Luz nas Sombras e nas Penumbras

Luz nas Sombras e nas Penumbras

Luz nas Sombras e nas Penumbras

           Tudo o que for desejável de modo racional pode ser alcançado se conseguirmos aumentar a nossa própria racionalidade e objetividade. Racionalidade e objetividade podem ajudar na supressão de certos aspectos da fantasia, aumentando em contrapartida o nível da imaginação criativa e produtiva

           A supressão em termos de conduta é um ato moral consciente, que decorre de uma conscientização e é seguida de uma mudança de hábitos e atitudes por iniciativa pessoal. Toda conscientização depende de uma melhor compreensão e esta de uma mudança de perspectiva. 

           As fantasias são consequência de imagens e palavras que estão erroneamente associadas a emoções e fixadas nas fases infantil e juvenil. Podem ser fruto de emoções, as quais diminuem a capacidade de ser lógico e racional e buscam repetir as sensações de segurança e ou de prazer, sentidos durante a formação dos reflexos básicos de sobrevivência na infância.

           A fantasia é um sonho sem base racional e objetiva, consequência dos processos mentais que, ocorrem na fase de desenvolvimento da inteligência humana dos sete aos quatorze anos de idade. Suprimir o excesso de fantasia como ato moral consciente, ajuda a desenvolver o caminho do raciocínio lógico, a dar mais importância ao que é razoável e provável, pois isto leva ao amadurecimento psicológico.

           Ao contrário da fantasia, a imaginação criativa é positiva e é construtiva, sendo própria do jovem amadurecido e do adulto equilibrado, os quais imaginam dentro das possibilidades objetivas com base racional. Isso pode ser aprendido.Muitas pessoas estudam e fazem cursos, esforçando-se para atingir um nível de Consciência Superior. Com esse objetivo, estão se habilitando para obter também uma Inteligência Superior, que através da imaginação criativa leva a atingir todos os outros objetivos possíveis de acordo com as circunstâncias.

           Os interesses que levam cada um a estudar podem ser materiais, intelectuais, ou ainda puramente espirituais, dependendo das tendências teóricas ou práticas que funcionam como impulsor psicológico básico predominante. Assim cada qual toma um rumo principal nos estudos e na vida prática e depois sofre as influências devidas aos favorecimentos das ocasiões e oportunidades, ou as dificuldades das circunstâncias.

           Qualquer que seja o nível lógico racional e analítico que caracterize uma inteligência, sempre ela pode ser qualificada com o Bom Senso. O Bom Senso é manifestamente relativo ao nível de sensibilidade de consciência que cada um possa apresentar e independe de cultura. Esta sensibilidade que permite mais percepção estabelece limites dentro dos quais há menos probabilidade de erros. Percebe-se que o nível de sensibilidade pode ser mudado para melhor quando nos tornamos introspectivos e refletimos.

           Podemos obter o desejado incremento dos processos de introspecção e reflexão por treinamento. Nessas condições, o Eu maior predomina sobre o Ego e a avaliação é mais justa. O nível de percepção e discernimento do Eu mais profundo permite evitar as tentativas de imposição por parte da ignorância e da visão limitada de terceiros, que têm falta de informações concretas e precisas. Estes são manifestamente “primários ativos” sob o ponto de vista psicológico.           

         Estar introspectivo, mas alerta também permite a possibilidade de mais atenção bem como ser bastante sensível para perceber a dialética apresentada, bloqueando a possibilidade de eventual engano semântico, que venha a ser inserido pela retórica vazia e muito comum em demagogos. Estes se pavoneiam ao máximo diante da ignorância generalizada de uma platéia cativa e receptiva.

           Como a ignorância e o fanatismo são irmãos, que caminham juntos desde os primórdios da humanidade, eles apenas precisam ser alimentados com a fantasia. Esta situação é facilitada pelo fato de que 75% da população de qualquer cultura  é carente, e se não é analfabeta, o é analfabeta funcional e se for um pouco mais alfabetizada, não tem maturidade e prática de raciocínio necessários para avaliar o que é provável e distinguir o provável do que seja pouco provável e improvável. 

