Decodificando o Pai Nosso

Decodificando o Pai Nosso

Decodificando o Pai Nosso

Quando os discípulos discutiram entre si aonde seria o Reino dos Céus, Jesus afirmou: ”Ora, não direis vós que o Reino dos Céus está aqui ou ali, porque o Reino dos Céus está dentro de vós”.

 

A suposição geral é a de que Deus, Nosso Pai, esteja no Reino dos Céus. Como Jesus afirmou que: “o Reino dos Céus está dentro de vós”, cabe procurar o Pai, Espírito Paternal, ou, Espírito Protetor de cada um, no nosso próprio interior.

 

Sob o aspecto da psicologia atual, o acesso ao “nosso interior” é feito por introspecção, quando então o consciente se integra com o subconsciente, e ultrapassando as barreiras psicológicas do mesmo, facilita a ligação do nível consciente com o Superconsciente. Este último é a porção divina de nossa Consciência, que Deus confere a cada um de nós junto com o “sopro da vida”, nossa Consciência e seus três aspectos.

 

Não somos um reflexo da Trindade sugerida no Gênesis? Tendo Jesus ensinado o “caminho das pedras”, formulou verbalmente: “Pai nosso que estais nos Céus”, onde está codificado que cada um de nós, conscientemente, invoque introspectivamente, “em secreto ao Pai”, pois o Pai está de prontidão em seu próprio Self, que lhe coube como parte da sua Consciência.

 

“Conhece-te a ti mesmo”, já que não tem condição de entender uma Consciência superior à sua, e perceba que “O poder vem de dentro de vós”, para o Bem, ou, para o mal, pois a escolha de o que fazer com as duas polaridades da energia é sua.

 

Na formulação: ”Santificado seja o Vosso Nome”, está indicando que essa porção de nossa Consciência é a porção que contém o Dom De Deus em nós e nos demais, devendo – se respeito próprio e, aos demais, pois um dos aspectos de nossa consciência é uma porção do Espírito Santo.

 

Há confirmação dessa condição na afirmação de Paulo: ”vós sois os vasos do Espírito Santo” e “Crescei em Espírito Santo” e mais ainda, “A cada um cabe ser Vaso de Honra, ou, Vaso de vergonha” já que há livre arbítrio do Consciente, nas ações e na programação da memória situada no Subconsciente.

 

“Venha a nós o Vosso Reino” poderá ser decodificado como:- coloque à disposição de nosso nível Consciente a presença de nosso Superconsciente, com o poder espiritual que ele representa, ou, “O Pai que em mim opera as obras”.

 

“Seja feita a Vossa vontade assim na terra como é no Céu”. Pode estar dizendo:- Que os Dons do Espírito Santo que há em mim se manifestem no plano material, de modo consciente, como é no Mundo Espiritual, mas que haja Bom Senso da minha parte nessas ações.

 

A segunda parte do Pai Nosso se refere ao Físico, que é o suporte das ações da Consciência no mundo material. “O pão nosso de cada dia nos dai hoje” significa que não falte o sustento necessário para manter a energia vital, sem a qual o corpo não será “movido pela Consciência”. Sem a parte física como base de sustentação, como é que se manifestaria a Consciência que move o corpo pelo “Espírito”?

“Perdoai as nossas ofensas assim como perdoamos nossos devedores”, dizem respeito às condições de paz interior e equilíbrio, resultantes dos sentimentos e das emoções, quando há um relacionamento harmonioso com nossos semelhantes.

 

“E não nos induzas à tentação, mas livra-nos do mal; porque teu é o reino e o poder e a glória para sempre. Amem”, diz respeito à nossa Consciência Superconsciente, a parte divina doada por Deus em nós, a voz interior que nos confere o senso de ética e nos faz sentir confortável, ou, desconfortável diante de pensamentos, atitudes e ações. Dá-nos aviso do que é, ou, não é conveniente diante de Deus, a não ser que sendo “vaso de desonra”, já seja “um sepulcro caiado” (JC).

 

Obs. Se você aprendeu o Pai Nosso, por outra perspectiva, e estabeleceu uma crença associada, então entenda porque pode ter dificuldade de mudar o entendimento e a compreensão para qualquer novo rumo da percepção. Experimente mudar perspectivas e fazer novas avaliações sempre. Alberto Dias, em 05/05/05.

Alberto Barbosa Pinto Dias, Bacharel em História Natural (todas as Disciplinas Biológicas e Geológicas), Licenciado, Especialista. USP, 1955.

Qualquer questionamento sempre será bem recebido e respondido.

Postado em : Religião

Deixe sua mensagem

Seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios são marcados *

*

.