Misticismo, Ocultismo e Ciência Moderna

Misticismo, Ocultismo e Ciência Moderna

Misticismo, Ocultismo e Ciência Moderna

 

A coisa mais difícil para um estudante moderno de qualquer ramo da ciência é evitar as indexações. Alguns ganham neuroses e até alergias fatais com causas desconhecidas buscando a perfeição em seu trabalho de indexação (classificação) de seres microscópicos, como Foraminíferos, por exemplo, cuja utilidade é para informação de estudiosos do assunto como ciência pura e objetiva.

 Quando se consideram as diferenças individuais relativas aos níveis de conscientização das ações subjetivas e suas consequências teóricas e práticas, não há como fugir de uma indexação que permita estruturar uma ordenação de idéias e pensamentos a respeito de informações obtidas, elaborando uma ordem cronológica, a fim de tentar sair do Caos, ser didático e ser entendido.

O Caos se estabelece quando o homem quer sair da aparente ordem e harmonia que há no Mundo objetivo que pode ser alcançada pelas Leis de Causa e Efeito. No entanto, com o aprofundamento nos estudos os físicos mostram que a Consciência do Homem pode estabelecer, por focalização mental, o Caos, ou então, a Ordem, agindo no nível da Energia Quântica, onde as leis da Física Teórica Tradicional não tem validade, onde não considera o Tempo e o Espaço.

Para seguir o que há na Linha do Tempo, e para entender a evolução do pensamento humano, e os fenômenos psíquicos que existiam e existem independentemente do avanço do nível de Informação e do Conhecimento havido até os dias de hoje, é preciso entender o que houve como habilidades psíquicas no passado e ainda é atual só como informação para muitos. Também é preciso entender o que há como conhecimento de habilidades psíquicas nos dias de hoje e que é atual para poucos que o entendam.

As diferenças de níveis de informática e de conhecimentos entre indivíduos são responsáveis por discordâncias, discussões e discórdias. O maior problema é quando as convicções arraigadas estão de mãos dadas com a ignorância relativa ao baixo nível de informações e de treinamento em lógica e avaliação de razoabilidade e probabilidade.

Entendemos por Misticismo como sendo todo pensamento e qualquer ação baseada em pensamentos que se estruturam a base de pressuposições, e suposições baseadas nas pressuposições. Místico é toda pessoa que pratica o Misticismo, e que, portanto, se baseia em razões lógicas e até razoáveis, se bem que pouco, ou, até nada prováveis, para explicar fenômenos observados, ou, apenas informados por uma tradição oral, ou, escrita e que é tomada como verdade.

Pressuposições e Suposições, que sejam consideradas como sendo verdades, mas sem comprovação, são denominadas Crenças. As Crenças podem ser limitantes, ou não limitantes. Todos os tipos de Crenças que um indivíduo assume passam a ser sua Realidade Interna. Cada um vive em um Túnel de realidades internas, colocando filtros nas entradas. Os filtros impedem que abram a Mente a outros tipos de focalizações mentais, que mostrem outras perspectivas e as mudanças de entendimento que elas possam produzir.

Crenças limitantes são todas as Crenças baseadas em normas princípios dogmas fundamentos e rituais que impeçam o indivíduo de buscar informações e Conhecimento que estejam fora dos padrões dos que querem garantir a continuidade de seus Sistemas Organizados de Forma Arbitrária, e que sustentam a posição de uma hierarquia dona das verdades relativas instituídas, como são os Místicos Fundamentalistas de qualquer filosofia que se torne religião.

O Místico Esotérico é o Místico que acredita em algumas Crenças limitantes e outras não limitantes, buscando informações no Mundo Científico que expliquem essas suas Crenças. Aceitam fazer experiências e dão valor aos resultados eficientes, como sendo base para melhor entender. Essa postura de flexibilidade nos enfoques mentais permite a mudança de idéias e de pensamentos em função dos resultados das experiências eficientes. O Místico Esotérico é pouco tolerado pelo Místico Fundamentalista de qualquer ordem.

Ainda nos dias de hoje toda população de qualquer Cultura e em qualquer Continente, apresenta até 70% de pessoas menos cultas; 25% de pessoas mais cultas, com pensamento predominantemente direto concreto e objetivo, que se dão ao luxo de frequentar ambientes onde prevalece a Mística Fundamentalista, a Mística Esotérica, e outros ambientes onde prevaleça um suposto ocultismo que estude os ocultistas, também onde prevalecem normas de comportamento social, princípios éticos e rituais condicionadores, como se houvesse dois Mundos separados, um dentro da ordem e outro fora de qualquer das ordens.

Do total de uma população, 5% têm condições de fazer abstrações de todas as razões apresentadas em todos os meios, onde as idéias e pensamentos se contraponham aos demais, pois todas idéias de uns e outros são em função das normas e princípios apresentados em cada um deles.

O que observamos na Linha do Tempo, é o fato de que há mais do que 11.000 anos, pessoas totalmente incultas, em relação à cultura atual, com possibilidades sociais limitadas e pouca capacidade de ação quando se compara com a tecnologia atual, mas mesmo assim só com sua Inteligência e Vontade, livres dos conceitos que estabelecem as Crenças Limitantes e livres dos seus bloqueios psicológicos, elas aprendiam a usar Enfoques Mentais adequados, que moviam uma forma de energia desconhecida pelos físicos de até há pouco tempo, e mal conhecida ainda na prática pelos físicos teóricos atuais. Eles produziam fenômenos psíquicos devidos às suas habilidades psíquicas, e na época esses fenômenos eram conhecidos como Magia.