           A sensibilidade para percepção e o bom senso associado à lógica, podem ainda proteger qualquer pessoa de envolvimentos através de palavras, pois, podemos ligar qualquer teorização a outra realidade mais objetiva quando se visa o que é eficaz, positivo e concreto.

           O maior perigo do envolvimento com pessoas imaturas e emotivas está naqueles que abusam das figurações fantasiosas, usando pensamentos lógicos, até razoáveis, mas puramente abstratos e improváveis. Esses artifícios são cheios de armadilhas e laços que, podem “prender os pés dos passarinheiros”, amarrando aqueles que ainda caminham no nível de fantasia infantil e do êxtase pseudoespiritual, embalados por promessas e elogios.

           Há um tipo de conduta, que procura sempre limitar as mentes dos que são dirigidos com um enfoque sectário e por práticas repetitivas, as quais causam reflexos automáticos, que levam a um estado alterado de consciência e alto grau de sugestibilidade. É uma forma de hipnose que resulta em estar sonhando acordado de modo dirigido e ocorre durante e depois de um discurso, que excede os vinte minutos em que, qualquer pessoa consegue manter-se alerta com capacidade de análise crítica depois de iniciado o mesmo discurso. 

           A educação de um cérebro já foi privilégio exclusivo da elite, onde se selecionava por capacidade de entender, aprender e compreender analisando o assunto por mais do que uma perspectiva. A democracia e a alfabetização podem tornar a cultura acessível às massas, dependendo do tipo de educação que é oferecida e do modo como é ministrada, e ainda do nível em que é passada.

           De outro lado há a questão de que, não adianta tentar levar até ao nível de sabedoria quem não se dispõe, ou, não tenha condição física e mental de aprender. Assim, manter crianças na escola democraticamente, mas não cuidar de que passem de ano sabendo o que devem saber, é colaborar para que a elite disponha sempre de operários semialfabetizados e analfabetos funcionais como mão de obra barata, apesar de revoltada, devido à suposição de que sabem o que deveriam saber. 

           Devido à prática de professor em escolas secundárias, com a intenção de observar o nível de aproveitamento, verificamos que, dependendo da amostra da população, em cada dez pessoas há uma muito boa sob o ponto de vista da capacidade de amplitude de enfoque mental e da associação de idéias. Diríamos que são pessoas que diante de um enfoque de idéias, giram o “periscópio” de até 360º, comparam e analisam as idéias apresentadas e discutem suas próprias percepções.

           Das nove restantes, mais duas ou três tem boas condições de progresso. Quatro são medianas, que quando tem boas condições de não precisar ser “concordinas”, podem evoluir. Duas muito abaixo da média, sempre concordam e dificilmente evoluem. Uma é dificilmente recuperável, seja por condição genética, alimentação deficiente, erros no treinamento básico, ou, lesões por infecção e outros motivos.  

           Biologicamente, temos uma curva de Gauss geneticamente esperada. É fácil perceber esse fato quando observamos alunos em uma média de 300 alunos por ano, durante dez anos. Muitos dos que não têm condições intelectuais mostram habilidade para o comércio e outras atividades. 

           Não há maior alegria para os professores e alunos de Escolas e Seminários do que sentirem a inteligência estudando e melhorando a própria inteligência. Um melhora a conotação de idéias porque se esforça em passar conhecimento e o outro porque se esforça por entender, e aprender e compreender sempre questionando. Professores inseguros dos conhecimentos, ou, de baixa intelectualidade não admitem questionamentos, e exigem que os alunos aceitem fundamentos como verdades, e ainda decorem textos para que eles sirvam de respostas automáticas em diferentes situações. 

           Não há nada melhor para facilitar o raciocínio do que uma sensação de paz e não há nada pior do que uma emoção desfavorável. Sendo assim, precisamos estudar as maneiras recomendáveis de se fazer programações e reprogramações mentais para armazenamento de dados na memória. Temos que nos libertar de todas as formas de rigidez que decorram de idéias fixas e de seus reflexos, sejam eles com respostas emocionais, ou, tenham como consequência atitudes e posturas que resultem em tensão.

