18 – Consciência, Inteligência e Realidade

18 – Consciência, Inteligência e Realidade

Consciência, Inteligência e Realidade (18/18)

 

Recordando:- Há quatro níveis de Consciência. O primeiro é o comum a todos e é relativo ao relacionamento do indivíduo com o meio ambiente e com as demais pessoas de modo objetivo. No lado subjetivo há as lembranças por imagens ou palavras.

O segundo nível de Consciência é o que é relativo à percepção da existência de uma forma de energia não detectada pelos órgãos dos sentidos, nem pela aparelhagem dos físicos, mas passível de ser manejada por enfoque mental e que pode influenciar objetos, vegetais, animais e pessoas. A percepção deste nível exige perfeito entrosamento do Eu Médio com o Eu Básico e com o subconsciente, o qual como parte do Eu Básico, aceita e armazena as programações cerebrais (Soft), além de ser a fonte de energia que permite a ação. Esse tipo de introspecção era  recomendada pelo Senhor Jesus com:- “vivei em oração”.

Um terceiro nível de consciência permite a percepção subjetiva que se dá pela decodificação de informações que, chegam diretamente ao cérebro sob a forma de energia vibratória de alta frequência emitida por outros cérebros. Nesse nível de consciência há telepatia, vidência, clarividência e precognição.

O desenvolvimento desse terceiro nível de consciência exige um perfeito entrosamento do Eu Médio, nível Consciente da Consciência, com o Eu Básico, que contém o Subconsciente, e a possibilidade de ultrapassar as barreiras do subconsciente, que são constituídas por bloqueios mentais psicológicos devidos a programações associadas com ações negativas do tipo “pecado”, como ofensas, injúrias e prejuízos causados a terceiros, dúvidas e medos. Por essa razão o senhor Jesus recomendava “orai pelos vossos inimigos”, pois essa atitude na oração introspectiva poderia abrir caminho para o Eu Superior, conhecido como Superconsciente, ou, “o Pai que em mim opera as obras”, desde 13.000 anos a. C.

Esse tipo de tentativa de introspecção por mecanismos de oração, ou, cantando manthras, só funciona para os indivíduos mais sensíveis, como se pode observar pela leitura dos evangelhos, onde somente alguns discípulos desenvolveram habilidades psíquicas.

Normalmente 3% das pessoas conseguem naturalmente vidência e clarividência e possivelmente são os mutantes que se evidenciam pelos tipos sanguíneos B e AB. Para que haja eficiência na passagem do Consciente para terceiro nível de consciência com ação do Eu Superior, é preciso que se gastem algumas horas com o trabalho do consciente no subconsciente, pois com isso se faz a facilitação neurológica e psicológica.

Há um quarto nível de consciência quando há percepção de que a Criação atribuída a Deus, terminada com a presença do homem na natureza (?), ocorreu de modo natural, e está em equilíbrio e harmonia com a Ordem da Criação. O homem tem um nível de consciência para se relacionar com o ambiente, vegetais, animais e com homem que se comporte como Homem, ou, homem que se comporte como animal.

Assim sendo, diante de um perigo, pode-se escapar ou, se esconder, ou ainda, usar meios físicos para afastar o agente do perigo. Se houver condição, pode-se usar o segundo nível para tentar influir em homens e animais de modo a preservar a própria vida ou condição, como Daniel na cova dos leões.

Pode-se usar o terceiro nível de Consciência para detectar intenções e se precaver, mas se ficarmos esperando que a divina providência nos livre, esquecendo que tudo o que existe, existe por vontade da divina providência e faz parte da criação, certamente vamos nos ferir.

Por essa razão o Senhor Jesus disse: “Ora em secreto ao Pai e o Pai o recompensará”, obtendo intuição de como resolver problemas. Podemos resumir da seguinte maneira:- Todos podem e devem desenvolver suas habilidades psíquicas naturais. (João 14: 12). Criados à imagem e semelhança de Deus somos criativos e construtivos. (Salmo 80: 6, 7).

Quando o indivíduo está desenvolvido e amadurecido “o poder vem de dentro”, do “reino dos céus”, como afirmou o Senhor Jesus, que possivelmente conhecia a Huna. Como o Universo inteiro é energia vibratória e nós fazemos parte do Universo, “tudo está interligado”.

A condição para desenvolver as habilidades psíquicas é saber conviver com as incertezas em harmonia e ser hábil para contornar as dificuldades sem fantasias místicas. A habilidade se desenvolve com Concentração, que é quando se volta à atenção para Colher Dados e Informações, e se reflete com eles imaginando, e usando os sentimentos e as emoções como meio de liberar um extra de energia vital.

É preciso saber dirigir os pensamentos de modo lógico e razoável, avaliando o que é provável, e descartando o pouco provável e improvável. Desenvolvendo-se a PERCEPÇÃO de que as mudanças de perspectiva mudam o entendimento.

Ter a percepção da validade de Sentimentos e Crenças que determinem o rumo dos pensamentos.

LIBERTAÇÃO de crenças que limitem a capacidade de pensar e de agir, e…

DIRECIONAMENTO – Aprender a dirigir o fluxo contínuo de energia Mental para alcançar um propósito específico. Alberto B. P. Dias, Especialista, USP, 1955.

Postado em : Consciência, Inteligência e Realidade

Deixe sua mensagem

Seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios são marcados *

*

.