Aos Profissionais da área de Biociências –  Introdução ao Estudo do Desenvolvimento Mental e Psíquico

Aos Profissionais da área de Biociências – Introdução ao Estudo do Desenvolvimento Mental e Psíquico

Aos Profissionais da Área de Biociências

 Introdução ao Estudo do Desenvolvimento Mental e Psíquico

Linguagem abrangendo os diferentes tipos de entendimento Humano

 

Costumo Ser prático. Não me interesso por pressuposições nem em suposições baseadas em pressuposições. Desconsidero as fantasias. Estudo os Mitos para encontrar o que há de prático, com possibilidades de observar, analisar e repetir de modo controlado todas as possibilidades fenomênicas que eles sugerem.

Com o treinamento que posso ministrar, apresento a todos participantes as possibilidades de resultados práticos relacionados às Habilidades Psíquicas, sem envolvimentos emocionais, nem a necessidade de desculpas aos que não alcancem a meta proposta. Cada um é um indivíduo. Com técnicas bem desenvolvidas e fixadas no Banco de memória, elas podem ser ajudadas com energia emocional positiva para obter resultados quando a ação é psiquicamente subjetiva, pois a emoção de Amor constrói. Emoção é a expressão de uma reação a um sentimento, é individual e intransferível em quantidade e qualidade.

Cada pessoa tem seu modo de reagir, mas o autocontrole com compaixão ajuda em qualquer tipo de ação humanitária, ou não. A compaixão é algo introspectivo, e qualquer expressão através de gestos palavras e atitudes, com ou sem controle, são dispersões da Energia que poderia ser direcionada e útil se mantida em um enfoque mental adequado e introspectivo.

Ofereço um Treinamento com 32 horas de exercícios mentais que dão resultados objetivos e eficientes para Desenvolvimento Mental e Psíquico e que proporcionam além de autocontrole a oportunidade de ter mais Conhecimento. A regra adotada para as ações que proporcionem resultados é:- “A eficácia é a medida da verdade”. O Conhecimento é a Conscientização que resulta da reflexão baseada nos resultados eficientes dos exercícios. Informações dão cultura para explanação oral. Conhecimento dá condições de fazer e ou produzir algo objetivo, mesmo que seja por ação subjetiva.

É preciso distinguir Cursos de Treinamentos. Cursos são predominantemente teóricos, às vezes com algumas práticas cujos resultados suportem as pressuposições e suposições apresentadas. Cursos podem ser baseados em alguma Filosofia pura, ou filosofia convertida em Religião.

Treinamentos são predominantemente práticos, com algum suporte teórico científico para entendimento do porque das ações a serem feitas e dos resultados a serem obtidos. Aprender a dançar, por exemplo, é através de treinamentos, que depois de bem estabelecidos os automatismos e reflexos condicionados, já conhecidos cientificamente, o indivíduo pode acrescentar o emocional e entrar em estado alterado de consciência tão agradável quanto é a meditação passiva. A vantagem da dança com movimentos automáticos depois de estabelecidos os reflexos condicionados, é a de estar fisicamente ativo e mentalmente descontraído.

Em nosso treinamento também estabelecemos automatismos e condicionamentos, porem mentais, e depois dos mesmos, os processos mentais (enfoques adequados) são operados “em estado alterado de consciência”, nome que se dá aos estados mentais em que há energia de alta frequência disponível no cérebro. Sem os “estados alterados de consciência” não há como obter o desenvolvimento de habilidades psíquicas e seus resultados objetivos.

A diferença entre enfoques mentais introspectivos e estabilizados por condicionamentos mentais, que facilitam a descontração está em que o indivíduo se descontrai, sem a necessidade dos automatismos físicos que exigem movimentos repetitivos, liberando as memórias indesejáveis associadas às contraturas musculares, desde que possamos estar física e mentalmente descontraídos. Podemos renovar as memórias físicas musculares e cerebrais, com reprogramação por enfoque mental adequado positivo, além de proporcionar a Integração da Consciência em seus três aspectos.

Nos treinamentos para desenvolvimento mental, as pessoas fazem exercícios de integração dos três aspectos da Consciência, e com isso podem ter experiências psíquicas com resultados eficientes. Com os resultados individuais que podem ser comparados com os resultados dos demais do grupo, podemos discutir as possibilidades de explicação teórica para os fenômenos produzidos de modo mais razoável e provável. Em função dos resultados podemos levantar hipóteses e formular novas hipóteses se as apresentadas não forem as mais razoáveis e as mais prováveis.

