Conhecimento X Cultura

Conhecimento X Cultura

Conhecimento X Cultura

 

002bNa antiguidade o homem se desenvolveu sabendo fazer as coisas objetivamente. Quem sabia fazer algo de prático e útil tinha Conhecimento. Assim se desenvolveram os Artesãos e Artífices mais qualificados no que diz respeito ao plano material: os Mestres no plano objetivo.

Ao mesmo tempo se desenvolveram Os Magos como sendo os Mestres, que sabiam agir com enfoques mentais adequados e mobilizavam energia psíquica no plano subjetivo, com resultados objetivos úteis. Eram os curadores intuitivos, os telepatas, videntes e clarividentes, diferindo em precisão e eficiência nas diversas modalidades.

005bCom o passar do tempo também se desenvolveram os pensadores, com predominância de pensamentos concretos, diretos e objetivos, que promoveram o desenvolvimento social e econômico com as construções, o desenvolvimento pastoril, e o agrícola.

Conhecer passou a ser um vocábulo que expressava O Conceito de ter condição de fazer algo de prático e útil, tanto no plano objetivo, como no plano subjetivo, sendo próprio dos Mestres em ações Objetivas e Subjetivas. O Conhecimento era Nobre em todas as suas variantes e estava e está sempre associado à experiências eficientes com resultados positivos.

Todos podem ler na Bíblia a sugestão de Paulo, para que nas Igrejas sempre haja Pastores e Mestres. Pastores para pastorear o rebanho de adeptos, cuidando do lado objetivo, e Mestres cuidando do desenvolvimento Mental e Psíquico, conhecido como Espiritual, com experiências em exercícios que levem as pessoas a ter habilidades psíquicas. A falta de Mestres resultou nas reclamações tidas e havidas segundo Hebreus Capítulo 6, versos de 1 até 4, cujo entendimento está claro para os despertos esclarecidos que tenham Conhecimento.

Continuando, os que sabiam escrever entraram em ação, e descreveram nas diferentes escrituras como se pode fazer algo de prático e útil para perpetuar uma Cultura a respeito do tipo de Conhecimento adquirido pela experiência.

Como consequência, dos que aprenderam a ler, alguns liam as diferentes escrituras a respeito de como os Mestres que sabiam fazer, e faziam. Outros aproveitavam as diferentes escrituras, principalmente os manuais, para aprender a fazer algo de prático e útil, perpetuando o Conhecimento de modo objetivo. Algumas Ordens, como, por exemplo, a de Melquisedeque, perpetuaram Conhecimentos a respeito de ações subjetivas com exercícios que desenvolviam habilidades psíquicas, da qual o Senhor Jesus foi Sumo Sacerdote, conforme Hebreus capítulos 5, 7, etc.

001Outros aproveitaram as diferentes escrituras para estudar e depois para falar a respeito de como se pode, ou, de como se devem fazer as coisas práticas e úteis, e assim perpetuar, de modo subjetivo, a Cultura, a respeito de algum Conhecimento relativo à ações subjetivas que dão resultados objetivos. São os Oradores.

É evidente que apenas falar a respeito de como se devem fazer as coisas, e ser orador, resulta em menos desgaste de energia física e de tempo do que realmente fazer as coisas. Assim surgiu a profissão de Orador, de Pregador, e de Professor, e de pessoas que desenvolveram a Arte Política, de como se comunicar e tentar convencer os demais, mostrando Cultura. Outros desenvolveram a Inteligência fazendo Comércio.

Como todo Homem é mais, ou menos político, pois pode desenvolver a arte de convencer os demais com qualidades Oratórias, todo aquele que é mais Político, fazendo política, tratou de valorizar mais a Cultura expressa verbalmente, como tendo mais valia do que o Conhecimento de como fazer as coisas, fazendo! Assim surgiu a sugestão e a pressuposição de que a Cultura é Mais Nobre do que o Conhecimento.

003A partir do final da Era Feudal, fazer Política se resumiu em fazer Sistemas de Leis tidas como sendo em benefício do Povo para que se dissesse como as coisas deviam ser feitas. Assim sendo nas Sociedades Organizadas como Sistemas Democráticos, se criaram Sistemas Jurídicos, e pessoas que são habilitadas para dizer como as coisas devem ser feitas, e como não devem ser feitas. Outros se dedicaram a fiscalizar o cumprimento das Leis que fixaram a Jurisprudência.

Todo Sistema é Arbitrário, e a Política passou a ser uma profissão de Oradores, que supostamente sabem como as coisas devem ser feitas, e fazem as Leis que regulamentam o Trabalho de quem Sabe Fazer as Coisas, ou ainda, para regulamentar o Trabalho de quem Sabe Fazer e orienta os que não sabem como fazer as coisas, como também o trabalho do que se limita a falar a respeito de como se deve ou não agir. Diminuem as Escolas Técnicas, e proliferam as verborrágicas.

