curiosas semelhanças nas origens e nos acontecimentos das vidas, do Mito Horus e do Senhor Jesus..

Certa vez um pastor batista me advertiu de que eu cometia uma heresia ao apresentar a minha concepção de Deus. Respondi que sendo Deus Incognoscível, Inescrutável, e Insondável, ninguém é dono da verdade, e sendo um dos princípios da Crença Batista o direito à livre interpretação, cada um pensa de acordo com a revelação que tem. A coisa não parou aí, mas o restante não é assunto para este artigo. Se um pensador modifica a perspectiva de um preceptor religioso, pode haver reação com taxação de Herege. A questão é que se uns são Ortodoxos em relação a uma religião, passam a serem Hereges em relação a outras 400 religiões. Assim sendo julgar alguém herege, é relativo e banal.

Sempre me ensinaram que a Bíblia traz um conjunto de verdades. Lendo o Salmo 82, verso seis, encontramos: “Eu disse, Vós sois deuses, e vós outros são todos filhos do Altíssimo.” 7- “Todavia como homens morrereis, e caireis como qualquer dos príncipes.”

Assim sendo, percebo que todos são filhos do Altíssimo, mas alguns se destacam como pequenos deuses. Se o que entendi é uma verdade relativa, onde está a diferença que deve haver entre todos os que são filhos do Altíssimo, e os que, sendo filhos do Altíssimo, são pequenos deuses.

Comecei por pensar no que se distinguia Jesus dos demais. Ele, de início, para impor a sua autoridade, como pequeno deus, demonstrou um “Poder que vinha de Dentro”, fazendo os denominados Milagres citados nas Escrituras Sagradas. E disse: “Isto eu faço para que creiam em mim”, pois Jesus tinha uma mensagem para passar, Os Evangelhos, ou, As Boas Novas, que reformulariam o Judaísmo, e para isso saiu às ruas na Judéia. A demonstração de Poder fazer milagres lhe dava a autoridade necessária em sua época.

A Lei Áurea dos Evangelhos é: “Ama a Deus sobre todas as coisas e ao próximo como a ti mesmo”. Curiosamente coincide com o código da Huna, existente na tradição polinésia, e no Havaí, sendo um Código conhecido há mais do que 11.000 anos:- “Tenha sempre respeito pela Divindade, a divindade habita em vós, e que haja sempre amor compartilhado entre os Homens”, como é no Código da Huna.

O Apóstolo Paulo em sua 1ª Epístola aos de Corinto, Capítulo 3 e verso 16, afirma:- ”Não sabeis vós que sois o templo de Deus, e que o Espírito de Deus habita em vós?”.

A afirmação de Paulo também está de acordo com o código Huna, por duas vezes, pois, no Capítulo 6, verso 19, afirma:- “Ou não sabeis que o nosso corpo é o Templo do Espírito Santo, que habita em vós, proveniente de Deus, e que não sois de vós mesmos?”.

Concluindo:- Se assim for, O Espírito Santo de Deus, a partir da hora do nascimento, ou antes, interage com o Cérebro, e dá início à estruturação de Nossa Consciência, que se desenvolve, de início com os reflexos inatos e depois somando os reflexos condicionados, as emoções, as percepções intuitivas, a dedução, a imaginação, as induções, o raciocínio lógico dedutivo-indutivo, o senso de razoabilidade. Finalmente o sentido da probabilidade de ser, com julgamento do que seja provável pouco provável e improvável o que caracteriza o BOM SENSO. Assim sendo, somos todos indivíduos, mas com o Espírito Santo de Deus encarnado, fazendo parte de nossa Consciência, nisso somos todos, UM. Com o Espírito Santo de Deus Manifesto, ou não manifesto, depende do Homem, ou, da estrutura do tipo de cérebro, com ou não desenvolvimento Mental e Psíquico.

Algumas pessoas descobrem, naturalmente, que podem integrar o consciente com o subconsciente e depois os dois, que juntos constituem o Ego, que com o Superconsciente,  faz a ligação com o Cosmo. São os pequenos deuses por estarem integrados com o Pai. Os demais filhos do Altíssimo devem aprender como chegar a isso.

O Senhor Jesus veio ensinar que é possível buscar essa ligação com o Pai através da Oração: “Vivei em Oração”, ou seja, vivei em Introspecção. Depois completa: “Orai pelos vossos inimigos”, porquanto quem o faz, tem a paz interior necessária para a estabilidade na Introspecção profunda, e ganha de Paz Profunda! Essa era a fórmula do Senhor Jesus para comunicação em sua época, para o povo Judeu entender, dentro das bitolas do Judaísmo. A Introspecção Profunda com reflexão, ou, meditação dinâmica, são apenas rótulos de um mesmo processo de ação da Consciência interagindo com a estrutura neurológica do cérebro durante a introspecção.

Em João 14: 12 temos como palavras de Jesus:- “Na verdade, na verdade vos digo que aquele que crê em mim também fará as obras que eu faço e as fará maiores do que estas, porque eu vou para meu Pai.” O mesmo que dizer que todos que acreditam em seus ensinamentos terão “o Poder que vem de Dentro”. Que assim seja!

Assim sendo, pequeno deus, é todo filho do Altíssimo, que tendo se desenvolvido no Planeta Terra, nasce sabendo, ou, aprende, que por focalização mental adequada, que o Homem pode ter a percepção de quatro níveis de Consciência: 1- O normal a todos que o coloca em contato com o meio ambiente e permite que se relacione com tudo e todos. 2- Um nível de enfoque mental que permite que mobilize energia com intenção e obtêm resultados eficientes, de modo objetivo e subjetivo. 3- Um nível de enfoque mental que permite a comunicação entre cérebros, telepatia, vidência, clarividência. 4- um nível de desenvolvimento apurado que permite todos os tipos de enfoque mental.