O objetivo maior do treinamento é desenvolver a capacidade de produzir habilidades psíquicas que, resultem em fenômenos que são observados como ocorrência normal e natural em uma pequena amostra da população, e possibilitar de modo cientificamente controlado que uma maior amostra da população também tenha acesso aos mesmos. Para isso dispomos de uma metodologia cientificamente dosada com exercícios em complexidade crescente, aprimorados durante 43 anos.

Habilidades Psíquicas: Magia ou Milagres?

Os fenômenos mais comuns, que podem ser observados são os devidos a uma forma de energia projetada por enfoque mental adequado e aprendido, cujas frequências vibratórias estão além dos limites de sensibilidade e mensuração da aparelhagem dos físicos, energia essa que produz alterações objetivas no material existente na terceira dimensão. Assim podemos observar a influência da energia desse tipo em pessoas, animais, vegetais e minerais.

As mais conhecidas influencias sobre pessoas são as projeções de energia para ajudar doentes e enfermos que, aproveitando esse extra de energia recebida, tenham melhora evidente e se curem. Há outras formas de ação psíquica com projeção de energia quântica que merece reflexões a parte.

 Menos comuns, mas ainda bem conhecidos são os fenômenos de troca de informações por imagens, ou, por intuições, diretamente de cérebro para cérebro e são conhecidos como telepatia, vidência e clarividência. Esse conjunto de fenômenos, mais o de influência sobre pessoas, animais e plantas, era conhecido na antiguidade como Pequena Magia.

Há fenômenos psíquicos que são conhecidos como Grande Magia, tais como desmaterializar líquidos e sólidos, tele transportar por enfoque mental adequado e, rematerializar intencionalmente em um local pré-escolhido. Outro é o de influir mentalmente nas forças da natureza, fazer chover, fazer parar a chuva deslocando as nuvens para outro lugar, parar o vento e amainar a tempestade.

Assim sendo, Magia nada mais é do que um rótulo dado às habilidades psíquicas de mobilizar uma gama de oitavas de frequências vibratórias, que não são detectadas pela aparelhagem dos físicos, nem pelas pessoas de menor sensibilidade neurológica, mas que são devidas aos enfoques mentais adequados, feitos por Consciências que aprenderam a operar mentalmente com energia vibratória de diferentes dimensões.

Naturalmente, esses rótulos tradicionais dados aos fenômenos que são devidos às habilidades psíquicas, podem ser mudados de acordo com as circunstâncias e os interesses que estão em jogo em algum sistema organizado, aonde eles, os fenômenos, sejam importantes devido a alguma filosofia adotada no local, ou, a pessoa de quem procedem as habilidades.

Na Linha do Tempo:

Os dados e informações provenientes das civilizações que nos antecederam, obtidos através de pesquisas feitas na Tradição Oral e Escrita, nos instruem de que, fenômenos relativos às habilidades mentais e psíquicas existem em qualquer amostra de indivíduos de uma população há mais do que 11.000 a. C. Essa ocorrência dá-se em todas as culturas existentes no Planeta Terra, e na média, os mais dotados de forma natural em uma amostra da população são no máximo 3%. Pelo treinamento podemos chegar até a 90% se for insistido e repetido.

A mais longínqua das informações a respeito de habilidades psíquicas que estão nas Escrituras da Bíblia, é no Velho Testamento a respeito de Melquisedeque Rei de Salem que viveu há 2.700 a. C. Nessa sequência estão os relatos dos feitos de Moisés para convencer o Faraó de sua retirada do Egito, depois os profetas como Elias e Eliseu, depois os grandes feitos conhecidos como Milagres do Senhor Jesus, o qual é mencionado em Hebreus (5, 6, 7) como o Sumo Sacerdote da Ordem de Melquisedeque, o que sugere que, Melquisedeque deixou discípulos, os quais fundaram uma Ordem, na qual o Senhor Jesus foi o Sumo Sacerdote 2.730 anos depois do mesmo Melquisedeque.

Informações relativas às habilidades psíquicas fora da Bíblia e anteriores a ela, podem ser encontradas na tradição oral dos polinésios, a qual foi coligida no Havaí por Max Freedon Long, psicólogo e ex-pastor batista. Há referências à existência das mesmas habilidades psíquicas há mais do que 11.000 anos. Quando houve o desembarque do capitão Cook no Havaí, havia muitos Kahunas, que em havaiano significa “os donos do segredo da mobilização de energia psíquica”. Convém ler os relatos de Max Freedon Long em “Milagres da Ciência Secreta” e, refletir muito no que ele se refere como sendo Magia, principalmente no resultado do choque entre as diferentes culturas, quando os nativos foram perseguidos pela “justiça” dos religiosos adventícios enciumados das suas habilidades.

