Considerações Pessoais a Respeito do Azeite com Alho

Considerações Pessoais a Respeito do Azeite com Alho

Considerações Pessoais a Respeito do Azeite com Alho

Em abril de 2005, aos 76 anos de idade, fui acometido por uma cegueira total no olho esquerdo, causada por derrame de sangue, devido à pressão alta. Verificada a pressão sanguínea estava a 19/ 11. Um susto!

Um cardiologista do Einstein (Doutor Roderick) recomendou na emergência a tomar diurético e Adalat em dose dupla para fazer baixar a pressão de imediato. O oculista disse que não havia nada a fazer senão esperar, possivelmente de 6 até 8 meses, para depois verificar o que fazer.

Consultado o cardiologista no H. Sabin, Atibaia, foi feito o eletrocardiograma, exames de sangue e chapa do tórax. Verificados os resultados, alem da pressão alta, havia para serem considerados: a artéria aorta sinuosa as taxas elevadas de colesterol, triglicérides e ácido úrico. Passei a tomar Betalor (vasodilatador) e Hidrion (diurético).

Com o olho direito ainda bom, li um artigo no jornal divulgado na Internet, Ambiente Brasil, um artigo a respeito das propriedades antiinflamatórias do azeite de oliveira. Ao ler a respeito de azeite, associei com a idéia de alho.

Procurei dados a respeito das propriedades do alho na Internet, e verifiquei a existência da Alicina que, favorece a circulação impedindo trombos e a existência de outras substâncias, algumas contendo enxofre na molécula e mais outras que apresentariam ação antivirótica e antibacteriana alem de agir sobre determinados tipos de câncer.

Como não há dados a respeito de dosagem, resolvi experimentar e verificar qual a dosagem por dentes de alho cru que mostraria algum efeito fisiológico evidente. Ultrapassando a dose de um dente de alho cru por 20 quilos de peso corpóreo, verifiquei uma sensação de afogueamento e calor evidenciando vaso dilatação juntamente com uma sensação estranha.

Reduzida a dose para um dente de alho para cada 20 quilos de peso corpóreo tornam-se bem suportáveis, principalmente se o alho cru, sendo bem esmagado, for deixado no azeite extravirgem de primeira espremedura a frio (uma a duas colheres de sopa), por um prazo mínimo de 30 minutos e até 24 horas. Pode-se colocar a mistura no alimento habitual, sendo que passei a apreciar, verter uns caldos quentes, ferventes, mas não fervendo, sobre a mistura a ser tomada como sopa com pão integral, ou, em saladas.

O tratamento é feito à noite, pois sobrevém uma sonolência e depois sono profundo e reparador de noite inteira. Esse tratamento foi feito direto durante 4 meses, pois alem de desaparecerem as dores de articulações, eu esperava que se limpassem as artérias devido a presença dos ácidos graxos insaturados do azeite que fazem esse trabalho. Depois desse período descansei uma semana ou menos cada mês, pois persisti por nove meses.

Resultados: O alívio de dores articulares foi progressivo, sendo evidente em 30 dias. O sangue pisado foi clareando e em dois meses já enxergava sem nitidez, mas em três meses havia nitidez e em quatro meses transparência cristalina. Animado com os resultados continuei firme.

Completados dez meses, voltei ao cardiologista do H. Sabin. Novamente os exames. Radiografia de Tórax- Tudo limpo e normal. Aorta normal, retificada. Exame de sangue: ácido úrico baixou, colesterol baixou, triglicérides baixaram. Eletrocardiógrafo: tudo normal com ligeiro bloqueio no ramo direito do Feixe de Hiss que me acompanha desde moço. Parei com os remédios para pressão e coração. Note-se: As berrugas caíram. Não tenho gripes nem resfriados nem infecções desde que iniciei esse hábito alimentar.
Passados dez anos, faço alho batido no liquidificador com azeite de oliva, e guardo na geladeira. Também o uso está mais espaçado agora.

Professor Alberto Barbosa Pinto Dias (88 anos) diasmind@uol.com.br

Observação: Até onde eu saiba, não há nas Publicações Anuais da Medicina, qualquer publicação a respeito de Retificação de Aorta, em idoso com 77 anos na época do final do tratamento de dez meses.

 

Alberto Barbosa Pinto Dias, Bacharel em História Natural (todas as Disciplinas Biológicas e Geológicas), Licenciado, Especialista. USP, 1955.
Qualquer questionamento sempre será bem recebido e respondido.

Postado em : Alimentos e saúde

4 Comentários


    • José Carlos Ribeiro
    • junho 20, 2016
    • Responder
    • Cancelar resposta

    Olá Professor Gostaria de mais informações sobre a proporção de quantidade de alho versus peso..tenho 90 kilos então seria 4 a 5 cabeças por dia? abraço

      • Alberto Barbosa Pinto Dias
      • junho 20, 2016
      • Responder
      • Cancelar resposta

      Carlos, melhor 4 dentes de alho esmagados em uma a duas colheres de sopa de azeite extra virgem. Macerar por 24 horas e usar a mistura crua na alimentação. No entanto se tem sangue tipo O ou AB, comece com um dente de alho somente, depois aumento é progressivo. Alguns sangue tipo O e AB tem a mucosa gástrica mais sensível.

    • Claudio Lima
    • abril 27, 2016
    • Responder
    • Cancelar resposta

    Boa tarde, sr. Alberto, Apreciei muito do seu depoimento e experiência com o alho e o azeite de oliva! Ainda nos dias atuais, o senhor consome esta mesma dosagem de alho com azeite? Como está a sua saúde nos dias de hoje? Um abraço,

      • Alberto Barbosa Pinto Dias
      • abril 27, 2016
      • Responder
      • Cancelar resposta

      Claudio Lima, agradecido pelo interesse. Estou com 88 anos, e bem mais magro, logo a dosagem diminuiu.Não sinto nada além do peso da idade, e do desgaste de ainda ter que trabalhar, devido minha aposentadoria minguar a cada ano, por desgoverno. Ainda dou treinamentos para desenvolvimento Mental e Psíquico, como pode constatar nas postagens que faço na minha linha do tempo. Nestes últimos dois anos publiquei 302 Post, e ainda espero publicar mais 302.

Deixe sua mensagem

Seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios são marcados *

*

.