Visando ensinar a existência de um nível Interior Consciente, o Senhor Jesus ensinou dois níveis de doutrina: 1- Instruções por parábolas, o Sermão da Montanha, instruções avulsas a todos que o quiseram ouvir, O Leite. 2- Instruções reservadas aos discípulos, que resultou que alguns deles saíram fazendo “milagres”, e se comportando como “pequenos deuses” também, O ALIMENTO SÒLIDO.

Os discípulos Não escreveram as instruções reservadas? Escreveram mas não foram editadas nos Cânones da Vulgata Latina? Não foram encontradas em Manuscritos Apócrifos? Como fazer?

Temos uma pista. A Lei Áurea dos Evangelhos, citada pelo Senhor Jesus, é um simulacro do Código da Huna (11.000 a. C.). O Senhor Jesus é citado em Hebreus como O Sumo Sacerdote da Ordem de Melquizedeque. Melquizedeque não tinha origem na Genealogia judaica, mas certamente, como Homem, tinha pai e mãe de outra genealogia, provavelmente polinésia, ou, Hindu, e pelas evidências devia conhecer o Código da Huna e os meios de desenvolver habilidades psíquicas, na época conhecidas como Magia, e depois rotuladas de Milagres. Depois de sua morte, seus discípulos fundaram uma Ordem, a Ordem de Melquizedeque e difundiram seus Conhecimentos.

O Senhor Jesus frequentou a Ordem de Melquizedeque entre os 12 e os 30 anos de idade, pois na Bíblia não há nada que contrarie isso. Tudo dentro de uma lógica razoável e sem fantasias. Aos 30 anos o senhor Jesus era Sumo Sacerdote da Ordem de Melquizedeque como constam várias vezes no Livro de Hebreus.

Polinésios, e Havaianos detinham o conhecimento de como desenvolver Habilidades Psíquicas desde antes do que 11.000 a. C. Os Havaianos tinham habilidades psíquicas, mais evidentes antes da invasão dos Norte Americanos, e da imposição de sua cultura política e religiosa. Seria interessante que lessem o livro “Milagres da Ciência Secreta” de Max Freedon Long, psicólogo e ex-pastor Cristão da seita de denominação Batista.

O conhecimento de como desenvolver Habilidades Psíquicas, pode ter sido difundido antes de 4.000 a. C. pela Ásia, Índia, no Oriente Médio e resultaram nas práticas dos exercícios da Yoga, Budismo (600 a. C.), Taoismo, e depois Cristianismo e Sufismo antes do Islamismo (600 d. C.) etc. e que foram convertidos em Religião.

A Lei Áurea dos Evangelhos é: “Ama a Deus sobre todas as coisas e ao próximo como a ti mesmo”. Curiosamente coincide com o código da Huna, existente na tradição polinésia, e no Havaí, sendo um Código conhecido há mais do que 11.000 anos:- “Tenha sempre respeito pela Divindade, à divindade habita em vós, e que haja sempre amor compartilhado entre os Homens”, do Código da Huna.

Repito: O Apóstolo Paulo em sua 1ª Epístola aos de Corinto, Capítulo 3 e verso 16, afirma:- ”Não sabeis vós que sois o templo de Deus, e que o Espírito de Deus habita em vós?”. A afirmação de Paulo também está de acordo com o código Huna, por duas vezes, pois, no Capítulo 6, verso 19, afirma:- “Ou não sabeis que o nosso corpo é o Templo do Espírito Santo, que habita em vós, proveniente de Deus, e que não sois de vós mesmos?”.

Encontramos também pessoas com Habilidades Psíquicas, sempre confundidas com Espiritualidade, em todas as culturas, independentemente de Religião, ou, do tipo de religião, ou de psicorreligiosidade.

Certamente os conhecimentos da psicotecnologia dos Orientais impressionaram os psicólogos Humanistas, no fim do século XX, e passaram a aceitar sua validade como benéficas, no mínimo como fator antisstress. Isso foi base para psicotecnologia mais avançadas e cientificamente dosadas no Ocidente. Quer experimentar?

Sem envolvimento místico nem filosófico, mas só a prática eficiente, geram os mesmos resultados práticos que foram uma base para originar todas as filosofias, místicas e religiões.

Para Encerrar, Iº aos de Coríntios, 2: 9 – “As coisas que o olho não viu, e o ouvido não ouviu, e não subiram ao coração do Homem, são as que Deus preparou para os que o Amam.” 10 – “Mas Deus no-las revelou pelo seu Espírito; porque o Espírito penetra todas as coisas, ainda as profundezas de Deus.”. AMEM.

Deus escolhe a quem deve iluminar, independentemente de religião ou seita religiosa. AMEM.

Leia cuidadosamente todo Capítulo 2, até o final, meditando em cada verso. Aprenda a mudar perspectivas e encontre o caminho das práticas eficientes.

Aceite a ideia de que sabendo as instruções que a Mente de Jesus deixou nos Evangelhos, e fazendo as práticas adequadas, você pode alcançar os quatro níveis de Consciência relativos aos Homens, e que justificam a existência das habilidades psíquicas.

Alberto Barbosa Pinto Dias, Bacharel, Licenciado, Especialista, USP. 1955.

apresentacao

Postado em : Reflexões

Deixe sua mensagem

Seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios são marcados *

*

.