Também há toda a tradição da civilização egípcia, com as comprovações de que havia conhecimento dessas habilidades a partir de 6.000 anos a. C. e com um incremento de ações para desenvolvimento psíquico em 2.800 a. C. com as ações de Inhotep e a construção da Pirâmide de Sacara. Aos poucos, as informações a respeito do nível de conhecimento dos egípcios em relação ao psiquismo, foram sendo desvendada a partir do século XVIII. Temos dados e informações a respeito do desenvolvimento da Yoga e seus resultados na Índia a partir de 4.000 a. C.. Buda, sua Filosofia e ações em 600 a. C. No ano Domine o nascimento do Senhor Jesus e depois os seus milagres relatados nos Evangelhos, que foram escritos posteriormente à vida terrena do mesmo. É preciso ter em mente que as ações sempre precederam em centenas de anos as suposições que as expliquem.

Desde que o homem percebeu que tem uma vida psíquica com toda uma vivência subjetiva, e diante da observação objetiva de fenômenos que não tem explicação objetiva, mas sugerem a movimentação de energia de uma dimensão fora das três dimensões objetivas, possibilitaram ao mesmo imaginar a existência de entidades como formas de energia, sem expressão material, nessas dimensões fora da dimensão do físico.

Está claro que a inveja mata em qualquer época, e como exemplo também o Senhor Jesus foi morto a pedido dos Sacerdotes, sempre competentes só para fazer discursos sem nenhum resultado prático. Houve um período na História Universal, relativa à Europa e depois nas Américas, em que as pessoas que apresentassem habilidades psíquicas fossem perseguidas pela Igreja Católica Apostólica Romana, período esse conhecido como do obscurantismo. O tempo passou e as Leis Sociais mudaram e impediram as perseguições com morte.

Alan Kardec desenvolveu uma Filosofia baseada na perspectiva de que as habilidades psíquicas fossem devidas à ação de espíritos amigos desencarnados que favorecem os encarnados, para assim explicar os fenômenos psíquicos observados, e sua Filosofia foi publicada em 1856. No Brasil há um grande número de adeptos dessa filosofia que também se tornou religião com mais do que dois milhões de adeptos.

Uma grande importância é dada no meio espírita a pessoas que naturalmente façam transferência de energia para ajudar doentes e enfermos, e são denominadas de médiuns de cura. Também recebem muita importância, as pessoas que de modo natural sejam eficientes em telepatia vidência e clarividência, sendo denominados de médiuns videntes e clarividentes.

Essas dimensões, fora da dimensão de frequências vibratórias da dimensão material, denominam-se vulgarmente “dimensões espirituais”. Na antiguidade, quando ainda não havia a palavra Energia, o princípio geral de todas as ações era denominado de Espírito e Virtude e seus possuidores eram denominados Carismáticos. Para melhor entendimento, o termo Espírito, em física, é sinônimo de Energia, pois a palavra Energia tem apenas 400 anos, e conceitua “uma capacidade de exercer trabalho”.

Espírito vivente é a forma de Energia que se manifesta através da existência de Energia obtida das Reações Químicas Vitais. Com certeza muitos “médiuns de cura” usam sua energia vital convertida em energia quântica por enfoque mental adequado, natural ou aprendido, ao fazer as transferências de energia de seu corpo para o do doente e ou enfermo. A falta de moderação leva ao Stress.

Sem a presença das Reações Químicas Vitais não observamos nenhum tipo de fenômenos psíquicos que possam ser objetivos, ou, subjetivos que sejam comprovadamente relacionados ao indivíduo que já perdeu a vitalidade e ou a Consciência. “Médiuns” que já passaram da idade de doação com reposição de energia de modo natural pelo sono, cercam-se de “doadores de energia” em seu ambiente de atuação. Há muitos exemplos dessa situação.

Podemos entender a Consciência como sendo um Campo de Energia Inteligente e que exerce vontade própria. O nível de Consciência de um indivíduo depende do nível de dados e de Informações que a Consciência do mesmo disponha, bem como do nível de Conhecimentos obtido através de experiências pessoais com resultado eficiente.

