A propósito de “Curadores” e de “Videntes”

A propósito de “Curadores” e de “Videntes”

 A propósito de “Curadores” e de “Videntes”

 

“Eu disse: vós sois deuses, e vós outros são todos filhos do Altíssimo”.

Salmo 82: verso 6, do Antigo Testamento. Todos são filhos de Deus, mas alguns são pequenos deuses. Os demais podem se converter em pequenos deuses, em determinadas condições. Jesus confirma os dizeres do Salmo 82, em João 10: versos 34, 35, mas leia atentamente os verso 36, 37.

Pequenos deuses são todas as Consciências que nasceram com o dom de mobilizar uma forma de energia, por enfoque mental adequado no cérebro, a qual sendo aplicada por visualização (por imagens) se converte em uma força capaz de agir sobre outro cérebro de modo subjetivo, ou na matéria de modo objetivo, produzindo alterações no comportamento e/ou na matéria (colapso de estado). Quem não nasceu com o Dom pode desenvolvê-lo com treinamento.

 A única objeção a que todos se desenvolvam sem  a devida orientação é o uso que poderiam fazer depois desse conhecimento. Jesus adverte seus discípulos, como estão em Mateus, 10: os versos 8, 9, 10…

De onde vem o Poder? “Não sabeis vós que sois os templos de Deus e que o Espírito de Deus habita em vós?” Paulo, 1º aos de Corinto, capítulo 3, verso 16. Assim sendo “o Poder vem de dentro”, do “reino dos céus”, segundo ensinava o senhor Jesus, que está dentro de vós.

O conceito de “reino dos céus” é antigo. Segundo á tradição oral milenar dos africanos de língua Ioruba, o reino dos céus, ou Orum Mila, é um lugar dentro da cabeça onde vivem os mortos (na lembrança por imagens), as fadas, os duendes, e os Mitos (nas fantasias da imaginação criativa). O mesmo se dava entre os polinésios e havaianos, onde o reino dos céus era denominado Milu.

A energia flui para onde o pensamento vai (por imagens). Por essa razão Ele afirmava “não percais tempo em vãs repetições” (falação), “e se nada mais souberdes, antes orai: “Pai nosso que estais nos céus, santificado seja o Vosso Nome’” “Vem a nós o vosso reino (Poder)”. Leia 1º aos de Corinto, capítulo 6: 19 e entenda a razão dessas frases grifadas. “

É nesse nível de imaginação que também fazemos sintonia com as condições cósmicas que nos dão as condições de pequenos deuses. “Vem a nós o vosso reino (Poder)”. “e seja feita a Vossa vontade, assim na Terra como nos céus” (que aconteça na Terra o que está sendo elaborado como imagem no cérebro pela Consciência em sintonia com o Espírito Santo de Deus).

O Senhor Jesus sabia como agir e ensinava como agir. Em João capítulo 14, verso 12, o Senhor Jesus afirma que todos podem fazer o que ele fazia, mostrando a humildade do Sumo Sacerdote da Ordem de Melquisedeque, dado seu conhecimento de causa e efeito pela prática que aprendeu, em algum tempo, entre os 12 anos de idade e os 30 anos.

O conhecimento esclarece e elimina a Ignorância, como “o maior desafio da humanidade”. Agora vamos entender sob a perspectiva de quem vive em 2017.

Somos uma Consciência que habita um Corpo Físico e que conduz o físico por meio de enfoques mentais. A Mente é um Instrumento da Consciência que permite que esta realize os enfoques no cérebro, produzindo as ideias, pensamentos, e determinando as ações voluntárias.

Os cérebros são como uma máquina, como um computador cibernético, e seu funcionamento depende da nossa Consciência e de como com ela fazemos os enfoques mentais.

Todos têm um nível de Consciência que permite a comunicação com o Mundo Exterior Consciente, por meio de enfoques mentais conscientes nas percepções resultantes dos Enfoques Objetivos feitos pelos órgãos dos sentidos, como visão, audição, olfação, gustação e tato.

Nossas respostas aos estímulos provenientes do meio ambiente acontecem pelas secreções glandulares e contrações musculares comandadas pelo nível de percepção Interior bem como pelos enfoques mentais como resposta.

 Respostas, bem-sucedidas e repetidas, desenvolvem automatismos. Os automatismos geram respostas neurológicas de maior potencial de energia, devidas à retroalimentação, e que facilitam as ações psíquicas e físicas subsequentes.

Temos um nível de Consciência que permite Enfoques Mentais Subjetivos quando estamos introspectivos, onde é o nosso Mundo Interior Consciente. Com isso desenvolvemos a capacidade de imaginação criativa a tal ponto que o nível da capacidade de percepção depende do nível da capacidade de imaginação.

Há muito tempo passado, mais do que 11 mil anos, algumas pessoas descobriram que, com os enfoques mentais introspectivos e relativos à imaginação criativa, podiam mobilizar energia de uma dimensão acima da dimensão da matéria. Essa mobilização de energia de maior frequência podia produzir alterações nas funções de vegetais animais e pessoas, assim como alterações na própria matéria mineral.