Foi assim que os oradores, os que são Cultos, através de Leis ou de Crenças, controladas por normas e princípios arbitrários, converteram indivíduos livres em sujeitos, e controlaram os produtores, os que Conhecem, os que realmente trabalham porque sabem fazer e fazem, invertendo esses valores nas Sociedades mais atrasadas em Alfabetização, sem Educação voltada para o Conhecimento e sem Sensibilidade para Civilidade e Espiritualidade.

007É lógico que todos são Homens, e o julgamento e a Condenação podem ser falhos, prejudicando muito mais aqueles que não têm recursos para autodefesa.

Todos os problemas atuais são devidos a Políticos, que dizem que querem inverter a situação para favorecer os trabalhadores mais humildes no sentido da falta de recursos, mas que na verdade, como políticos faladores, cultos e incultos, querem manter os indivíduos como sujeitos, e talvez ainda mais sujeitos, como são os coitados em outras Culturas de outros Continentes, que acreditaram nas boas intenções dos políticos, enquanto que no Caos criado por eles, os espertos mal intencionados enriquecem.

Quem faz Fé em algum Sistema Político, e acredita que seja eficiente, cria uma Convicção. Todo convicto alfabetizado e desenvolvido no processo de raciocínio lógico, aceita esclarecimentos e discute a validade dos esclarecimentos. Todo indivíduo analfabeto e ou analfabeto funcional, ou ainda, é alfabetizado, mas não tem desenvolvimento em lógica racional, e menos ainda entende de probabilidade de ser provável ou de ser improvável, e por essa razão predominando o lado emocional,se for Convicto, torna-se um fanático e massa de manobra dos espertos.

Só uma coisa é bem clara: “Conhecereis a Verdade e a Verdade vos Libertará”. Os que Cultuam a Verdade, por princípio são Justos e Retos em tudo. Essa é a medida a ser usada. O Justo e Reto, que é fiel ao Espírito da Verdade, é Fiel no Pouco e no Muito. Fora disso é pura abominação.

O inferno é uma Condição que se Estabelece na Consciência de um Indivíduo. Uma vez estabelecido o inferno em uma Consciência, por estabelecer complexos de Sentimento de Culpa, ela se torna oposta ao Amor, o qual é a Natureza da Essência da Consciência, e com o tempo, o indivíduo se torna um Sepulcro Caiado (J.C.). Logo ele se autodestrói, na medida em que se desliga do Superconsciente, do verdadeiro Eu, um dos aspectos da Consciência, que permite que indivíduo se mantenha ligado com a FONTE, ou seja,com o Espírito Santo de Deus. Com a Morte do Indivíduo, o Ego, que resulta da Integração do Consciente com o Subconsciente, se perde no Vácuo Quântico.

A Salvação da Alma, que é a Personalidade de uma Consciência, se dá quando há Integridade na Integração do Consciente com o Subconsciente e mais o Superconsciente, e mais ainda a integração desses três aspectos com o Espírito Santo de Deus. É quando uma Consciência como individualidade, está em Harmonia e Sintonia com a FONTE, e é quando a Microbolha de Consciência do Indivíduo está em Harmonia e Sintonia com o Macro Bolha.

Se vivemos em um Sistema Político Qualquer, os dirigentes devem ser escolhidos entre os que mostram integridade pelo Espírito da Verdade, ou então o povo em geral estará sujeito aos mentirosos, que tendo um inferno dentro de si, o evidenciam claramente por algum tipo de descontrole Mental e falta de BOM SENSO, provocando o Caos.

O Bom Senso se Revela quando o Indivíduo é Criativo e Construtivo, como se supõe que a Divindade seja, e honesto, puro, limpo, positivo e bom para com seus semelhantes. É coerente no que diz e o no que faz. Geralmente nada promete, mas realiza muito.

Quando há Bom Senso, e há condição de governo de sua família íntegra e integrada, há condição de governo de uma Cidade, de um Estado e de um País. Fora disso é o prenúncio  evidente de um desgoverno.

A escolha é sua. A Ignorância mesmo parcial é o maior desafio da Humanidade. A solução é o Esclarecimento. Ou você se esclarece, ou permanece nas sombras e penumbras, quando não está nas Trevas.

Alberto Barbosa Pinto Dias, Bacharel em História Natural (todas disciplinas Biológicas e Geológicas), Licenciado, Especialista, USP, 1955.

Postado em : Conhecimento X Cultura

Deixe sua mensagem

Seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios são marcados *

*

.