25º – Apenas quero entender Jesus – A Reforma

25º – Apenas quero entender Jesus – A Reforma

A Reforma

Razoáveis dissidências espocaram a partir de Lutero, mantendo-se a Fé como sentimento em relação a Deus, e ao sacrifício de Nosso Senhor Jesus, o Cristo, mas, com renovação de conceitos, normas, princípios, rituais e atitudes de onde surgiram as diferentes crenças. Luteranos e outros protestantes, em reação às ações de Leão X e à venda de suas indulgências, perseguiram-no e chegaram a incendiar seu castelo.

Com o tempo derivaram-se as crenças e suas variantes a partir dos luteranos, calvinistas, martinistas, anglicanos, sabatistas, mórmons, presbiterianos, metodistas e lembrando os batistas, os quais tiveram sua origem na Grécia a partir das pregações de Paulo, muito antes da Igreja de Constantino, e que por essa razão, deveriam ser chamados de: “Igrejas Paulinas”, as quais escaparam da hegemonia pretendida pelo mesmo Imperador Constantino.

Ainda há as renovadas e as semienroladas, muitas derivadas dos Batistas que são de organização democrática, depois, Brasil para Cristo, Pentecostais, Neopentecostais, Assembleias de Deus, Universal do reino de Deus, Testemunhas de Jeová, Carismáticas, Internacionais do Reino de Deus, Quadrangular, Esconderijo do Altíssimo, Santos dos Últimos Dias, o grupo de elite dos “Másters” do Morumbi e a Vida Nova dos “emergentes sociais”; Ágape, Manancial, Nacional, Mãe Terra, Congregacional, etc.etc.etc.etc.

Levemos ainda em conta as garagens e galpões onde há lideres improvisados e improvisando, e alguns infelizmente analfabetos funcionais, os quais conduzem outros ainda menos alfabetizados, podendo-se verificar inclusive que alguns, devido às condições, nem estudam a Bíblia, porque eles esperam, segundo me explicaram pessoalmente, pela “revelação do Espírito Santo”. Amém!

Assim, como já foi no passado, hoje, nas novas igrejas pós reforma, de início há uma luta pela moral e pela ética cristã. Depois se observa que aos poucos, a hipocrisia começa a tomar conta. Artifícios, como alterações de Estatuto, são gerados para aumentar o poder e a permanência de lideranças. Preocupações de ordem financeira, política e econômica, tomam conta dessas empresas de pequeno, médio e grande porte, livres de impostos na medida em que não interfiram na Política, senão, a coisa pode mudar.

Todos os Sistemas são Arbitrários – E por essa razão cada pessoa se ajusta ao Sistema Organizado como Religião, que satisfaça o seu próprio nível de evolução em percepção e de consciência, que são reflexos da educação, escolaridade, nível de entendimento e interesse. Dentro de um Sistema, o candidato à evolução, busca uma liderança de Igreja, Ordem, ou, Disciplina que esteja de acordo com seu nível evolutivo, para depois, fazer as mudanças, sentindo intuitivamente a necessidade e a oportunidade.

É curioso observar a flutuação da população de religiosos entre as seitas e pastorados, e entre disciplinas de místicas e de autoconhecimento, flutuação essa mais evidente entre os jovens que estão evoluindo em seus estudos, adquirindo conhecimentos, estabelecendo conotação de ideias e comparando situações. Alguns estão fazendo sociabilidade em todas. São os religiosos políticos e os políticos religiosos.

Profecias- Jesus profetizou:- “cegos guiando cegos”. Depois o Apóstolo Paulo profetiza:- “mas quando Jesus vier muitos dirão:- Mestre, em Teu nome eu curei enfermo, expulsei demônios, salvei almas, mas Jesus voltando-se para eles dirá:- “não vos conheço, apartai-vos de mim”“. Jesus e Paulo fizeram profecias anticlericais?

Muitos pregadores tocam nesses pontos, mas de uma maneira geral o problema sempre é dos outros, de outros Sistemas Concorrentes. Talvez o problema seja eu, que junto a eles, nos dediquemos a tentar estudar uma Teologia.

É possível que Jesus tenha sugerido a fundação da Igreja, através de Pedro, um simples pescador, o qual tinha por base a Intuição e a Emoção, para que houvesse uma Instituição, que fundamentada no amor a Deus e ao próximo, mantivesse a Filosofia de Vida Cristã e onde houvesse a possibilidade de praticar a convivência dentro desse princípio de respeito à individualidade (amor ao próximo).

Pelas instruções de Paulo, cada Igreja seria como uma célula socialista de membros tementes a Deus. (Atos 2: 42-44) No entanto, no mínimo deixou claro o cuidado a ser tomado em relação a alguns dirigentes (de qualquer Ordem). Todos nós somos humanos e o reforço dessas ideias vem desde mais ou menos 3.000 anos no Salmo 118:8. – “Melhor é confiar no Senhor do que no homem”.

Orai (introspecção) e vigiai (concentração com atenção) para perceber onde está a verdade e onde está a falsidade? Onde está a Luz e onde está a Sombra e aonde predomina a Penumbra? Onde há mistério não há luz, pois não há Esclarecimento. Predomina a Ignorância. A quem devemos a manutenção dos mistérios?

Ainda que as ideias de Jesus devam servir de base para todas as religiões e seitas cristãs, objetivamente há o desconforto das diferenças de ideias e interesses, os quais já levaram e continuam levando em nome de Deus, no mínimo ao afastamento de outros intelectuais questionadores, e ao extremo das muitas guerras e matanças, além das divisões e subdivisões da parte dos poderes com domínio territorial e ou político para melhor arrecadação.

Após meditação com reflexão, o que é razoável, bom, benéfico a todos, é a simples aceitação das ideias de Jesus sobre o amor e o respeito incondicionais. A obediência aos seus preceitos, sem quaisquer outras implicações, pois dizem respeito à melhora de caráter em seu padrão Moral e Ético, e podem levar o indivíduo a se sentir em paz profunda, e a se equilibrar. Também podem levar a sentir a harmonia de uma possível sintonia com uma dimensão que poderia ser a transcendente, na medida em que se obedece a sugestão de orar em secreto ao Pai.

A medida da Verdade é a Eficácia. Se essa atitude permite sono profundo e reparador, que mantém o equilíbrio na consciência e se traduz por uma experiência de saúde, física e mental, só por isso já convém lembrar o Espírito de Renovação que há com o Natal de Jesus.

Assim sendo eu apenas quero entender Jesus, pois para entender os Homens, seus interesses e atitudes através da história é mais difícil.

Alberto Barbosa Pinto Dias, Bacharel em História Natural (Todas Disciplinas Biológicas e Geológicas), Licenciado, Especialista, USP, 1955.

Postado em : Apenas quero entender Jesus

Deixe sua mensagem

Seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios são marcados *

*

.