Caminhos da Psicologia – 4

Caminhos da Psicologia – 4

Caminhos da psicologia – 4

Reforçando a informação:- No final do século XIX, Freud, médico alemão, de origem judaica, mas ateu e positivista, elaborou o sistema psicanalítico, iniciando assim o mecanismo que sustenta a Primeira Potência dos estudos psicológicos até hoje em algumas Faculdades como a Luterana de Porto Alegre, por exemplo, e outros estabelecimentos particulares em São Paulo. Freud aderiu à hipnose como ferramenta de análise psíquica, apesar dos contras de alguns de seus colegas ligados à psiquiatria. Suas bases teóricas geraram posteriormente os psicoterapeutas, que não receitam medicamentos, mas estudam as causas e ou origens dos distúrbios mentais e as diferentes possibilidades de ajuda. “Sempre há outra maneira de se fazer a mesma coisa”. (da Huna).

Young, amigo de Freud, espiritualista, trocava idéias com ele e sugeria que havia alguma coisa além do mecanicismo biológico. Escreveu “O Eu e o Inconsciente”, livro clássico para estudos nas Faculdades. Leiam que é muito interessante e eu tive uma experiência psíquica incrível relacionada com ele que merece um relato a parte.

Outras linhas de estudo levaram os psicólogos ainda dentro do mecanicismo newtoniano, a desenvolver o Comportamentalismocomo sendo a Segunda Potência de estudos da Psicologia. Watson com sua teoria sobre reflexos inatos e adquiridos, baseado nos trabalhos de Pavlov. Toleman em 1932 introduz o complemento da intencionalidade na formação dos reflexos, e finalmente Skinner com o Condutismo e suas conseqüências. (1904 – 1990)

Um grupo de estudiosos, como Maslow, Huxley, , Assilioly, introduziram o ponto de vista do Humanismo, onde o Homem não pode ser visto apenas como uma máquina biológica, mas que devem ser levados em conta outros fatores e fenômenos relacionados com a mística e a espiritualidade. Isso se deve à eficiência de experiências práticas usadas em filosofias orientais para a melhor saúde mental e física, no mínimo com aumento da resistência física e aumento de QI devido à prática da introspecção, que com reflexão, favorece a facilitação neurológica para integração Consciente-Subconsciente, como reforço de Ego.

Os mesmos Humanistas acabaram por criar a Psicologia Transpessoal, relativa aos fenômenos devidos às Habilidades Psíquicas, havidos como naturais, ou, desenvolvidos pelos exercícios mentais. A Psicologia Transpessoal, Quarta Potência nos estudos de Psicologia, sendo a mais atual, aceita a Psicotecnologia usada como exercícios, que desenvolvem reflexos condicionados, que levam aos automatismos, e por sua vez desencadeiam os Estados Alterados de Consciência necessários para aflorar as habilidades psíquicas.

Uma indiscutível volta aos procedimentos mentais e psíquicos eficientes, alguns com mais do que 11.000 anos de existência,evidenciados novamente na era cristã pelo Senhor Jesus.

O processo de auto-hipnose sistematizado por Milton Ericsson como ferramenta de psicoterapia abre as portas para o entendimento e desenvolvimento da Inteligência Intrapessoal e de outras tecnologias mais eficientes, pois para uma inteligência livre de preconceitos, “sempre há outra maneira de se fazer a mesma coisa” (Huna), o que significa expansão de Consciência. Dá a impressão de que de alguma maneira voltamos a entender o que havia na Ordem de Melquisedeque e muito antes dele, e que deu “formação” ao Senhor Jesus.

José Manuel Silva, neto de portugueses e filho de mexicanos imigrantes para os EEUU onde nasceu, desenvolveu-se como hipnólogo além de seus estudos de eletrônica prática. Tendo conhecimentos das práticas dos estudantes da Ordem Rosa-cruz (auto-hipnose), e dos estudos de Max Freedon Long a respeito da Huna, e tendo sido favorecido com a Loteria Norte Americana, contratou serviços de psiquiatras e psicólogos para desenvolver uma metodologia que fosse eficiente como Psicotecnologia baseada em hipnose e em Raja Yoga.

Resultou no Método Silva de Controle Mental, que conheci em 1972, e do qual fui Instrutor desde 1975 e ligado a eles até 1994.

 Tendo a oportunidade de observar o desenvolvimento de 10.000 alunos nos primeiros quatro anos de meu trabalho de aplicação do Método Silva (janeiro de 75 a janeiro de 79), pudemos concluir que se os psíquicos naturais são 3% de uma população, o Método Silva favorece cerca de 5% até 10% dos participantes para que se tornem psíquicos para telepatia em um primeiro ciclo de exercícios. Os enfoques voltados para cura no Método Silva eram posteriores em um Curso Avançado, mas copiando os procedimentos como os “passes” dos espíritas. O método facilitou o desenvolvimento da comunicação subjetiva. Éramos proibidos por contrato de fazer qualquer tipo de alteração no Método.

