Reformulando Pensamentos em 28/12/16

Reformulando Pensamentos em 28/12/16

Reformulando Pensamentos em 28/12/ 16

Estou pensando no que pode ser constatado como fatos, sem críticas nem condenações, e que resulte em: Raciocínio Linear, lógico, razoável e provável.

Tudo é relativo. Toda Verdade é relativa a algum referencial, e o Homem só pensa, fazendo comparações na maioria das vezes.

Toda Cultura é relativa ao nível médio de informações coletivas locais, e ou regionais. A transferência de dados e informações confere Cultura. Em uma coletividade há indivíduos mais cultos, mais informados, e outros menos cultos, menos informados.

A cultura depende do nível de informações adquirido e conscientizado. Há diferentes Níveis de Conscientização nos indivíduos que recebem informações em uma Cultura, e pode haver diferentes níveis de informação entre diferentes Culturas.

Uma informação relativa a um mesmo fato pode ser apresentada com raciocínios que são baseados em diferentes perspectivas, o que resulta em diferentes níveis de entendimentos, diferentes níveis de compreensão, diferentes rumos de percepção e diferentes níveis de Conscientização.

Esses diferentes níveis de Conscientização são devidos ao fato de que a tomada de Consciência depende do nível de Percepção, e o nível de Percepção depende do nível da capacidade de Imaginação. Esta depende de Concentração nos pontos de referência subjetivos formados durante a Introspecção.

A formação dos pontos de referência subjetivos depende da capacidade de Atenção. A natureza psicológica da Atenção é a do indivíduo saber voltar todos os sentidos físicos e objetivos ao objeto de interesse, e depois, manter todas as imagens, e ou sons, e ou impressões táteis, no nível subjetivo a serem usados na Imaginação posterior.

Em uma Cultura, os dados e informações que são passados de um indivíduo ao outro, na falta de dados científicos que resultem da experiência comprovatória, podem ser pressuposições, e suposições baseadas em pressuposições, podendo ainda ser suposições originais, mas todas são apenas suposições quando carecem de comprovação.

Toda suposição é uma tentativa de explicação, de esclarecimento, relativa a um fato, acontecimento natural ou provocado, e pode ser denominada de Hipótese. Assim sendo, com a pressuposição e as suposições carecendo de comprovação, o Nível de Conhecimento de uma coletividade Cultural é relativo ao nível de Comprovação Vigente.

O Conhecimento é diferente de Cultura, pois o Conhecimento é o que resulta como pensamentos relativos ao resultado de experiências eficientes na comprovação dos fatos.

Todas as Crenças são ideias e pensamentos tomados como verdades, sem que haja nenhuma comprovação.

As Opiniões que são proferidas tão comumente, e que são aceitas como verdade são Crenças fracas pela inconsistência, principalmente as devidas às avaliações subjetivas e pessoais no julgamento da atitude de terceiros.

Um indivíduo avisado deve conferir em primeiro lugar a lógica de uma informação, depois a razoabilidade, em seguida à possibilidade de ser provável, pouco provável, e mesmo improvável.

Uma criança até sete anos apenas faz deduções, e tem dificuldade em crítica analítica. Aprende a lógica e a razoabilidade em uma boa escola média no final do primeiro Grau (nível de ginásio). A possibilidade de ser provável aprende no segundo ciclo de um bom Colégio (clássico ou científico).

Os analfabetos, e os analfabetos funcionais (Homem Natural), apenas raciocinam em função da análise crítica ouvida de terceiros (Homem carnal), que desenvolveram o pensamento direto concreto e objetivo. Ambos têm dificuldade de entender o que além de ser direto, concreto e objetivo, lida com abstrações. Todos ainda têm dificuldades de entender o Homem Espiritual, que além de tudo, tem as experiências Mentais eficientes no nível da Energia Psíquica.

É claro que os autodidatas esforçados chegam lá pela prática da necessidade de trabalho precoce, que exija cultura para melhores rendimentos, que são os incentivos mais comuns, sem desprezar os excepcionais pela simples vontade de saber mais em algum ramo da cultura, e ou do conhecimento.

Há crenças que são resultantes de suposições em cima de pressuposições, que são arraigadas pela tradição em uma Cultura, e perigosas na medida em que sejam Crenças Limitantes em relação à Conscientização, e que sirvam para converter indivíduos em sujeitos, contribuintes, e ainda mais em suicidas, ou, em assassinos, em nome de uma Crença associada à Fé. Estas resultam em convicções, que instaladas em cabeças de ignorantes, onde não há cultura, nem conhecimento, resultam em Fanáticos.

A Política social em todos os ramos, e a religiosa em todas as religiões e seitas dá origem ao poder das hierarquias, e estas ao corporativismo, do qual podem vir os diferentes tipos de Máfia, desde as quadrilhas até aos bandos que podem ter até 200 indivíduos, ou mais, comprometidos.

Ao que me parece, o Senhor Jesus, se foi enviado por Deus, o foi para reformular a religião de um povo, cuja tradição trazia uma Crença Básica, segundo a qual, toda uma geração foi escolhida por Deus.

