Teoria 5 – Saindo do Corpo

Teoria 5 – Saindo do Corpo

Saindo do Corpo

Tenho a certeza de que sair do corpo é uma experiência que tem por finalidade instruir a Consciência aumentando a qualidade de uma Alma. Como já foi dito antes posso desdobrar, e então posso entender que os aspectos da Consciência são independentes, o que confirma o conceito de que há uma Trindade que atua no nível do psiquismo do Homem. Isso explica a possibilidade de haver uma dupla personalidade nos casos de dissociação do Self com atividade física.

Uma maneira de me projetar no espaço e exercer influência à distância, é a de projetar os pensamentos de modo Consciente sem sair do corpo. Seria uma Projeção Sensorial Efetiva? Tudo o que se faz e se sente fica registrado no Banco de memória.

Outra maneira é a de sair do corpo com o Eu Médio (Consciente), integrado com o Eu Básico e seu campo de energia próprio, mantendo o conjunto ligado ao corpo por um cordão de energia que os antigos denominavam de Fio AKA. Durante a nossa “viajem Astral” Consciente, tudo o que a Consciência (Eu Médio) registra, passa ao Banco de Memória Físico (Subconsciente), de modo que ao voltar para o corpo há lembrança de tudo o que se passou fora do corpo.

Outra maneira pela qual é possível sair do corpo é programar o cérebro mediante pensamento imaginário, adormecer, e depois quem sai do corpo é o Eu Básico com seu campo de energia, executa a tarefa programada e volta. Como o Eu Médio não sai integrado com o Eu Básico, não há “Consciência” do que ocorreu durante a viajem Astral. Passei por isso, mas soube do que houve por informação de terceiros.

Uma Alma Salva pela Integração com Integridade, com a morte do corpo físico, os campos de energia integrados em vida, permanecem integrados depois da morte, e se há volta para outra vida, ao se reencarnar, o indivíduo pode manifestar uma facilitação para desenvolver a “nova Consciência” somando informações com os conhecimentos anteriores. Neste caso pode haver a Conscientização de vidas anteriores.

Quando o físico morre sem que haja integração do Ego com o Eu Superior, pode haver a permanência do Ego, que sem rumo, fica como que perdido no espaço em busca de apoio nos vivos.

As saídas do corpo de modo consciente para as ações intencionadas podem consumir energia vital, de modo que, quando menos jovem, ou, mais envelhecido o corpo físico que dá suporte para as ações psíquicas com a energia vital, desperta e impede a saída. Ao iniciar a saída o coração bate muito lento, e tendo deficiência por stress, há fortes extrassístoles e a pessoa sai do estado alterado de Consciência em que se encontrava.

Assim sendo, já estando um tanto cansado de dar aulas em três períodos, seis dias por semana, na virada dos 56 anos (8×7 períodos de sete anos), deixei de sair do corpo de modo integrado, e passei a fazer contatos apenas de modo mental, consciente e incorporado.

 

Alberto Barbosa Pinto Dias, Bacharel em História Natural (todas as Disciplinas Biológicas e Geológicas), Licenciado, Especialista em Fisiologia (Bioenergética e Órgãos dos Sentidos) USP, 1955.
Qualquer questionamento sempre será bem recebido e respondido.

Postado em : Consciência, desenvolvimento mental e circuitos neurológicos

1 Comentário


    • Ana Claudia Grecchi Münchow
    • agosto 3, 2016
    • Responder
    • Cancelar resposta

    Como sempre, uma ótima leitura, com pontos para reflexão que são cruciais ao desenvolvimento interpessoal!!! Gratidão por compartilhar conosco esta obra atemporal. Ana.

Deixe sua mensagem

Seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios são marcados *

*

.