ANTIGUIDADES E ATUALIDADES

ANTIGUIDADES E ATUALIDADES

Antiguidades e Atualidades

Conto com o bom humor dos leitores. O bom humor nos livra de criar o hábito da tristeza, e ainda bem que o povo brasileiro é ágil nesse aspecto. Não há assunto sério que não se transforme em piada, nem mesmo as desgraças das excrescências do triangulo de ferro, que impõe sinecuras e impostos.

 Tapar o sol com a peneira é fácil, basta sugerir aos crédulos sérios e que estão por fora da linha do humor, que há duas causas primordiais para tudo o que acontece: Deus e o demônio, que são parte das realidades pessoais que povoam a mente de todos nós e facilitam descartar a culpa por não assumir responsabilidades pessoais. Assim sendo, peço que também não me levem a sério.

Graças à competição de Poder e Economia que há entre todo tipo de Sistema Organizado de forma arbitrária, e entre si em suas hierarquias que povoam cada sistema dominante, os intelectuais, mas não os pragmáticos, têm com as suas diferentes tendências intelectuais, artísticas e religiosas, todo material necessário para seus vôos literários, que no máximo distraem a atenção dos relativamente poucos leitores em uma população, desviando-a do fulcro dos problemas mais sérios ventilados parcialmente.

Os poetas e romancistas que escrevem para o povo como se tivessem o olho de Deus e fazem sucesso, mirando de um nicho, ou de uma academia, repetem idéias e pensamentos milenares no mesmo nível de um pregador de esquina, que baseado em escritos, grita na praça coisas do tipo: “Venham ao meu templo, pois eu é que tenho a única religião que é verdadeira.”, ou, o deslumbrado que apregoa que só a sua Ordem leva as pessoas e suas Almas a se fundirem com o Cosmo.

O que mais excita as gentes são as teorias conspiratórias. Teoricamente os principais instigadores não são as crenças e os cultos religiosos, nem são as sociedades secretas, pois muitas não passam de marionetes nas mãos dos banqueiros internacionais. O que instiga a alertar sobre motivos secretos é a adrenalina que as incertezas causam no físico dos que gostam de filmes de terror.

Observem que todas as elites, as analfabetas e mesmo as alfabetizadas que se mantenham no poder, sofrem de falta da orientação que se caracteriza pela falta de bom senso. A desorientação é progressiva e quanto mais tempo de poder mais sofrem. O poder se cerca de bajuladores e de mentirosos, uns para ganhar posições e favores e outros para escapar de sanções punitivas.

A realidade pessoal dos dirigentes fica distorcida do mundo real que os cerca. Todas as estruturas hierárquicas de todos os sistemas arbitrários são piramidais, e o ápice da pirâmide se alimenta do lixo moral de quem a constitui nas posições que têm mais acesso ao Poder.

Todo Sistema Organizado de forma arbitrária tem o Poder assentado em níveis de força e de fraude. A extorsão, e a força bruta usada para manter a extorsão e a usura. Baseado no principal há outros níveis mais baixos que obedecem ao mesmo esquema. Não faltam advogados que os defendam, não das culpas, mas das falhas nas brechas da Lei.

Todos os níveis apresentam explicações lógicas e até razoáveis para seu tipo de ação. O mais cara de pau é a sugestão que resulta em: ”ele rouba, mas faz”, expressão essa sugerida pelos acólitos de um ex- interventor paulista, doutor nos dizeres bíblicos:”divida o dinheiro da iniquidade, para que quando vierem os maus tempos, não te vejas só”. Ele fez escola.

Todos nós temos a tendência a uma impressão infantil de sobrevivência, que em alguns se torna robótica quando falta o desenvolvimento intelectual. Uma é a produção de circuitos neurológicos que mantenham a autoconfiança associada à dependência de otimismo, que se necessário sustenta a cara de pau do líder psicologicamente primário mentiroso sem moral nem ética.

Outra é o circuito neurológico, evidente nos indivíduos intelectualizados e maduros, programados dentro da moral e da ética desde o berço, que é o da existência de uma suspeita que desencadeia o medo e que proporciona a fuga da situação.

A iluminação que provém do esclarecimento, eliminando ao máximo a ignorância relativa dos fatos, diante de uma situação crítica, dá condição de superar os mecanismos robóticos infantis, por uma ação que resulta de uma atividade do córtex cerebral e com bom senso.

Quando a elite do analfabetismo funcional se depara com uma situação crítica, se esconde, sai de cena, e nega de modo infantil, mas não larga o osso. Outra é à saída dos espertos corporativistas, como a votada em um Congresso para salvação de seus pares que falharam de modo moral e ou ético, mas podem voltar à corporação.

Quando uma verdadeira elite intelectual depara com uma situação crítica que não vê solução, senão a destruição imediata do Sistema pode escolher se retirar de modo elegante preservando a integridade física e moral pessoal.

Fiquei impressionado com a mudança de expressão na fisionomia do Papa durante sua declaração ante de abdicar do trono de São Pedro. Então foi que me Lembrei daquele Papa que foi deitar, tomou um chá que lhe deram e dormiu para sempre. Só não entendeu quem não quis.

Os que tem poder, ou monopolizam armamento, e os tesouros do subsolo, ou, monopolizam a terra e seus produtos, ou ainda monopolizam a moeda como valor de troca.

Depois dos poderes relacionados com a matéria, veio o Poder Mental ligado à sugestão, depois os ligados à informática e à comunicação.  Ninguém pode hoje em dia ganhar um duelo atômico.

Há ainda uma forma de poder mental que está restrita, talvez propositalmente, pela ignorância relativa e pelas programações mentais de Crenças Limitantes, que é a devida a mobilização de energia quântica por enfoque mental adequado. Este foi a herança do senhor Jesus, mal entendida pelos mentores espirituais, e epressa por João em seu Evangelho: Capítulo 14 verso 12. Um grupo espititualizado poderia abolir todos os demais poderes.

 Alberto Barbosa Pinto Dias, Especialista, USP – 55.

Postado em : Comportamento humano

Deixe sua mensagem

Seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios são marcados *

*

.