A Iniciação e O Desenvolvimento Psíquico – 01

A Iniciação e O Desenvolvimento Psíquico – 01

A Iniciação e O Desenvolvimento Psíquico

Todos nós somos uma Consciência. Assim sendo nossa Consciência é o nosso EU (SELF).  Em relação ao planeta Terra nossa Consciência se desenvolve enquanto estamos incorporados. Nossa Consciência, como um Campo de Energia Inteligente e que exerce Vontade, está associada a um Corpo Físico através de uma alidade denominada Mente. A Mente é uma ferramenta que permite que nossa Consciência faça enfoques, normalmente no Cérebro, mas através da imaginação a Consciência é direcionada pelo enfoque mental para qualquer parte de nosso corpo, influindo na estrutura e na fisiologia das mesmas partes.

Os enfoques mentais que a Consciência faz no cérebro podem ser objetivos, ou então subjetivos. Os enfoques objetivos resultam na interação da Consciência com o ambiente, e são feitos através dos Órgãos dos Sentidos. Os enfoques subjetivos são feitos introspectivamente, enfocando por imagens os referenciais gravados na memória de cada um dos cinco sentidos, e que no conjunto perfazem o Banco de Memórias. Esse conjunto de informações no Banco de Memórias é conhecido por Subconsciente enquanto não utilizado pelo nível Consciente da Consciência.

O resultado da Integração dos aspectos: Consciente da Consciência com o aspecto Subconsciente resulta no Ego. Assim sendo o Ego é constituído por todos os reflexos inatos e os adquiridos durante a vida de aprendizado, e é responsável pela nossa personalidade. Um Ego forte e bem estruturado nos ajuda a sobreviver. O Ego é o resultado da Integração do nível Consciente da Consciência com o Subconsciente. O Ego pode ser melhorado com a Educação e com o treinamento, tanto o que permite desenvolve o psiquismo tanto do lado racional, lógico e analítico, intrapessoal, relativos às funções do hemisfério esquerdo, como o que permite desenvolver o psiquismo através da imaginação criativa, relativo às funções do hemisfério direito, responsável pelas percepções e projeções de informações Transpessoais.

Um indivíduo equilibrado, Centrado, é um indivíduo que é capaz de equilibrar as funções da lógica racional e analítica, levando em conta o que seja provável, e o discernindo do que seja pouco provável ou mesmo improvável, no que é relativo às funções da imaginação criativa. A Imaginação é o maior recurso de que dispomos para resolver problemas, encontrando soluções. No entanto a imaginação descontrolada, que só fantasia, pode se tornar a louca da casa.

As pessoas psicologicamente maduras e centradas equilibram a imaginação com a racionalidade, e quando há incertezas por falta de dados e informações seguros, convivem com as incertezas de modo ponderado, mas buscam por dados e informações seguramente exatos, ou, confirmados pela experiência do que seja possível. Assim suas crenças são baseadas nos fatos que sejam prováveis por serem objetivos e repetidos de modo controlado.

 As pessoas psicologicamente imaturas não sabem conviver com as incertezas. A tensão e a ansiedade levam as mesmas a procurar quem dê certezas, com afirmações lógicas e até razoáveis, se bem que pouco ou nada prováveis. Aceitam essas razões pouco prováveis e mesmo improváveis como “Verdades de Ordem Subjetiva”, que passam a constituir CRENÇAS.

Todos nós nascemos instintivos e aos pouco nos tornamos emocionais. Dependendo do tipo de tratamento inicial podem predominar posteriormente sentimentos e ou emoções. Aos poucos nos tornamos intuitivos e dedutivos. Aos sete anos começamos desenvolver o processo de racionalização dedutivo-indutiva. Na puberdade, bem orientados, discernimos o que seja provável do improvável, com reforço desse aspecto em Curso Superior de Ciências Exatas.

A continuidade do treinamento dentro do processo racional pode tornar o indivíduo em uma pessoa com pensamento concreto direto e objetivo, podendo ainda evoluir para pensamentos abstratos. A questão é que dependendo do meio ambiente em que convive, o indivíduo estaciona em qualquer dos níveis do desenvolvimento psicológico.