O nível de Consciência relativo aos dados e informações recebidas e vivenciadas, depende ainda do nível de entendimento, ou seja, da capacidade que o indivíduo tenha de perceber o significado lógico das informações e, da percepção que tenha de qual seja a perspectiva sob a qual a informação foi passada. Ainda, em grau superior, há o nível de Consciência em avaliar outras perspectivas que possam modificar o entendimento das informações que foram passadas e suas consequências.  

Informação passada como sendo Verdade e acreditada como verdade, é Crença. Informação passada com base em resultados de experiências cientificamente controladas é Ciência, é o resultado do Conhecimento Científico.

As Crenças constroem a Realidade Mental dos que as tem como sendo verdade, pois usam o que é lógico e até razoável, mas Não Consideram o que seja provável, pouco provável, ou mesmo improvável. O Mundo Mental dos que usam a ciência é uma Realidade construída com o que seja lógico razoável e provável. Essa diferença de entendimento por diferenças na realização mental é motivo de discordâncias e discórdias entre pessoas, pois os pensamentos seguem rumos diferentes para percepção e Conscientização nos diferentes tipos de Realidade.

É evidente que o jogo intelectual que o indivíduo faz, quando considera as possibilidades decorrentes das diferentes perspectivas em relação a alguma informação que tenha recebido, depende da sua capacidade de imaginação, pois esta limita a capacidade de percepção necessária para tanto.

A idéia da possibilidade de que as raras pessoas bem dotadas e capazes de produzir fenômenos psíquicos, fossem ajudadas por alguma dessas entidades de outras dimensões, gerou o temor, o respeito ao desconhecido, alem do temor, ou, respeito a essas pessoas mais bem dotadas para ações mentais e psíquicas, que pelas suas habilidades, elas passaram a serem guias espirituais dentro da psicoreligiosidade desenvolvida em uma população dessa cultura.

Com isso, dois tipos de Poder se estabeleceu de início, o poder pela força física, representado pela figura do Cacique, do Xerife, do Samurai, do General ao Soldado armado, etc. e, o Poder Psíquico pela possibilidade de projeção de energia de modo subjetivo, por enfoque mental adequado, tido de modo natural, espontaneamente, ou, obtido por treinamento, pelo Pagé, Pitonisa etc.

Não vamos discutir as ações da força física porque ela é evidente por si mesma, e nem o poder sugerido a respeito de um poder de governo eleito e seus exércitos e polícias, nem do poder psíquico sugerido para as divindades que sejam Incognoscíveis, Insondáveis e Inescrutáveis, mas podemos discutir “o poder que vem de dentro” de algumas pessoas, com projeção de energia de alta frequência vibratória que é produzida por enfoque mental adequado e com resultados objetivos.

Todos os grupos culturais do planeta apresentam algum tipo de psicoreligiosidade que difere de grupo para grupo, mas em todos os grupos há alguns indivíduos com algum tipo de habilidade psíquica, que em todos eles, depende de algum tipo de comportamento que obedece a um mesmo padrão e que expressa “um estado alterado de consciência”, vulgarmente entendida como transe.

Fica evidente que as habilidades psíquicas independem do tipo da psicoreligiosidade apresentada, apesar de que em muitas culturas há a crença de que estejam associadas à sua própria psicoreligiosidade. Há indivíduos que não acreditam em nenhuma divindade, não participam de nenhum movimento ou grupo que expresse psicoreligiosidade, e, no entanto, apresentam habilidades psíquicas similares aos demais que acreditam.

A evolução natural de uma criança como indivíduo, para o estado de adulto, passa por diferentes estágios de desenvolvimento físico e fisiológico, nos ossos, na musculatura, nas glândulas, e no desenvolvimento do Sistema Nervoso, especialmente com a formação e ativação de diferentes circuitos neurológicos no cérebro e as alterações em sua fisiologia.

Quando a criança é menor do que sete anos não racionaliza. Não tem capacidade de raciocínio indutivo e dedutivo. Apenas faz deduções, mas não analisa de modo crítico. Aceita tudo que lhe é informado como sendo verdade, portanto é altamente sugestionável. A criança tem um comportamento psicológico que é igual ao de um adulto, se for hipnotizado de nível médio a profundo.

Podemos dizer que a criança vive fisicamente desperta, mas sob um estado mental de hipnose. É nessa idade em que se estabelecem as Crenças. Quando ao crescer, se ela recebe novas informações e tem oportunidade de treinamento lógico e racional, com oportunidade de analisar e avaliar o que seja lógico razoável e provável, separando do pouco provável e improvável, pode se livrar de Crenças que sejam limitantes. Assim sendo, a seguinte declaração do senhor Jesus faz sentido: “Conhecereis a verdade e a verdade vos libertará”, “De tudo examinai e retende o que for bom…”, no mínimo das pressuposições e suposições baseadas em pressuposições.

