Um dia depois do Natal

Um dia depois do Natal

Um dia depois do Natal

Hoje, 26/12/2016, acordei às oito da manhã e, ainda relaxado, pensei no que se passou nos dias 24 e 25 deste dezembro. Em dado momento, naturalmente, me veio à consciência a história do menino Jesus, o Egito, a volta à Jerusalém com o episódio dos doutores da Lei, sua ida ao Norte, imaginando como chegou a Sumo Sacerdote da Ordem de Melquisedeque, e o início de sua missão impressionando as pessoas com sua atuação psíquica, que pode ser considerada espiritual, pois a palavra Espírito se refere à Energia que procede da Fonte criadora do Universo.

Recordei o Salmo 82: 6 que diz: “Eu disse sois deuses, e vós outros todos são filhos do Altíssimo”, evidentemente referindo-se a que todos são filhos de Deus, mas que alguns são dotados de poder, e são pequenos deuses devido à possibilidade de ligação com o Espírito Santo de Deus. Também 82: 7, onde está claro que todos os filhos do Deus Altíssimo, na forma de Homens, morrerão mesmo os que são pequenos deuses.

Podemos entender que os pequenos deuses, são as pessoas, homens ou mulheres, Consciências, que por enfoque mental adequado, podem mover uma forma de Energia (quântica?) e produzir resultados objetivos e ou subjetivos, de acordo com sua intenção.

A confirmação dessa versão está em João 14: 12, onde o Senhor Jesus declara: “Na verdade, na verdade vos digo que aquele que crê em mim (nos meus ensinamentos), fará as coisas que eu faço, e fará coisas maiores do que estas, porque eu vou para o meu Pai”.

As razões de esse poder, além de estar explícita no Salmo 82, estão nos dizeres do Senhor Jesus, conforme parágrafo anterior, e depois nos dizeres de Paulo em 1ª Epístola aos de Corinto, 2: 4; 3: 16 e 6: 19.

No entanto, o Evangelho de João, em seu Capítulo 10, mostrou claramente o que aconteceu com o Senhor Jesus, quando revelou o que um pequeno deus pode fazer diante de uma Congregação de “Justos”, que acham que já sabem tudo a respeito de espiritualidade. (Leiam). O Senhor Jesus justifica-se a eles, conforme está em João 10: 34 até 38. No entanto prudentemente se retirou diante de quem ainda segurava pedras.

Como a memória é como um cacho de uvas, ligando uma coisa à outra, lembrei-me de um fato. Visitava minha mãe, quando ela me disse: “Sabe que a Jane Cabral está internada para operar um tumor nos intestino grosso do lado esquerdo?”. Enquanto ela me dizia: “Ela está muito fraca e estão cuidando para poder ser operada”, surgiu na parede do quarto uma transparência colorida de um quadril feminino, como um slide, que mostrava nitidamente a trompa esquerda com um feto pequeno morto e já em decomposição. Imediatamente eu disse à minha mãe:- Vou avisar o Dr. Clovis do que se trata. Relatei à minha mãe o que eu vi. Ela reagiu: “Não vá passar ridículo, os médicos examinaram inclusive com R-X.”. Eu disse:- Deus decide. Abri a Bíblia a esmo e toquei com o indicador um ponto na página à direita e li João 15: 7, que dizia: “Se vós estiverdes em mim e as minhas palavras estiverem em vós, tudo o que quiserdes vos será feito.”

Fui ao hospital de Osasco do jeito que eu estava, tênis, camisa tipo esporte e blusão de xantungue. Aproximei-me da atendente e disse que queria falar com dona Jane Cabral. Respondeu-me: “A hora de visitas terminou, o senhor não pode ir à enfermaria”, e olhou para a mesa, mas em seguida me olhou e disse: “O Senhor é reverendo e pode entrar”. Não sei o que ela viu, mas então subi e falei com a senhora Jane, dizendo o que eu havia visto, e disse a ela que queria orar com imposição de mãos, para que vazasse tudo pelas vias naturais e não fosse operada. Ela concordou, e então oramos. Logo senti por segundos como se fosse uma convulsão que agitou meu corpo, como choque elétrico. Abri os olhos e disse à dona Jane:- acho que Deus nos ouviu. Prepare-se para vazar tudo pelas vias naturais. Despedi-me e saí. Depois soube que tudo aconteceu como previsto durante a noite e ela não foi operada.

Anos depois eu soube que a reação na Congregação dos Justos atuais foram comentários negativos pelas costas, e a proibição de se falar nesse assunto. Então entendi porque o Espírito Santo de Deus me afastou desse meio.

 

Alberto Barbosa Pinto Dias, Bacharel em História Natural (todas as Disciplinas Biológicas e Geológicas), Licenciado, Especialista em Fisiologia (Bioenergética e Órgãos dos Sentidos) USP, 1955.
Qualquer questionamento sempre será bem recebido e respondido.

Postado em : Reflexões

Deixe sua mensagem

Seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios são marcados *

*

.