Assim sendo, o nível de Consciência normal a todos é esse que se desenvolve em função do meio ambiente interagindo com o Ego, onde se podem observar os diferentes níveis de desenvolvimento da lógica racional, desde a primária, passando pelos de pensamento concreto, até os abstratos, com suas funções objetivas e subjetivas, com predominância de raciocínio linear no hemisfério esquerdo, equilibrando ou não as funções de imaginação processadas no hemisfério direito.

A iniciação é um processo usual e normal ao se começar algum tipo de Estudo ou de Atividade Prática, dentro ou fora de qualquer tipo de Sistema Organizado de forma arbitrária. Todo Sistema organizado é arbitrário, pois contem normas, princípios, e fundamentos Místicos e ou Científicos, podendo tudo isso ser acompanhado de algum estatuto ou regulamente de funcionamento em algum local. Às vezes há dogmas institucionais, e quando não há, sempre há algum dirigente que se dispõe a ser dogmático, mesmo que ele mesmo pregue que todos devem ser flexíveis e de mente aberta, a todos os ensinamentos que serão dados pela equipe. Uma incoerência que sempre encontra justificativa em alguma razão que expresse um juízo imperfeito, mas conveniente em um momento dado.

Quando se trata de Iniciação à Ciência, existe no mínimo um exame vestibular que teste a competência desenvolvida. Um batismo religioso é uma iniciação que pode exigir um exame a respeito das informações básicas que perfazem algum tipo de fundamento que sustente a Crença Religiosa. O mesmo se dá na confirmação de alguma Fé associada a algumas crenças que gerem convicções. Todo e qualquer tipo de iniciação obedece algum tipo de Ritual, com ou sem solenidades que dão importância e valor ao que se faz, ou, ao que já se fez como é o caso das formaturas com colação de Grau, que dá inicio a uma profissão.

Então podemos distinguir dois níveis de Iniciação:

1-Todo tipo de iniciação que signifique o princípio, ou, o término de algum tipo de Evolução Intrapessoal. Evolução do Psiquismo Intrapessoal, geralmente avaliado pela quantidade de informações culturais que o indivíduo venha a expressar, como resultado de um treinamento intelectual, recebendo diplomas do tipo Estrito Senso, ou, Latu Senso, que só tem validade nos meios em que é conseguido. Também diplomas honoríficos e medalhas simbólicas, ou ainda Graus, quando não há instrução e exames formais reconhecidos oficialmente. Também o início e o término de treinamentos para o desenvolvimento de habilidades físicas. É um processo de Concentração em dados e informações provenientes do Mundo Objetivo, uma introspecção com reflexão para ordenação dos dados e informações, um processo de análise e de questionamentos em busca de respostas a serem exteriorizadas em uma Tese desenvolvida subjetivamente, mas com algum tipo de devolução objetiva para o Mundo Objetivo.

2 – Todo tipo de iniciação que signifique o início, ou, o término de algum tipo de evolução no sentido do Intrapessoal para o Transpessoal o que significa desenvolvimento de habilidades psíquicas que movimentam energia com alcance e efeitos subjetivos, e ou objetivos, para além do corpo físico, de modo próximo ou à distância. Este tipo de desenvolvimento ao contrário do primeiro exige Concentração no Consciente Interior, uma série de exercícios mentais para integração do Consciente com o Subconsciente, em busca de uma facilitação neurológica que forme novos circuitos ou ative os já existentes, de modo que o nível Consciente da Consciência ultrapasse as barreiras do Subconsciente e permita a Integração do Consciente com o Superconsciente.

O iniciado aprende a usar um segundo e um terceiro níveis de Consciência, quando por enfoques mentais adequados, mobilizam energias de outras dimensões, alem das frequências vibratórias conhecidas como próprias da dimensão material. Essas ações são erroneamente consideradas ações espirituais, devido à confusão que fazem entre espiritualidade e habilidades psíquicas dos iniciados em ações transpessoais. Espiritualidade é uma condição Mental em que o indivíduo se proponha a ser e é Criativo e Construtivo, como se supõe que a divindade seja, além de ser intrinsecamente honesto, puro, limpo, bom e positivo para com os seus semelhantes. Alberto B. P. Dias, Especialista, USP, 1955.

 

 

Postado em : Psiquismo

Deixe sua mensagem

Seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios são marcados *

*

.