Podemos observar que em grupos humanos mais primitivos, onde não há treinamento no sentido de desenvolver o raciocínio lógico, racional e analítico, se algum pai ou mãe tem habilidades psíquicas, e tem um filho que ele perceba que é mais sensível, ensina o mesmo, desde a primeira infância, a desenvolver habilidades psíquicas. Isso é comum nas sociedades tribais, mais recentemente observadas no Havaí e nas Montanhas Atlas no Norte da África.

Temos informações de que os egípcios há mais do que 2.800 a. C., selecionavam crianças para o aprendizado e o desenvolvimento de habilidades psíquicas. Havia locais especiais para isso nos templos. Sempre é bom lembrar que o menino Jesus chegou como bebê no Egito, e ao voltar com 12 anos para Jerusalém, a fim de seu Bar Mitzvá, surpreendeu os doutores da Lei no Templo, com seus conhecimentos, pois na época havia uma grande diferença cultural entre Egito e Israel. Ao voltar com os pais para o Norte, Nazaré se encontrava um pouco depois de Salem… Cabem reflexões.

Imaginem que eu disponha de 100 pessoas, como uma amostra de uma população de onde se possam aferir resultados em função de um percentual, e se for o caso, sob o controle de psicólogos e médicos com interesse nesta área de assuntos psíquicos, mas que estejam em meu laboratório. Digamos que os 100 indivíduos estejam dispostos a receber treinamento. São indivíduos porque, são geneticamente diferentes, com formas e fisiologias apenas semelhantes, mas não iguais.

Todos têm cérebros com circuitos neurológicos, não exatamente iguais sob o ponto de vista morfológico e nem igualmente funcionais em todos os seus circuitos, e ainda, nem todos igualmente treinados em práticas de raciocínio lógico e imaginação controlada. Consideremos ainda que nos indivíduos variem os conteúdos informáticos.

Dou um treinamento a todos, igual em conteúdo e em horas de exercícios mentais, e com a finalidade de, supostamente, ativar neurologicamente a todos os circuitos cerebrais existentes no cérebro de cada um. Dependendo do genoma, da alimentação básica adequada, do descanso usual, da idade cronológica, da idade biológica, do desgaste já ocorrido, e teremos respostas semelhantes, mas diferentes na qualidade como resultados para serem comparados.

Se uma pessoa é jovem, menor do que 28 anos, dorme bem de modo adequado e, se ela se alimenta de modo correto, não fuma, não é viciada nem em álcool e nem drogas, tem toda chance de ter sucesso no treinamento que não envolve nem filosofia, nem religião, nem política, nem futebol, ou, em outras palavras, o sucesso pessoal da tecnologia aplicada não depende de envolvimento emocional, mas depende da Motivação e do Interesse no Resultado Prático.

Depois de aplicar a Metodologia em aproximadamente 50.000 pessoas em 43 anos, nós observamos que os bloqueios que impedem bons resultados são o medo sem causa aparente que impede o indivíduo de aceitar ao menos fazer o treinamento, ou, sugestões que partam de religiosos que ignorem ou rejeitem qualquer processo científico que venha a desmascarar alguma crença ou mito.

Também há pessoas que chegam a fazer o treinamento, mas em função da posição social, ou, de atitudes e ou posturas anteriores que sugerem grande “espiritualidade”, temem fazer o teste final que possibilita aferir se já conseguiram desenvolver a habilidade psíquica para Telepatia, Vidência e ou Clarividência. A soberba “espiritual” que resulta em medo do cheque mate atrapalha os resultados. Pessoas de espírito simples, sem pretensões prévias, tem melhor resultado. Adolescentes são os melhores.

Se uma maioria conseguir desenvolver a capacidade de mobilizar energia para ajudar doentes e enfermos depois de 16 horas de treinamento, podemos dizer que essa maioria está fazendo enfoques mentais adequados em um segundo nível de consciência, não usual, para mobilizar energia de uma dimensão de frequências vibratórias fora da terceira dimensão, usualmente denominada Energia Quântica pelos físicos teóricos. Médiuns de cura? Pode ser. São apenas rótulos adotados em sistemas organizados de forma arbitrária.

