04º – Histórico e Teoria Relativa às Ações Psíquicas

04º – Histórico e Teoria Relativa às Ações Psíquicas

04º – Histórico e Teoria Relativa às Ações Psíquicas

Espero que a exposição feita a respeito de Espiritualidade e do que penso a respeito do Homem Espiritual esteja bem clara, e que sirva de base para a troca de ideias, se alguém pretende. Agora vamos nos ater ao que ocorreu na Linha do Tempo com as Habilidades Psíquicas, pois são as mesmas ontem e hoje, e mais a sua relação com os Sistemas Organizados de forma Arbitrária, conhecidos como Religião.

O sentimento de que Deus existe inspirou a religiosidade, mas o demônio, se é que ele existe fora do pensamento do homem, bagunçou; tratou de inspirar os Sistemas Organizados pelos homens a partir de filosofias. As maiores e mais longas discussões abstratas, rixas, disputas pelo poder, e guerras que levam à morte, foram causadas pelos Sistemas Organizados de forma arbitrária como religião, e nos Sistemas Políticos, pelas diferenças de filosofias e modos de pensar.

Pelo estudo e observação dos acontecimentos na Linha do Tempo, podemos dizer que de início havia alguns indivíduos em cada população que apresentavam Habilidades Psíquicas de modo natural. Eram em número reduzido e se destacavam dos demais por manifestarem algum tipo de Poder Mental. Havia os com “poder de Cura”, havia os com “poder de Visão”, ou seja, de percepção visual subjetiva, como videntes, clarividentes e telepatas, e havia ainda em número menor, os que eram capazes tanto de vidência como de proporcionar cura. Mais raros os que conseguiam dominar mentalmente os elementos da natureza e os seres considerados inferiores ao Homem. Assim, como há 10.000 anos, o mesmo ocorre hoje.

É da natureza humana que alguns pensadores desejem dar explicações em seus mínimos detalhes para todo tipo de acontecimento, fato de observação, ou, fenômeno. As hipóteses sempre abrangem os fenômenos objetivos e os fenômenos subjetivos também denominados “espirituais”. Nesse procedimento mental há duas linhas de conduta. Uma a dos que se contentam com explicações lógicas e até razoáveis, se bem que pouco ou nada prováveis, e são denominados Místicos. Outra a dos que querem provas da veracidade das explicações ou hipóteses e são denominados Homens deCiência. Um terceiro tipo de atitude é a dos Místicos que buscam harmonizar as explicações com o conhecimento desenvolvido pela ciência e são denominados Místicos Esotéricos. Geralmente os Místicos “puros” não aceitam os enfoques do pensamento Científico e abominam os Esotéricos.

Os Filósofos são pensadores. Há filósofos que desenvolvem uma Filosofia de Vida, que sendo associada a conceitos de ética e de moral, são também associadas à Mística. Assim sendo uma Filosofia de Vida com essas características pode ser a base para criação de um Sistema Organizado de modo Arbitrário denominado Religião.

Todo Sistema religioso é arbitrário, porque seus líderes fundadores escolhem normas, princípios, dogmas e ou fundamentos que o caracterizam. Escolhem também um ritual de adoração e o nome de uma Divindade em que acreditem que exista. Como os homens de uma população qualquer, de qualquer área cultural e de qualquer Continente, apresentam-se com uma grande diversidade de níveis de instintos, de emotividade, de intuição, de nível de raciocínio lógico e de capacidade de abstrações, além de grandes diferenças de nível de informações e de traquejo no uso das mesmas, as Grandes Religiões oferecem ao povo em geral, um Deus abstrato aos de pensamento predominantemente abstrato; um ou mais homens divinos, ou, divinizados aos de pensamento predominantemente concreto, que até inconscientemente exijam uma prova material; uma miríade de pequenos deuses, santos, anjos e seres afins aos de pensamento imaginativo associado ao emocional e onde predomine a imaturidade e a fantasia.

O vocábulo “fantasia” é um símbolo que caracteriza os pensamentos regidos pela imaginação relativa ao que é pouco provável e até improvável. São imaturos todos os indivíduos que não conseguem conviver com as incertezas e correm atrás de quem afirme que tem certezas. Os intelectualmente maduros convivem com as incertezas, pois sabem que tudo é relativo e estão acostumados ao raciocínio lógico com o que seja razoável e provável, pois também têm a percepção de que as incertezas são provenientes do pouco provável e do improvável. Assim sendo, na Linha do Tempo, de início havia os que eram capazes de processar habilidades psíquicas, eram conhecedores do processo de como desencadeá-las, desenvolvendo uma Filosofia que de certa forma regulamentava a ação dos Psíquicos denominados Magos. A Huna era um código, existente há mais do que 11.000 a.C. Depois, a partir de 4.000 a.C. temos notícia dos hábeis psíquicos que foram denominados yoguins na Índia e do desenvolvimento do Hinduísmo como Grande Religião.