Segundo as ações do senhor Jesus no Templo, contra a pecúnia dos sacrifícios obrigatórios, gerenciados por uma casta de Sacerdotes, e a recomendação de se orar em Secreto ao Pai, fica claro a não necessidade de se orar em Templos, abolindo, indiretamente, Sacerdotes e as Sinagogas, bem como as tradições da Lei relativa aos dízimos, o que certamente ocasionou sua morte na cruz.

Mais curiosa é a percepção de que aqueles que se associam para pregar os Evangelhos de Jesus nos dias de hoje, persistem desde a Idade Média, sob o rótulo do Cristianismo, cuja Lei Áurea repete as bases do Código da Huna, e retomaram o uso dos Templos de adoração, bem como os aspectos da Lei de Moisés relativos à cobrança de Dízimos e oferendas (ofertas alçadas), taxados sobre os sujeitos às Crenças Limitantes, tais como normas e princípios que caracterizam cada uma das Religiões Cristãs e outras, exceto, em uma seita cristã, que mantém os Templos, mas não admite sacerdotes remunerados, apenas admite preletores que tenham idade e uma experiência maior do que a da maioria dos congregados.

O código da Huna, cuja origem data de mais do que 11.000 anos, foi observado na tradição oral dos polinésios e havaianos, e certamente foi conhecido na Índia há mais do que 4.000 anos, e no Oriente Médio, aoque parece, há mais do que 2.700 anos, pois ele regulamenta a ação psíquica conhecida como Magia, depois rotulada de Milagres, na era cristã.

Se você deseja conhecer as origens de tudo o que diz respeito a psiquismo, estude a Huna, e tire as suas conclusões.

Quanto ao que se denomina Espiritualidade, avalie que pode ser o resultado da atitude de uma Consciência que se dispõe a ser Criativa e Construtiva, como se supõe que a Divindade seja (respeito à Divindade), e a ser honesta, pura, limpa, boa e positiva para com seus semelhantes (respeito aos demais filhos do Altíssimo). O Espiritual é espiritual porque mudou padrões de comportamento para melhor (moral), e resolveu viver em amor compartilhado com seus semelhantes (mudou valores éticos).

Quanto às ações psíquicas que resultem objetivamente ou subjetivamente, de acordo com as intenções de uma Consciência, podem ser naturais ou aprendidas com mais facilidade para alguns, e ou mais dificuldade para outros.

Depois, com o livre arbítrio, cada um decide se sobe ou desce do nível padrão proposto pelo Mestre Jesus nove mil anos depois da Huna ser estabelecida, como Sumo Sacerdote da Ordem de Melquisedeque (Hebreus 5 e 7), o qual viveu há 27 séculos antes de Jesus, deixando discípulos, em Salém, localidade perto de Nazaré, entre o Mediterrâneo e o Rio Jordão.

Estudando a Huna, sempre é bom se inteirar do desenvolvimento mental e psíquico dos Egípcios, que ao que parece, são contemporâneos dos Polinésios, sob o ponto de vista do desenvolvimento, ambos depois da última Era Glacial.

Os Egípcios, ao que consta, são descendentes dos Atlantes e, conheciam a Huna, pois há coincidências nas palavras chaves, como Mana e Manah, Ka como alma, Ku como corpo físico etc.

Como curiosidade, o Salmo na Bíblia, que é conhecido como Salmo de Moisés, foi encontrado escrito em hieróglifos na parede interna do túmulo de um dignitário egípcio.

Para facilitar um bom começo, podem buscar no Google, “O Olho de Hórus”, vídeo editado em mais do que 50 capítulos de 10 minutos cada um.

Para estudar a Huna busquem nos links:

Textos sobre a Huna: http://diasmind.com.br/a-huna-reflexoes-abrangentes/

Associação de Estudos da Huna: http://www.huna.org.br/

Como livro indicado de entendimento fácil: “Os Milagres da Ciência Secreta”, escrito pelo psicólogo e ex-pastor batista Max Freedon Long. Está no Google.

Como livro indicado, porém com maior profundidade, “Magia e Cura Kahuna” de Serge Kahili King, nas livrarias, +- 20,00 reais.

Não acreditem em tudo o que leem, nem em tudo o que ouvem, antes de experimentar, ter sucesso nos experimentos psíquicos, e assim ter conhecimento da sua própria verdade.

Lembrem-se do que está na 1ª Epístola de Paulo aos de Corinto, Capítulo dois, verso nove: “Mas, como está escrito: As coisas que o olho não viu e o ouvido não ouviu, e não subiram ao coração do Homem são as coisa que Deus preparou para os que O AMAM.” Verso 10: “Mas Deus no-las revelou pelo seu Espírito; porque o Espírito penetra todas as coisas, e ainda as profundezas de Deus.”

Saibam pedir e buscar onde obedeçam ao Verso quatro desse mesmo Capítulo, agindo de acordo como Padrão que o Senhor Jesus nos deixou.

Alberto Barbosa Pinto Dias, Bacharel em História Natural (todas as Disciplinas Biológicas e Geológicas), Licenciado, Especialista em Fisiologia (Bioenergética e Órgãos dos Sentidos) USP, 1955.
Qualquer questionamento sempre será bem recebido e respondido.

Postado em : Reflexões

Deixe sua mensagem

Seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios são marcados *

*

.