Teoria 6 – Desenvolvimento Mental

Teoria 6 – Desenvolvimento Mental

Desenvolvimento Mental

Considerando que somos uma Consciência cuja Essência é uma forma de energia denominada Espírito. Considerando que essa Essência Espírito desenvolve uma Consciência neste Planeta Terra quando associada a um cérebro, e Considerando que a Consciência age no cérebro através de uma alidade denominada Mente, fazendo enfoques Mentais adequados, essa adequação pode ter limites, não por parte da Consciência, mas inicialmente por parte do Cérebro.

Todo nosso organismo se desenvolve em função do Genoma, coleção de moléculas de DNA recebida como herança genética. Todo Genoma é fruto de uma recombinação gênica, primeiro devida à troca de pedaços de DNA que há durante a Meiose, na formação dos gametas, depois no tipo de combinação que resulta na junção de gametas de diferentes parentais. Assim sendo dificilmente dois genomas são iguais, portanto, dificilmente as estruturas de todos os órgãos são exatamente iguais, diferindo também em detalhes a fisiologia dos mesmos. O que está mais evidente são as diferenças de fisionomias e suas expressões facial que podem refletir um estado mental diferente em diferentes ocasiões.

Consideremos então que os cérebros diferem na estrutura e na fisiologia. Tomemos como detalhe que um cérebro deve construir Circuitos Neurológicos em função da associação dos neurônios funcionais. Torna-se evidente que alguns circuitos neurológicos funcionais são mais comuns a todos e são básicos, e outros circuitos são desenvolvidos com atividades que levam o indivíduo a ter habilidades físicas diferenciadas, e também habilidades psíquicas idem.

Habilidades físicas e habilidades psíquicas dependem de enfoques mentais adequados. Há pessoas que tem dificuldades em fazer enfoques mentais adequados por ter menos habilidade em imaginação criativa. Se há pessoas que diferem no nível de imaginação criativa, então há pessoas que diferem no nível de percepção, pois só percebemos aquilo que imaginamos e acreditamos ser possível de perceber. Se formos capazes de perceber que há pessoas que tem mais facilidade do que outras para desenvolver habilidades físicas, também podemos perceber que há pessoas que têm mais facilidade do que outras para desenvolver habilidades psíquicas, pois ambas dependem de enfoques mentais adequados e imaginação criativa.

Também é fácil perceber, que mesmo fazendo enfoques mentais adequados, e ação psíquica motora adequada, muitas pessoas têm dificuldades motoras por problemas físicos nos circuitos neurológicos do corpo, os quais podem ser meros bloqueios inflamatórios, ou, bloqueios por interrupção física na estrutura, ou, na fisiologia dos mediadores químicos neurológicos. O mesmo se pode pensar em relação aos circuitos neurológicos que devem entrar em ação nas atividades psíquicas. Alguns nascem com os circuitos neurológicos adequados para atividades físicas e outros para atividades psíquicas. Outros ainda com ambas as modalidades.

Considerando que pesquisas recentes concluíram que o esforço continuado de exercícios pode criar circuitos neurológicos para atividades físicas, o mesmo se verifica para o desenvolvimento de atividades psíquicas, e a isso se denomina neuroplastia.

Em outras palavras, aquilo que a Consciência cria em nível de imaginação, e repete com vontade de alcançar, é possível alcançar, mas as pessoas diferem no tempo para a neuroplastia e na eficácia do uso dos novos circuitos.

Portanto, os níveis de Consciência, que resultam da Consciência atuante por Enfoque Mental adequado, em diferentes níveis de freqüência vibratória, que caracterize ação em diferentes Dimensões, são possíveis, seja de modo natural como Dom, seja por exercícios adequados, denominados de Psicotecnologia na atualidade.

Podemos considerar que os exercícios de Yoga, ou, outros desenvolvidos pelos Orientais, baseados em Crenças não limitantes, são uma psicotecnologia que tem eficiência ao longo de algum tempo, às vezes anos de exercícios com instrução de moral e ética associadas. Os ocidentais adotaram Crenças Limitantes associadas à Religião que ainda funcionam como um Sistema Organizado de forma arbitrária que impedem esse desenvolvimento, a não ser entre os que nascem com o Dom, e que são no máximo 3% de uma população, e misticamente podem ser considerados espiritualizados.

Os casos são raros, mas sei de uma senhora na Igreja Assembleia de Deus, em cidade do interior do ESP, cheia de restrições de conduta, que mediante o exercício da oração, e do desenvolvimento de uma bondade muito grande, se tornou uma vidente extraordinária. Com certeza é uma dos 3% de uma população de qualquer cultura que tem o potencial genético para formação dos circuitos neurológicos adequados para isso mediante orações em introspecção.

Com a Renascença, e depois com o desenvolvimento da Filosofia Pura, e da experimentação científica a partir da postura de Francis Bacon, como o tempo a Ciência Ocidental desenvolveu meios de se desenvolver uma Psicotecnologia baseada em exercícios cientificamente dosados que proporcionam a integração do Consciente com o Subconsciente, e depois com o Superconsciente, facilitando assim o desenvolvimento mental e psíquico de modo isento de místicas, mas que pode e deve ser associado àos princípios de moral e ética. No entanto, isso é recente, e data de 1966.

Sumário Retrospectivo:- Sabe-se pela tradição oral que há mais do que 11.000 anos havia pessoas que mostravam habilidades psíquicas no Oriente, nas ilhas do Pacífico. Há mais do que 6.000 por tradição escrita no Norte da África, no Egito. Há mais do que 4.000 a. C. pelos Sutras e pela Yoga na Índia. Há 2.800 a. C. pelas escrituras no Egito, e relativo à 2.700 anos no Gênesis Bíblico, e depois disso em várias escrituras na Bíblia relativas a ação de “profetas” como Elias e Eliseu etc. Há 600 a.C. relativo à Buda, Nos anos Domine nos Evangelhos, escritos relativos aos grandes feitos do Mestre Jesus.

Estudos modernos constatam que há pessoas que apresentam habilidades psíquicas em todas as culturas de todos os Continentes, associadas ou não à psicoreligiosidade, inclusive em pessoas que sequer acreditam em Deus.

Podemos concluir que o grau de habilidade psíquica é uma condição natural evolutiva. As pesquisas feitas concluíram que o tipo sanguíneo O, que é encontrado na maioria da população é o mais antigo na linhagem humana. O Tipo A é mutante do O; O tipo B é o mutante mais recente, e procede do A.

O sangue tipo AB é resultante do cruzamento de pessoas do tipo A, com pessoas do tipo B. O Senhor Jesus tinha sangue tipo AB, segundo o Vaticano. Reflitam bem a esse respeito. Curiosamente os mutantes com sangue tipo B têm maior facilidade para Telepatia Vidência e Clarividência de modo natural. Os de tipo A tem facilidade de projeção de energia para ajudar pessoas. AB são curadores e telepatas quando aprendem.  Devemos considerar que há pessoas de sangue tipo O que surpreendem.

 A psicotecnologia ocidental demonstra isso.

Alberto Barbosa Pinto Dias, Bacharel em História Natural (todas as Disciplinas Biológicas e Geológicas), Licenciado, Especialista em Fisiologia (Bioenergética e Órgãos dos Sentidos) USP, 1955.
Qualquer questionamento sempre será bem recebido e respondido.

Postado em : Consciência, desenvolvimento mental e circuitos neurológicos

Deixe sua mensagem

Seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios são marcados *

*

.