03 – Como e Porque Fazer os Exercícios

03 – Como e Porque Fazer os Exercícios

Como e Porque Fazer os Exercícios – III

Como obter harmonização interior.

Algumas pessoas conseguem naturalmente por introspecção, pois deve ser uma condição neurológica determinada por mutação gênica. Outras conseguem através de uma Prece aprendida na infância, antes dos sete anos de idade e repetida diariamente durante três anos. Ao fazer a mesma Prece, a pulsação cerebral estabiliza nos níveis em que o fazia na infância, e em alto nível de energia, entre 250 mv e até 2.500 mv. Os demais poderão conseguir por reprogramação cerebral que é feita em pelo menos 12 horas, e até 32 horas.

No primeiro nível de aprendizado o Homem deve saber se descontrair totalmente e, se mantiver a harmonia interna não há contração nem descontração, então consegue um tônus muscular tão equilibrado que, os próprios sensores não acusam nada e a sensação é a de que não se tem um corpo físico, pois a sensação de peso desaparece. É um estado alterado de consciência. Para tanto basta fazer e repetir a primeira parte de um Exercício que tem a finalidade de integrar a Consciência com cada parte do corpo físico. A volta ao exterior consciente é feita com uma programação que a torna automática. Esse tipo de exercício resolve os casos de estresse, e quando se deseja um bom resultado, o exercício deve ser repetido 3 vezes antes de continuar qualquer outro exercício, com intervalos de 10 minutos de descanso.

Esse exercício introdutório leva a pessoa a integrar a Consciência com o corpo físico de um modo geral. Se for necessário ele pode ser repetido até que o paciente, ou, estudante neófito sinta que não tem mais corpo durante o exercício, que deve fazer de modo Consciente todo o tempo. Portanto o aplicador deve afirmar de vez em quando:- “Não durma, mantenha-se consciente imaginando cada detalhe anatômico indicado”. A integração da Consciência com o físico permite que o indivíduo faça enfoques mentais direcionados para cada um dos órgãos em particular, influindo e controlando o funcionamento dos mesmos, como fazem os Yoguin.

Se a intenção for completar o melhoramento pessoal então segue um exercício mais demorado, completo até o final. Depois outros exercícios menos demorados. A duração pode ser de seis horas a oito horas dependendo do tipo do quanto de “teoria” que é apresentada.

Como fazer nos casos em que há doenças.

Procedimentos com proximidade, porem sem gestos ou toques.

Nos casos de doença, mau funcionamento de algum órgão e, nos casos em que o neófito (aluno aprendiz) deve prosseguir o seu desenvolvimento de integração da Consciência com o Corpo Físico, repete-se a primeira parte do Exercício mais demorado, porém com a visualização dos órgãos internos, um de cada vez, imaginando-os iluminado com luz branca e até translúcido, a qual deverá significar conscientemente a intenção de recarga de energia por direcionamento da Energia Vital por intenção consciente e determinação da vontade.

O Exercício para recarga de Energia Vital (Mana) é feito da Cabeça aos pés e na volta dos pés à cabeça como reforço, sempre imaginando cada órgão do corpo iluminado com luz branca. Quando o paciente não é capaz de imaginar a luz branca e os órgãos internos, o trabalho do curador será maior, projetando ele mesmo, mentalmente, a energia e visualizando os órgãos do paciente iluminados. Se o paciente não colabora, é dispersivo abrindo os olhos a toda hora, ou, porque teme por alguma razão, será pura perda de seu tempo atende-lo. Esses processos mentais só funcionam quando há “permissão” do paciente, aceitação plena e colaboração para estabelecer a sintonia entre cérebros.

Quando o paciente colabora imaginando a luz no momento indicado e o curador projeta mentalmente energia junto, os dois desejando um mesmo resultado, a cura pode ser instantânea para alguns casos, não todos.

Nos casos de infecção generalizada, no sangue e nos órgãos internos, depois do procedimento com luz branca, deve-se fazer o mesmo com azul violeta, expressando a intenção e a vontade de destruir os vírus e ou bactérias e ou protozoários parasitas. Se for o caso, é conveniente repetir o procedimento com luz azul violeta por 3 vezes em todas as partes do corpo e no todo.

Nos casos da doença ser em um só órgão, o curador deve imaginar que projeta energia para esse órgão, enquanto o paciente também o imagina iluminado. Depois se imagina o órgão iluminado de verde claro e funcionando normalmente para finalizar. Todos os exercícios para cura devem ser repetidos pelo menos 3 vezes.

Casos de cura instantânea: Para exemplo: A paciente sofria de prisão de ventre há 25 anos. Podemos dizer que há casos em que a doença resulta de um programa neurótico. Após o ato de iluminar o intestino grosso em meio a um relaxamento profundo e consciente, acompanhado da afirmação mental em tom suave de “funcione, de maneira ritmada, saudável e, em harmonia com o Universo”, ao terminar o exercício a paciente foi ao WC e nunca mais teve problemas. Naturalmente foi o desbloqueio psicológico de alguma situação anterior que tenha causado a programação cerebral negativa, provavelmente na infância, antes dos sete anos e tornada inconsciente, e foi o que causou a neurose.

O outro caso que me vem à memória no momento é o de uma jovem que ficou totalmente afônica. Depois de um bom relaxamento, a paciente foi convidada a imaginar uma luz violeta na Laringe com a intenção de livrá-la de bactérias e fungos nocivos e desinflamar a laringe da mesma. O curador também se concentra na laringe do paciente e imagina uma projeção de energia com cor violeta que proporciona o resultado intencionado e esperado.

A paciente sentiu o fluxo de energia e abriu os olhos, descrevendo como um calor intenso. Ao voltar do relaxamento a paciente falava normalmente. As cores são um código que se estabelece entre o Consciente (Eu Médio) e o Subconsciente (como parte do Eu Básico), de tal modo que ao se repetir a aplicação das luzes com a imaginação, as ações do Eu Superior são eficientes e automatizadas.

Assim sendo, Luz Branca = Energia Total.  Luz Azul Violeta = contra inflamações, destrói tumores, micróbios, limpeza e purificação. Verde Claro = Equilíbrio de Funcionamento, Verde Escuro = Materialização, Regeneração. Há muitos Relatos de casos resolvidos que poderão servir de exemplos.

Alberto Barbosa Pinto Dias, Bacharel em História Natural (todas as Disciplinas Biológicas e Geológicas), Licenciado, Especialista em Fisiologia (Bioenergética e Órgãos dos Sentidos) USP, 1955.
Qualquer questionamento sempre será bem recebido e respondido.

Postado em : Justificando as Práticas

Deixe sua mensagem

Seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios são marcados *

*

.