Assim sendo, desde o início, não havia uma explicação científica para os fenômenos decorrentes da ação de uma Consciência funcionando em outra dimensão de frequências vibratórias, um nível de Consciência que, quando Introspectiva, convertia energia vital de terceira dimensão em energia de altíssima frequência vibratória, que poderia agir próximo ou distante de onde estava o físico.

 Também, por sintonia com outra dimensão, nossa Consciência pode usar a energia desta sem desgaste do físico. Uma terceira fonte de energia são pessoas, que estando em grupo, dão permissão e intencionam ajudar.

A partir do momento em que os físicos teóricos desenvolveram as hipóteses e depois a teoria quântica, relativa à energia que funciona como pré-matéria, e que entenderam que a Consciência do Homem é um Campo de Energia de frequências vibratórias mais elevadas do que as da energia quântica, eles entenderam e explicaram como a Consciência Humana é capaz de converter Energia Vital em energia quântica e depois reverter o processo por simples ação da vontade. Pode até mesmo interferir no comportamento da energia quântica no vácuo quântico, ou, quando infiltrada na 3ª Dimensão, como calor ou Luz, por exemplo.

A Consciência humana é uma microbolha da Consciência de Deus, e por essa razão, quando em sintonia com o Espírito Santo de Deus, tem poder. Na essência somos no Todo Um, mas a individualidade é uma condição útil no que diz respeito à busca do desenvolvimento do conhecimento, na condição de microbolha.

Para o Desenvolvimento, dependemos de informações e de conhecimento. Este último nós adquirimos pelas práticas de experiências com resultados eficientes e úteis.

Assim sendo, podemos entender que as bases da Psicotecnologia, das práticas psíquicas dos Polinésios, dos Egípcios, do Tao, da Yoga, do Budismo, do Cristianismo, do Sufismo, do Reik, do Tarô, do Espiritismo, dos Esotéricos, são as mesmas do Código da Huna com algumas alterações de conceito.

O que muda são as pressuposições e as suposições baseadas em pressuposições que sustentem Filosofias, que por sua vez sustentam religiões, sistemas organizados e rotulados de forma arbitrária que contêm um pacote de crenças controladas por normas e princípios, instalados e mantidos por rituais periódicos de adoração à Divindade.

Todas as práticas psíquicas que podem acompanhar uma religião ou filosofia, devidas à Psicotecnologia oriental, podem ter um denominador comum em uma Psicotecnologia Ocidental, com base em uma Metodologia cientificamente dosada e de complexidade crescente, que ofereça exercícios Mentais comandados pela Consciência humana esclarecida, que mantenha a Religiosidade sem se ater a qualquer religião específica ou Ordem como Sistema Organizado.

Cada Sistema Organizado teve seu valor a seu Tempo. Ao Cristianismo faltou a prática que o senhor Jesus deu como doutrina em separado aos discípulos Esta ou não foi escrita, ou foi deixada de lado na montagem da Bíblia que serviu de fundamento ao Catolicismo e depois aos seguidores de Lutero bem como às inúmeras seitas resultantes que hoje passam de 2 mil,  cujos líderes desconhecem como podem obedecer ao versículo 4, do Capítulo 2, de 1º aos de Corinto da Epístola do Apóstolo Paulo.

A imaginação controlada com sabedoria e conhecimento de causa resolve problemas. A imaginação criativa sem conhecimento de causa é a louca da “casa” quando falta o Bom Senso.

Com uma metodologia científica, fica fácil explicar e demonstrar que quando integramos o nível Consciente da Consciência com o nível Subconsciente, formando um Ego forte, e aprendemos a fazer enfoques mentais adequados em nível de supraconsciente, integrando o Ego ao mesmo, podemos mobilizar energia por ação psíquica e produzir efeitos na função e nos órgãos físicos, justificando a autocura, e a ajuda a que terceiros se curem.

Com relação a terceiros, ninguém cura ninguém. Ao doar energia para doentes e enfermos, apenas ajudamos com um extra de energia que permite ao enfermo reagir e se equilibrar, se ainda tem condição, principalmente se está aberto para receber a ajuda. O molde de Alma do indivíduo orienta a energia para onde deve ir, e ele se cura.

Alma é o termo que designa o conteúdo informático e de conhecimento de uma Consciência. Daí a expressão usada de Personalidade de Alma.

Aprenda em no máximo 16 horas a fazer enfoques mentais adequados, a sentir a energia extra e a canalizar para algum objetivo. Aprenda a desenvolver os automatismos que facilitam essas funções. Estabilize esses reflexos automáticos continuando seus exercícios aprendidos, periodicamente, por pelo menos mais 90 dias para firmar o automatismo, e consiga autocura, além de ajudar terceiros a se curarem.

Em uma segunda etapa, com mais 16 horas, aprenda a desenvolver a capacidade de fazer sintonia com outras Consciências e, consequentemente, aumente a capacidade de intuição e telepatia, podendo desenvolver vidência e clarividência.

Alberto Barbosa Pinto Dias, Bacharel em História Natural (todas as Disciplinas Biológicas e Geológicas), Licenciado, Especialista. USP, 1955.

Postado em : A propósito de

Deixe sua mensagem

Seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios são marcados *

*

.