As leis do Poder da Mente atuante pela Vontade, mostravam os efeitos da Intenção pela inteligência e pela prática, independentemente de crenças limitantes, porque na época predominavam as crenças libertárias: “Tudo é possível”, “Tudo está Interligado”, “Para uma Consciência não há Limites”, “ Sempre há outra maneira de se fazer a mesma coisa”, “O Poder vem de dentro do indivíduo”, logo não vem de fora.

Ora, se nós formos obedecer o tipo de raciocínio do Ocidental, devemos raciocinar assim: “se isto é assim, não pode ser diferente de assim”, o que é limitante e até válido no que seja objetivo e provado, mas que não é válido no Mundo Subjetivo.

Depois surgiram as pessoas, que sendo curiosos, e gostando do maravilhoso, passaram a documentar esses feitos, e sugerindo sob a forma de frases de efeito, as condições morais e éticas a serem conquistadas para obter os mesmos resultados.

 Alguns se interessam e tentam ensaios. Uns raros 3% que são naturalmente dotados, em qualquer cultura, possuindo circuitos neurológicos adequados, conseguem algum tipo de efeito, e atribuem ao que estudaram e tomaram como psicofilosofias. Os demais são destinados a ficar observando os primeiros o resto da vida.

Mais recente é a categoria dos pesquisadores que se aprofundam nas informações e nos exercícios cujos resultados ajudam a compor as razões e os por quê a Magia funciona e assim provar as bases do Ocultismo. Exercícios insuficientes e não metodológicos levam a resultados parciais, pois para haver êxito é preciso saber fazer para Poder Fazer.

A síntese do Saber Fazer e do Poder Fazer pertence a uma categoria de pessoas que já disponha de uma psicotecnologia adequada, que tenha sido desenvolvida a partir do conhecimento prático primário já existente, desenvolvendo um código de ética, que obedecido, os coloca em uma categoria superior de Magos de Coração Limpo, onde não há maldade, mas há muita bondade e honestidade de propósitos na ajuda a seus semelhantes. São os verdadeiros iniciados que independem de cargos, títulos, funções, comendas, medalhas, mantos e etc…

Esse saber dos antigos Iniciados era escondido por simbologias, daí o nome Ocultismo. O ocultismo medieval era uma síntese de filosofias e de conhecimentos práticos, dificilmente conhecidos, senão depois de muitos anos de estudos e merecimentos. Ninguém subia de grau no golpe da espada ou do malhete, pois a subida de grau era de conquistas subjetivas e de ação psíquica eficiente. A divulgação de certos conhecimentos na mão de pessoas despreparadas poderia ser muito destrutiva.

Acredito que, se os discípulos escreveram o que o senhor Jesus ensinou como doutrina em reservado, essas escrituras não entraram na Bíblia (Vulgata Latina) como Livros Canônicos. Como os Evangélicos do Brasil, citados por estarem muito próximos de mim, usam uma cópia da Vulgata Latina traduzida por um padre, também desconhecem a doutrina reservada do Senhor Jesus aos seus discípulos, que a partir de um momento dado passaram a apresentar habilidades psíquicas conhecidas como milagres em sua época.

Por qual razão ofereceriam o Poder Psíquico a indivíduos, que mesmo rotulados de cristãos, queriam propagar a Fé cristã (?) com espadas, fogo nas fogueiras, mortes por afogamento etc. E antes destes, outros que matavam com paus e pedras, como ainda se vê na atualidade em outras linhas religiosas.

E o que dizer da Ciência avançada da atualidade, que fornece ao poder temporal meio de morte em massa com gases letais, ou, outras formas destrutivas?

Tirando todo mal que a maioria se mostra disposta a fazer, podemos enfocar as vantagens da ciência moderna em outros setores produtivos, bem como no que seja relativo à facilitação do desenvolvimento Mental e Psíquico com a Inteligência intrapessoal, e mais o desenvolvimento Mental no que diz respeito aos enfoques Psíquicos que resultam em habilidades psíquicas devidas ao desenvolvimento da Inteligência Interpessoal e da Inteligência Transpessoal que permite que a Consciência faça enfoques mentais em diferentes níveis de freqüência vibratória que resultam em fenômenos psíquicos estudados e catalogados na Parapsicologia.

A iniciação pode começar com o desenvolvimento do nível de Consciência de um indivíduo que aprende em 16 horas, graças á Psicotecnologia ocidental que focaliza exercícios Mentais, a transferir energia quântica, beneficiando doentes e enfermos. Depois em mais 16 horas a estabilizar a troca de energia que permite a troca de informações entre cérebros.

A Psicotecnologia Oriental conseguia o mesmo efeito através de exercícios físicos, que deveriam desenvolver automatismos que levam a estados alterados de consciência, para depois ensinar como focalizar mentalmente. Observamos que todas as escolas fora do oriente ficam apenas na parte física.

A partir daí o progresso depende da persistência e da imaginação pessoal que favoreça, além da capacidade de percepção, outros fenômenos psi-Kapa e psi-Gama.

Alberto Barbosa Pinto Dias, Bacharel em História Natural (todas as Disciplinas Biológicas e Geológicas), Licenciado, Especialista. USP, 1955.
Qualquer questionamento sempre será bem recebido e respondido.

Postado em : Ciência e Religião

2 Comentários


    • promo codes
    • julho 18, 2016
    • Responder
    • Cancelar resposta

    Wow! Thank you! I continuously wanted to write on my site something like that. Can I include a part of your post to my blog? promo codes http://www.harmonylife.info/user/savingplaza9/

      • Alberto Barbosa Pinto Dias
      • julho 18, 2016
      • Responder
      • Cancelar resposta

      Yes,but you remember my name please. Thank you!

Deixe sua mensagem

Seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios são marcados *

*

.