           Relaxamento, introspeção e concentração favorecem, servindo como amortecedores psicológicos. A psicóloga Jean Millay e outros da Stanford University demonstraram que a Yoga mais o biofeedback apagam as reações reflexas relativas à percepção associada a emoções desfavoráveis, mais rápidos do que a Yoga sozinha. Assim, exercícios de Raja Yoga, associados com um processo de biofeedback e reprogramação cerebral, livres de conotação mística ou religiosa, podem eliminar fobias, depressões e desordens ocasionadas por tensões na consciência sem drogas. 

           Se a tecnologia que permite modificar as condições mentais de modo supressivo, nunca repressivo, for usada de maneira honesta, correta e sabiamente, por homens e mulheres inteligentes, poderemos libertar as pessoas de todas as formas de rigidez de idéias e da sua conseqüente perturbação emocional. As tensões na consciência, causadas pela rigidez de idéias, têm suas respostas reflexas nos músculos e nas vísceras, causando doenças e enfermidades resultantes desse stress. 

           O problema é a impostura com que pessoas despreparadas possam assumir posição de “ministrador de solução de problemas e de curas” de modo místico. É curioso observar como elas mesmas são vítimas de doenças e enfermidades em idade precoce. O choque da consciência diante de uma realidade pessoal conhecida e a aparência a ser mantida é simplesmente devastador. As vezes falta coragem para deixar de lado os fundamentalismos dos sistemas organizados de forma arbitrária.

           A falta de meios e de instrumentos para corrigir ou reparar os circuitos reflexos avariados ou defeituosos, ocasionados no Sistema Nervoso Central durante um treinamento inadequado, pode ser compensada com um processo de biofeedback. Este, funcionando como amortecedor psicológico promove uma reprogramação no cérebro, como Soft em computação.

           A motivação deve ser proporcionada pelo princípio do prazer mental e espiritual. É mais divertido estar alegre e mais agradável, e escolher emoções que convém, do que sofrer secreções glandulares desfavoráveis que resultem de reflexos associados com emoções negativas e depressão.

           É mais agradável resolvermos esses nossos problemas aqui e agora do que vivermos com eles a espera de um milagre, de uma “outra vida” melhor para depois. Por que razão nós devemos estar deprimidos se podemos estar contentes? Por que sermos estúpidos quando podemos ser inteligentes? Por que estar tensos e agitados quando podemos estar tranquilos? Por que conviver, com pessoas rígidas em seus pensamentos e emoções, se elas confundem seriedade com autoconflito e agem com sadomasoquismo? Por que aceitar a imposição de idéias de pessoas que lideram gerando medo e submissão? Por que viver ou trabalhar em ambiente de inveja e de ódio, se qualquer um pode escolher frequentar, ou, trabalhar onde há amor e tolerância?

           Se não há escolha possível, programe-se para ignorar as agressões do ambiente se o agente das agressões é estúpido e ou despreparado. Comecemos pela recomendação do Mestre Jesus sem a interferência e interpretações de arautos. – ”Conhecereis a Verdade e a Verdade vos Libertará”. A verdade é tudo aquilo que é transparente, eficiente, eficaz, criativo, construtivo, honesto, puro, limpo, bom e aumenta a percepção do indivíduo para discernir o que faz parte do consciente externo e objetivo (atualidade), e do que seja consciente interno e subjetivo (realidade pessoal).

           A prática da verdade aumenta a inteligência permitindo sair da fantasia que só convém a muitos dos espertos políticos, prelados, publicitários e seus mandantes. A verdade impede que eles lucrem com a ignorância e com o temor que resulta de má informação ou desinformação. “Lobos vestidos de cordeiros” são um mal de antes, durante e depois de Cristo.

           Em todos os níveis está o triângulo de ferro que sempre onerou o trabalhador e todos eles vivem de impostos: o poder armado, o poder monetário e o poder religioso, que como liderança sectária e dominadora, cobra sua parte do pedágio para o “Céu”. “Ora em secreto ao Pai, que o Pai o recompensará”, J.C. , é a solução para todos os problemas decorrentes de outros tipos de envolvimento. Alberto Dias, Atibaia, 12/09/05.

apresentacao

Postado em : Psiquismo

Deixe sua mensagem

Seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios são marcados *

*

.