11º – Apenas quero entender Jesus – Dos Cultos, Rituais e Sua Variedade

11º – Apenas quero entender Jesus – Dos Cultos, Rituais e Sua Variedade

Dos Cultos, Rituais e Sua Variedade

 

Nos cultos temos a percepção do fato de que cada religião, como Sistema Organizado, é a institucionalização da existência de Deus, e O Culto é a oficialização da possibilidade de relacionamento com Ele, o Deus de sua Realidade Pessoal, e cada qual, naturalmente, com o “seu” Deus, O Deus do “seu coração”, e ou do “seu entendimento”. É curioso observar que em uma mesma congregação religiosa, alguém queira que um companheiro entenda Deus, exatamente como ele entende, sendo Deus Incognoscível.

Se Deus é Incognoscível, Insondável, e Inescrutável, você pode escolher o Ofício, ou, o oficiante que te agrade na religião, que você acredite que seja aquela que o torne melhor como pessoa. As diferentes Igrejas, em seus Templos, oficializam o Culto ao seu Deus, ao Deus de seu coração e de seu entendimento, cada qual da maneira que entendem ser a melhor. O Deus do seu entendimento não tem que necessariamente ser o Deus do entendimento de seu oficiante, e vice versa.

Uma Religião é caracterizada por uma liderança humana, pela Fé associada às Crenças estabelecidas como Verdades Relativas, regulamentadas pelas Normas e Princípios aceitos e baseados em Fundamentos Entendidos como Válidos. Também se caracteriza pelos Rituais de Adoração ao Deus de sua Fé, rituais esses estabelecidos pela mesma Liderança Humana.

A cada momento criam-se novos Rituais, e o maior problema está nas diferenças que individualizam os enfoques que resultam nas diferentes Seitas, Ordens, Facções e Disciplinas. Estas diferenças podem causar confusão na cabeça de quem não sabe separar o aspecto Religiosidade, como Sentimento de que Deus existe, do que seja Religião, como Sistema Organizado de forma arbitrária por humanos, e também não sabe discernir Religião de Crença, que é uma pressuposição sugerida como verdade.

Para aumentar a confusão, há Igrejas que obedecem a uma Organização Maior, na qual a linha mestra durante o ofício a Deus está em pregar, que tudo o que acontece na vida de uma pessoa é pela vontade de Deus, e que assim sendo, para atrair as bênçãos de Deus, segundo dizem, é preciso mostrar confiança no Senhor, depositando o que houver em seus bolsos “na mesa do Senhor”. Há quem acredite com algum tipo de conscientização, mas há quem seja somente movido pelo alto grau de sugestibilidade induzida.

O raciocínio oferecido é lógico, até razoável, mas pouco provável, pois Deus é Espírito. Deus não tem necessidades materiais, em função de suas qualidades sugeridas. Os recursos de retórica são habilidades de uma política de sacerdotes arrecadadores de recursos, cuja dialética é relativa ao nível cultural da população que frequenta a sua Igreja.

Muito do cerimonial (Ritual) e das circunstâncias em uma Igreja, ou Templo similar, tem sido reformulado para acompanhar a época e a mudança de costumes. Muitas concessões com relação a mudanças de comportamento são feitas. Outras em relação a alterações em rituais são toleradas.

A nossa participação nos cultos atuais pode ser no meio do som de baterias, guitarras e às vezes pandeiros, e em outros são somente ao ritmo dos tambores. Há aqueles cultos onde se conserva uma linha sisuda e austera ao som de órgãos. Em uma terceira Igreja “renovada”, cantam “corinhos” balançando o corpo, abrindo os braços e levantando as mãos. Em uma quarta Igreja alguns se levantam falando, falando… E, repetido frases conexas e ou desconexas, inteligíveis, ou não, sendo denominadas línguas estranhas.

Em um ritual cantam e dançam. Outros dançam e cantam um cantochão repetitivo ao som de tambores. Há muitos outros artifícios em gerar automatismos a partir de gestos, palavras e atitudes repetitivas, automatismos reflexos estes usados para produzir a entrada de cérebros em estados alterados de consciência, com sua consequente alta sugestibilidade, bem a gosto de algum tipo de liderança.

Em rituais primitivos, a indução a estados alterados de consciência, é feita somente com danças em sons ritmados com ou sem cantochão. Outros rituais apresentam repetição continuada e ritmada de palavras consideradas mágicas como os mantras, mas que na verdade, sendo repetitivas, criam um automatismo e um consequente reflexo condicionado, que também pode induzir a um estado alterado de consciência.