Se esses indivíduos forem treinados por mais 16 horas e uma maioria conseguir ter experiências do tipo telepatia, vidência, clarividência, nós podemos dizer sem erro que essas pessoas estão fazendo enfoques mentais adequados em um terceiro nível de consciência, mobilizando energia quântica em duas mãos de direção, pois há troca de informações de cérebro a cérebro de modo direto, sem utilização dos órgãos dos sentidos convencionais.

A energia mobilizada para emissão e recepção Telepática, Vidência e Clarividência por enfoque mental diferenciado é Energia de uma dimensão de frequências vibratórias diferente das usuais da terceira dimensão, e diferente da utilizada na dimensão em que os enfoques mentais proporcionem habilidades psíquicas com efeito objetivo sobre a matéria.

As experiências que mostram a troca de informações subjetivas entre dois cérebros permitem concluir que a energia quântica mobilizada por enfoque mental adequado, flui em duas mãos de direção.

Pessoas doentes, debilitadas fisicamente, com neurônios prejudicados em função de álcool ou drogas, ou ainda deficientes por desnutrição, ou, por stress, podem fazer o treinamento no sentido de buscar uma melhora no estado físico e mental, mas não podem esperar resultados em projeção de energia e nem em ter facilidades para maior percepção subjetiva, se bem que tudo é possível. O treinamento dado nessas condições deve ser feito em separado, em grupos relativamente pequenos para controle.

De outro lado indivíduos saudáveis com idades entre 11 e 21 anos de idade cronológica, e alguns até os 28 anos, encontram mais facilidade em desenvolver habilidades psíquicas e com certeza um aumento de QI de 5% até 25%, dependendo da estrutura física e fisiológica e do estado de saúde.

De um modo geral, todos os indivíduos saudáveis têm condição de desenvolver habilidade psíquica para projeção de energia por enfoque mental adequado, mas Nem Todos os indivíduos têm condição de desenvolver habilidades psíquicas relativas à projeção e recepção telepática, vidência e clarividência, pois ao que parece, dependem de uma maior estabilidade de enfoque mental com o cérebro trabalhando com predominância de pulsações em nível Alfa. Se o indivíduo tem a tendência de fazer análise crítica durante a percepção, desestabiliza os pulsos Alfa e predominam os pulsos tipo Beta.

Observamos também que um maior número de indivíduos de tipo sanguíneo B a AB têm mais facilidade para este último aspecto, mas não exclui as possibilidades para os demais tipos sanguíneos.

Coincidentemente, sabemos que o tipo O é da linhagem humana mais primitiva. O tipo A é mutante a partir do O, portanto cronologicamente uma linhagem mais recente do que a dos indivíduos do tipo O. O tipo sanguíneo B é mutante a partir do tipo A e, o tipo sanguíneo AB resultado do cruzamento de indivíduos A e B. Há uma informação e que o Senhor Jesus era de sangue tipo AB (Vaticano). Cabem mais observações e reflexões nas declarações do Senhor Jesus, escritas por João no capítulo 14 de seu Evangelho, e estudar todas as perspectivas cabíveis na interpretação do versículo 12 desse capítulo 14, e que satisfaçam as condições de Paulo, na 1ª Epistola aos de Corinto, Cap. 2, verso 4.

Para concluir, sob o ponto de vista da linguagem usada em psicologia, o treinamento é baseado em exercícios que proporcionem a ativação do relacionamento entre o Consciente e o Subconsciente até que haja perfeita integração, com reforço de Ego, e mais autoconfiança. Depois, uma perfeita integração do Ego com o Eu mais profundo, ou, integração do Consciente, Subconsciente e Superconsciente. Dessa Integração resulta no domínio do aspecto Consciente da Consciência em relação aos demais aspectos da mesma.

O resultado final é como o Senhor Jesus dizia:- “O Pai em mim opera as obras”, afirmação essa que tem explicação lógica razoável e até provável na integração dos três aspectos da Consciência com integridade. Na antiguidade o Pai, ou, Espírito Paternal, ou, Eu Superior e, agora, Superconsciente são sinônimos. O Superconsciente é o aspecto que permite a integração do individuo com a Energia Cósmica, ou, se quiserem, com o Espírito Santo de Deus, para os que preferem essa denominação.

Fraternalmente, Alberto Barbosa Pinto Dias, Bacharel, Licenciado, Especialista, USP, 1955.

apresentacao

Postado em : Justificando as Práticas

Deixe sua mensagem

Seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios são marcados *

*

.