Relaxamento e Concentração

Relaxamento e Concentração

Relaxamento e Concentração

 

          É normal que qualquer músculo de nosso corpo que não esteja sendo usado, mantenha um estado de prontidão conhecido como tônus muscular. O estado do músculo que apresenta tônus difere do estado apresentado pelo músculo que está em relaxamento total, observado em pessoas que desmaiam, pois, neste caso o músculo passa a não ter tônus nenhum. O tônus muscular permite que a pessoa se mantenha em certa posição e não desabe como no desmaio.

          Quando a pessoa deseja relaxar no sentido de quem quer se descontrair, o relaxamento difere dos estados acima mencionados, pois a musculatura apresenta tônus, porém, por autocontrole, a pessoa mantém um tônus igual para todos os músculos antagônicos. Estes músculos são todos aqueles que fazem os movimentos inversos como o bíceps (dobra o braço) e o tríceps (estende o braço).

          Para manter todos os músculos em isotonia, de modo que nenhum se contraia mais do que o outro, é preciso manter um estado de atenção para a postura. Dessa maneira estaremos processando um domínio sobre o físico e ao mesmo tempo diminuímos os enfoques sensoriais externos e desenvolvemos a capacidade de concentração com enfoques mentais internos (introspectivos).

          Quando conseguimos isotonia completa, os proprioceptores (sensores tácteis dos tendões dos músculos) deixam de enviar sensações para o cérebro e é possível ter a sensação de que braços e pernas estão “pesados”, para alguns, para depois sentir como se não tivéssemos corpo, sentirmo-nos leves. Aí o “relaxamento” é completo.

          É como se as Áreas motoras e sensoriais relativas à musculatura diminuíssem a atividade, ou mesmo deixassem de funcionar. Para algumas pessoas é possível uma dissociação das ligações entre os neurônios na altura do Sistema Reticular no Bulbo. Se isso acontece a sensação de que não temos corpo é completa.

          Fechando-se os olhos facilita-se a diminuição da atividade da área visual no cérebro. Se no ambiente não há odores fortes e desagradáveis, nem estimulamos a gustação. Mantendo-se o corpo em posição cômoda e agradável conseguimos desviar a nossa atenção dos nossos sentidos. Assim, as atividades das áreas sensoriais do cérebro podem ficar reduzidas somente à audição. Com a atenção voltada para uma única fonte de som facilitamos a concentração de modo introspectivo, o que inclusive pode facilitar a vida de estudantes de todas as idades.

          Dominados os movimentos pelo não movimento, mantida a isotonia na musculatura, dominados os sentidos que deixam de ser atuantes, não sentimos o corpo e então podemos nos concentrar em nossos pensamentos.

          Nesse estado de introspecção os pensamentos têm uma energia considerável e o registro é pronto e durável melhorando a memorização, como pode ocorrer em crianças e em adultos em estado pré-racional ou ainda em estado hipnoidal. Então, deste modo, são favorecidas a lembrança, a conscientização de fatos passados e a implantação de pensamentos novos.

          Sem atingirmos esse estágio e livres de stress, não há progresso no autocontrole e no desenvolvimento mental e psíquico.

Download do arquivo de áudio do Relaxamento

Alberto Barbosa Pinto Dias, Bacharel em História Natural (todas as Disciplinas Biológicas e Geológicas), Licenciado, Especialista. USP, 1955.

Qualquer questionamento sempre será bem recebido e respondido.

[vc_row full_width="" parallax="" parallax_image=""][vc_column width="1/1"][vc_facebook type="standard"][/vc_column][/vc_row]

Postado em : Relaxamento

Deixe sua mensagem

Seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios são marcados *

*

.