28 – Relatos de Ações Psíquicas

28 – Relatos de Ações Psíquicas

28 – Relatos de Ações Psíquicas

Relato 82Chuva em Fortaleza – Ainda em Fortaleza, (1980) Coincidência? O treinamento no Hotel Beira Mar era com pelo menos 90 participantes. O treinamento terminaria naquele Domingo às 13h: 00min e, já seriam às 11h: 00min da manhã. Repentinamente o gerente do Hotel, senhor Virgílio, um senhor que na época teria seus 65 anos, invadiu o recinto dizendo:- “Oh gente! Vocês que estão fazendo “mentalização” porque não fazem chover no Ceará? Há dez anos que não chove e o açude da cidade está quase seco”. Brincando com ele eu disse:- A que horas o senhor deseja que chova Sr. Virgílio? R -“Mas se é para marcar hora? que marque o senhor!” respondeu ele um tanto desconcertado – Então eu disse: a chuva será às 13h30min. Dará tempo de o pessoal ir para casa antes de inundar o centro da cidade! Sorri e todos sorriram descontraidamente tomando como brincadeira. Com todos em nível de introspecção, pedi que visualizassem um relógio marcando 13h: 10min. E que imaginassem o horizonte negro de nuvens densas a Nordeste. Agora vejam o relógio marcando 13h15min, visualizem um vento forte dobrando os coqueiros na frente do hotel, as nuvens baixas densas escuras cobrindo Fortaleza. 13h: 20, grossos pingos de chuva quente. Vejam o relógio marcando 13h25min e visualizem o maior toró em Fortaleza, 13h30min, continua chovendo torrencialmente, o centro inundado na parte baixa e na linha da REFESA. Tirei o pessoal da introspecção e continuei o treinamento até às 12h45min, me despedindo dos alunos às 13h: 00min. O céu continuava azul até o horizonte, o vento leste como brisa suave. Alguns ficaram no hotel dizendo que ali estavam para ver se choveria mesmo. As 13h10min o horizonte estava escuro a Nordeste. Chegaram o vento forte e as nuvens negras. Começou uma chuva grossa à uma hora e vinte minutos. À Uma e vinte e cinco desabou o temporal com chuva e vento. O Virgílio olhava a coisa toda mudo e com os olhos esbugalhados. A uma e trinta Fortaleza estava inundada. Três anos depois eu almoçava no Rotary de Fortaleza quando chegou o senhor Virgílio falando alto:- “aqui está o homem que fez chover no nosso Ceará”. Bem, ele não disse que eram 90 cabeças treinadas ajudando nesse projeto! “Onde dois ou mais de vós reunidos decidirem, assim será.”. J. C.

Relato 83 – Meu amigo, M. me escreveu dizendo que uma amiga, que eu conheço, estava com problemas no intestino grosso e que faria colonoscopia daí a dois dias. Perguntou-me se eu tinha ideia do que seria. Respondi que se viesse uma ideia me comunicaria com ele. À noite me concentrei em saber o que se passava com aquela senhora. No dia seguinte ao ir para o computador escrever me veio a imagem clara do sigmoide com uma bolota que me pareceu um pólipo crescido, redondo. Escrevi a ele relatando o sucedido. No outro dia a senhora fez colonoscopia e o resultado foi um pólipo bem crescido, sem pedículo, perto do sigmoide.

Relato 84 – Em 2010 eu fui dar um treinamento para oito alunos no colégio Batista Brasileiro para treiná-los afim de que mantivessem a calma e boa memória nos exames vestibulares. Depois de nove horas de treinamento, ao iniciar o bloco que completaria 12 horas, observei que entrou na classe uma aluna totalmente afônica. Dei a ela uma instrução do que ela deveria visualizar em sua laringe durante um período de 1 minuto em certo trecho do treinamento em que paro de falar. Ela assim o fez e me deu oportunidade de projetar energia por enfoque mental adequado. No fim do exercício ela estava falando normalmente para espanto de alguns e dela mesmo. Também resultou que todos entraram em diferentes faculdades sem cursinho.

Relato 85 – Em 1976 eu fui a Laredo, no Texas, para participar de um treinamento com instrutores de língua espanhola, durante um mês, full time. Havia muitos discursos teóricos e, relaxamentos com exercícios relativos ao Método Silva de Controle Mental. No último dia houve uma festa de encerramento e a orientadora, Rosa Rivas, organizou alguns testes psicológicos práticos para observar reações de comportamento entre os participantes. Um deles me foi uma provocação direta. Ao me recolher à noite, resolvi fazer uma “visita” a um dormitório, onde se fez minha presença visual e ouvida a minha vós. No dia seguinte devido os comentários, José Silva falou a respeito afirmando que “viagem astral não era controle mental”. Em particular lhe disse que sem controle mental não há viagem astral consciente e direcionada.

Relato 86 – Passado dois meses, já no Brasil, eu resolvi fazer uma experiência controlada e, me projetei à noite de SP para o México e fui fazer uma visita à Rosa Rivas. Para marcar bem minha “presença”, peguei nos tornozelos dela e a puxei com força como que desejando tirá-la da cama. Voltando à Laredo em 1984, em um treinamento, Rosa Rivas relatou que uma noite teve uma experiência terrível há “alguns anos à trás”. Relatou que era como um gigante oriental que a puxava pelos pés querendo tirá-la da cama. Ela disse que se agarrou nas barras de metal da cabeceira para não ser atirada no chão. Relatou que a luta durou algum tempo e que depois a entidade se foi. Eu disse: “Fui eu”, e eu lhe fiz o mesmo que meu Mestre chinês fez para se apresentar em uma madrugada quando eu tinha 19 anos.

Alberto B. P. Dias, Especialista, USP – 1955

Postado em : Relatos de ações psíquicas

2 Comentários


    • jamil
    • junho 21, 2017
    • Responder
    • Cancelar resposta

    Em niveis profundos somos chamados e no meu caso recusar é complicado , pois nem sempre é o enfermo e sim o Mentor ou Anjo de guarda... De forma sutil e clariaudiente sinto/ouço o ser mostrando a pessoa e ate animalzinho porém após dias as vezes até anos alguem me diz: Eu estava assim e sonhei c/vc... Vc me visitou ... Já ouvi obrigado e a pessoa chorou srm nunca me dizer nada. Só sei que em minhas orações , busco orientação. A necessidade conduz a energizar o local Gostaria de ajudar a muitos as vzs , mas como o Sr mesmo dizia: Não queira ser Salvador da humanidade. Abraços e muito respeito com o que aprendi professor.

      • Alberto Barbosa Pinto Dias
      • junho 21, 2017
      • Responder
      • Cancelar resposta

      Prezado amigo Jamil, que bom que prossegue em suas atividades psíquicas. Deus te abençoe sempre! Um forte abraço fraternal, Dias

Deixe sua mensagem

Seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios são marcados *

*

.