O Dízimo

O Dízimo

O Dízimo

A Fé é acreditar em Deus Altíssimo, por sentir que ele existe, e sentimento não se discute.

Religiosidade é mentalmente estar voltado para a ideia de que se possa estar ligado à Divindade,  Deus Altíssimo com Respeito e Amor ao Criador. Leia João 16, versos 25 até 28.

Pessoas que tem religiosidade podem conviver desde que obedeçam a padrões de conduta moral da comunidade, e valores éticos, que expressem o respeito a seus semelhantes. A isso podemos denominar de Amor Compartilhado, e assim se mantem o equilíbrio e a paz comunitária.

A partir daí lideranças de todo tipo expressam a disposição política de conduzir massas. Para manter as massas unidas em torno de si os políticos estipulam normas e princípios a serem obedecidos. Assim os políticos sociais organizam Partidos Políticos e os Políticos Religiosos Organizam Religiões.

Normas, Princípios e Rituais caracterizam cada tipo de Sistema Organizado de forma arbitrária. Estatutos complementam a normalidade das organizações e de seus funcionamentos.

As pessoas desde as mais priscas eras se agrupavam em tribos para facilitar a sobrevivência, e se  se sujeitavam às ordens de caciques e pajés, pois havia como há hoje, homens naturais, carnais e espirituais. De certa forma, hoje em dia, há organizações comunitárias que repetem o esquema.

Todos os sistemas organizados filiam indivíduos que se submetem às normas e princípios e se tornam sujeitos a elas. Os que se mantém indivíduos são considerados rebeldes, e os que não se integram são considerados marginais.

Na antiguidade, e são assuntos Bíblicos, os líderes garantiam seu sustento com recursos sugestivos do tipo:- “Agradável é ao Senhor o odor do carneiro GORDO no altar do sacrifício”. Sinceramente nunca entendi isso de Deus ser Espírito e necessitar de carneiros gordos no altar do sacrifício. Um dia, estando eu acima do peso, em um churrasco no campo, peguei um bife magro e coloquei no espeto. O churrasqueiro, muito sábio me disse: -”Troque por um gordo, senão esturrica e vira sola de sapato.”. Entendi e corrigi. Depois consegui entender o porquê do carneiro gordo no altar do sacrifício. Não é que os sacerdotes eram tão sábios quanto o churrasqueiro?

Com o passar do tempo, líderes políticos governantes inventaram os impostos e os líderes religiosos o “Dízimo”. Depois as sesmarias, pois nos sistemas organizados de forma arbitrária proliferaram as lideranças e elas precisam ser sustentadas. Óbvio, e dependendo do caso, até aceitável para os que se tornam sujeitos às normas e princípios elaborados pelo Homem, pois o Altíssimo é eternamente Incognoscível e Inescrutável.

Em função do nível de entendimento e da aceitação ou não de impostos de todo tipo e das razões sugeridas, no meio dos políticos surgiram os Anarquistas, ou seja, os que não concordam com os Sistemas Organizados de forma arbitrária e suas imposições e, ou, imposturas nas sugestões de governo nos Reinos da Terra, estendendo para os relativos ao Reino dos Céus.

Desde que o homem evoluiu como ser pensante, se observa que no Homem, há diferentes níveis de informação e de treinamento em lógica racional, resultando em diferentes níveis de conscientização. Com essa diversidade de perspectivas e de níveis de entendimento e compreensão é difícil que todos concordem com todas as pressuposições e suposições sugeridas como verdades que se devam tornar Crenças, e daí as discordâncias e as discórdias que originam as dissensões e até as guerras, seja por interesse político religioso (cruzadas, islamismo, sionismo e intifadas), ou, interesse em dominação das riquezas de outras nações. Ontem e Hoje as histórias e estórias se repetem..

O jeito de estar em paz é não tomar partido. Que cada um, sendo livre, se conduza de acordo com o seu próprio nível de consciência.

Se há amor ao próximo, não há críticas aos que discordam. Se há críticas pode não haver amor, mas há o jogo de interesses materiais.

Alberto Barbosa Pinto Dias, Bacharel em História Natural (todas as Disciplinas Biológicas e Geológicas), Licenciado, Especialista em Fisiologia (Bioenergética e Órgãos dos Sentidos) USP, 1955.
Qualquer questionamento sempre será bem recebido e respondido.

Postado em : Reflexões

Deixe sua mensagem

Seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios são marcados *

*

.