Com alguma reserva, eu fiz alterações experimentais que foram testadas favoravelmente aumentando muito a eficiência do Método. Uma delas foi converter de maneira muito simples o processo hipnótico em um processo de auto-hipnose, quando as programações e reprogramações cerebrais deixam de ser um processo de imposição, para ser um processo de reprogramação cerebral como Ato Moral Consciente, e que assim tem efeitos mais duráveis. A presença de um instrutor competente e consciente de seu trabalho facilita a autoindução para os que não são naturalmente dotados de Hiperestesia (maior sensibilidade).

 Em 1992 visitei pela última vez José Silva em Laredo, Texas como fazia todos os anos desde 1976, e comuniquei que me afastava da Organização por incompatibilidades com seus sucessores. José me disse que aguardasse dois anos, e também disse: “depois faça o que quiser com o Método”. Saí em janeiro de 1994 e respeitei as clausulas contratuais por dois anos, depois comecei as alterações, que pela prática de 22 anos julguei necessárias para aumentar a eficiência do desenvolvimento da inteligência intrapessoal e interpessoal na comunicação subjetiva quando se trata de maiores do que 28 anos de idade. Hoje, depois de 50.000 pessoas em 43 anos de trabalho em comunicação subjetiva o resultado é outro.

Nesse meio tempo Os Princípios e tipos de enfoques mentais da PNL abriram uma perspectiva na harmonização da comunicação Interpessoal, mas na modalidade objetiva.

Quando por volta de 1976 tomei ciência da Huna, e nós voltamos mentalmente aos primórdios das técnicas e ensinamentos usados há mais do que 10.000 anos, e baseados no Código Huna, associada aos exercícios de Raja Yoga, atualizados pelos conhecimentos científicos, e sob os efeitos da auto-Hipnose Ericsoniana, abrimos mais possibilidades no desenvolvimento da comunicação interpessoal, modalidade subjetiva, para estimular o funcionamento dos outros três níveis de Consciência dificilmente usados pelos humanos.

Mais uma vez está claro que ninguém sobe uma escada sem pisar nos degraus feitos pelos que o antecederam, e merecem todo respeito, mas ninguém pode negar que houve expansão de Consciência com a mudança do modo de associar e utilizar os paradigmas antigos, atualizados e como conjunto, o que justifica o aumento de QI, QE e QS, para qualquer um que faça os exercícios aprimorados.

Um estudioso pode se tornar um iluminado no sentido de ser esclarecido, como resultado da reflexão em cima dos resultados das experiências eficientes. “A eficácia é a medida da verdade!”(Huna).

Também é evidente o ditado da sabedoria Judaica:- “Respeite o idoso que sabe fazer, e economize 40 anos de estudos, tentativas e erros”. Meus eternos respeitos e gratidão a José Manuel Silva. Acredito que faleceu em 2.000 sem ter a exata noção da extensão que seu trabalho pode ter em termos de abertura para a evolução da metodologia.

Conforme propõe a Psicologia Transpessoal, usamos a Psicotecnologia quando instalamos reflexos condicionados para desenvolver automatismos. Usamos Condutismo na orientação dos exercícios mentais. Usamos o Humanismo na explicação de onde vem o potencial de energia que vem de dentro do indivíduo. Usamos a Física Moderna para explicar a troca de energia quântica nos fenômenos de cura, e nos fenômenos de comunicação subjetiva através da Hiperestesia, que proporciona a telepatia, a vidência, e a clarividência por Método cientificamente dosado, que pode ser isento de filosofias e ou religiões como sistemas organizados de forma arbitrária.

São pelo menos 32 até 40 horas de exercícios dosados e de complexidade crescente, e teoria científica simplificada, direta e objetiva, tendo como resultado aprender a formar o campo de energia e de transferir um extra de energia para qualquer tipo de projeto psíquico por enfoque mental adequado, a fim de ajudar doentes e enfermos que se curem.

Além disso, o desenvolvimento de habilidades psíquicas para telepatia, vidência e clarividência, é possível, mas não para todos devido às diferenças de estrutura neurológica, bem como de fisiologia cerebral. No entanto o aumento seu QI de 5% até 25% ajuda a todos nos estudos e na eficiência do trabalho desenvolvido. Faça os exercícios e as experiências que sendo eficientes dão o conhecimento a respeito de ajuda a doentes e enfermos, o que é possível para todos, e a respeito dos fenômenos de Hiperestesia, denominados telepatia, vidência e clarividência.

Imaginem as dificuldades dos antigos, pois ainda hoje algumas disciplinas que herdamos dos orientais são sete anos de exercícios. E na Ordem de Melquisedeque para chegar a Sumo Sacerdote? Seriam 18 anos, dos 12 aos 30 anos? Com a Psicotecnologia moderna podem ser de 32 a 40 horas, depois disso é a aplicação e a perseverança no desenvolvimento pessoal da Espiritualidade, como Ser Criativo e Construtivo, como se supõe que a Divindade seja, e honesto puro limpo bom e positivo como convém ser em relação aos semelhantes.

Alberto Barbosa Pinto Dias, Bacharel, Licenciado, Especialista, USP 1955

Postado em : Caminhos da Psicologia

Deixe sua mensagem

Seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios são marcados *

*

.