Também temos notícia através do Velho Testamento, no Gênesis, da existência de Melquisedeque, que agiu como um Mago e impressionou Abrão há 2.700 a.C. Ele deixou discípulos que fundaram uma Ordem, a Ordem de Melquisedeque, da qual o Senhor Jesus deve ter sido discípulo, pois chegou a Sumo Sacerdote nos Anos Domine 33 de nossa era (confiram em Hebreus capítulos 5, 6, 7.). Tudo indica que os discípulos de Melquisedeque levaram o conhecimento à Ásia onde se desenvolveu o Tao, e no Oriente Médio o Sufismo, e outras filosofias correlatas com práticas que levam a estados alterados de Consciência. Depois o Senhor Jesus associou as habilidades psíquicas com sua filosofia de vida e tentou reformular o Judaísmo, inoperante para essas habilidades.

Posteriormente, temos notícia histórica a respeito de Gautama, O Buda, que desenvolveu a partir de 600 d.C. uma Filosofia de Vida que se tornou uma Grande Religião conhecida como Budismo. O máximo na busca da Espiritualidade no Budismo é o desapego às coisas materiais (terceiro Chacra). Não há dúvidas que este princípio também aparece nos Evangelhos do Senhor Jesus. O desapego é um passo a ser dado antes do amor compartilhado, quando, pelo ponto de vista da Yoga, deixa de haver predominância dos sentimentos e emoções regidos pelo plexo Solar (poder e dominação), e passam a ser regidas pelo Plexo Cardíaco (quarto Chacra), com amor ao semelhante. Um passo a mais na Evolução Espiritual do Homem seria a regência do plexo Laríngeo (quinto Chacra), todos os gânglios e nervos envolvidos na fala e na comunicação que podem ser aplicados para o bem do próximo no sentido de educação, e instrução para afastá-lo da ignorância. Mais um passo é quando o homem desiste da comunicação verbal e passa a funcionar introspectivamente acionando a predominância do Espiritual sobre o Mental (sexto Chacra). Nesse ponto já não predomina a vontade de aparecer e falar, mas predominam a introspecção e os pensamentos coerentes para esclarecimento. Por último a predominância da iluminação (sétimo Chacra), que espero que Deus me permita chegar lá antes de morrer, antes que eu termine este ciclo na Terra.

A Yoga se desenvolveu como prática na busca da espiritualidade como uma união do Homem com a Divindade. Hoje se apresenta com vários nomes que definem o grau de aprofundamento na introspecção e de nível de ação psíquica. Hatha Yoga, Laya Yoga, Karma Yoga, Bahkti Yoga, Ynana Yoga, Raja Yoga, ou Yoga Real, esta última relativa aos que dominam o poder de cura e da capacidade de comunicação subjetiva, da ação denominada espiritual por algumas correntes filosóficas. Depois temos notícia histórica através dos Evangelhos, que sendo menos do que uma biografia, é mais um relato histórico dos grandes feitos do Senhor Jesus e de sua Filosofia de Vida, como grande Mestre em habilidades psíquicas, e que as ensinou em reservado para alguns de seus doze discípulos. Alguns deles, mas não todos, manifestaram ações Psíquicas como “curas” e supostas expulsões de demônios. A Filosofia de Vida do senhor Jesus, e parte de sua doutrina e de seus ensinamentos foram convertidos em Filosofia Cristã pelo Apóstolo Paulo. A Bíblia organizada nos tempos do Imperador Constantino, e composta por livros escolhidos por serem mais convenientes na época, foram os fundamentos para o Catolicismo.

Convém lembrar que antes de Pasteur, os religiosos mais cultos acreditavam que as doenças infecciosas eram atribuídas aos demônios e às bruxas, e que era usado o alho juntamente com as orações para afastá-los. Hoje em dia sabemos que os dentes de alho esmagado liberam substâncias que tem propriedades de antibiótico, e na gripe espanhola, eram usadas na homeopatia para ajudar o organismo a eliminar os vírus. Depois de Fleming e a descoberta da Penicilina o alho foi um pouco esquecido, mas continua sendo um alimento preventivo de resfriados gripes e bronquites, além de facilitar a circulação do sangue nas arteríolas. Associado ao azeite, que é anti-inflamatório e coadjuvante na limpeza de veias e artérias, proporciona mais condição de alta vitalidade. Sempre é bom lembrar também que desequilíbrios psíquicos eram considerados como causados pela incorporação de demônios. Hoje em dia esses demônios são expulsos pelos bons e competentes psiquiatras. Segundo meu amigo Arthur, às vezes apelam aos exorcistas para expulsar alguma massa de subconsciente perdido por pessoas que faleceram sem a integração salvadora da Consciência. Tendo considerado o Judaísmo uma Religião inoperante no sentido da salvação das almas pela integração de seus 3 aspectos, o Senhor Jesus, tentou uma reformulação do mesmo. Aconselhou os seus seguidores a orar em secreto ao Pai, eliminando assim a ação intercessora dos Sacerdotes, e a cobrança de ofertas e sacrifícios de animais que proporcionavam o sustento do Sinédrio. Historicamente, segundo os Evangelhos Canônicos, por sugestão dos sacerdotes, que se acharam prejudicados, moral e financeiramente, o Senhor Jesus foi morto. Alberto B. P. Dias, Bacharel, Licenciado, Especialista, USP, 1955.

apresentacao

Postado em : Histórico e Teoria

Deixe sua mensagem

Seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios são marcados *

*

.