Há Igrejas que reúnem em seus cultos grupos de afinidades, manifestando um evidente aspecto tribal de proteção comunitária em cidades pequenas ou grandes, resguardando e conduzindo minorias sociais que tenham hábitos comuns, mas, não usuais, como nas Igrejas dos surfistas, dos drogaditos, dos metaleiros etc.

Chamou minha atenção em especial o culto na Igreja Renovada dos Roqueiros situada no Ipiranga, onde havia metal pesado das guitarras, baixo, bateria, gritos, saltos dos participantes da área do púlpito para os braços levantados do público disposto em nível mais baixo do que o nível do palco. Não havia cadeiras nem bancos e todos os assistentes de pé, com agito de crânios raspados e outros de cabeleiras ao vento, e ao som de muitas vozes. Um espanto para as minhas limitações na época (1990), pela primariedade das atitudes e ações. O “pastor”, naturalmente, estava de lado, limbicamente adequado às circunstâncias.

Também há os padres, que adotam cantar com agito de corpo e mãos para cima, em uma missa tipo show quando se trata de multidão ao ar livre, onde o efeito hipnótico é evidente com a participação da plateia empolgada pelo ritmo da música, pelo cantochão, e pelo movimento repetitivo do balanço corpóreo. Pela dualidade de atitudes podem adoecer, ou, já estão doentes.

Toda mudança agrada a uns e desagrada a outros. Observamos que geralmente os mais idosos sofrem mais distress com as modificações no ambiente e nas circunstâncias a que já estejam adaptados, e onde se sintam psicologicamente mais seguros. Não gostam de alterações nas afirmações, que tenham sido consideradas válidas antes, e nem nos condicionamentos físicos e mentais, que tenham sido instalados anteriormente.

Outra maneira de causar estados mentais de susceptibilidade às sugestões é proferir discursos com impactos emocionais, que gerem dúvidas com temores. Aí então se proferem as frases de efeito a serem implantadas no subconsciente dos usuários emotivos já sensibilizados e sujeitos. A repetição das sugestões em reuniões periódicas semanais serve como reforço das anteriores. Pessoas que tenham sido submetidas a uma lavagem cerebral de qualquer tipo, negam este fato e defendem seus dominadores com paixão.

Vale dizer que 25% das pessoas, em que predomina o pensamento do tipo concreto direto e objetivo, que são naturalmente resistentes a esses procedimentos, se defendem dizendo:- “Não acredito nisso” e ponto final. É como se tivessem um sensor interno que impede entrar em nível de hipnose, e mesmo de auto hipnose.

São notáveis as organizações que usam rituais complicados em templos cheios de luzes coloridas, velas e incenso como formas paralelas de impressionismo, que são condicionadoras do tipo Pavloviano. Em um culto de uma Igreja renovada, o dirigente fez a congregação repetir por alguns minutos uma mesma frase: – “levantarei os ossos e as caveiras e farei um exército…”. Esse procedimento é declaradamente hipnótico.

“Tu és Pedro e sobre essa pedra edificarei a minha igreja” (Egregora)? Como seriam os cultos nas catacumbas de Roma?… Deveria haver no mínimo o temor de represálias por parte das autoridades romanas. Considere-se o nível de impressão em catacumbas, as emoções em jogo, a sensibilidade à flor da pele e a alta sugestibilidade nessas condições, fosse qual fosse o pretexto, que justificaria a escolha do local. Possivelmente usavam velas e tochas espantando a escuridão, e talvez para eliminar algum odor não desejável, afora o simbolismo da busca de uma “luz maior”, como poderia ser o entendimento do que se passa em outras dimensões.

Nos Cultos, ou, em outros rituais, todos frequentam algum Sistema Organizado, e considere-se que todos os Sistemas são arbitrários. Não importa qual seja o Sistema, o que importa é como você se sente dentro dele naquele momento de sua vida. Sentir-se bem vai depender da sua capacidade e disposição de acreditar e de sonhar. Como há diferentes níveis de percepção, realidades e sonhos, cada qual com seu sonho acordado e no seu tempo de amadurecimento, curtindo algum tipo de ambiente.

Como deveria ser segundo o Novo Testamento?

“Mas a hora vem, e agora é, em que os verdadeiros adoradores adorarão o Pai em espírito e em verdade; porque o Pai procura a tais que assim o adorem”.
João 4:23

“Deus é Espírito, e importa que os que o adoram o adorem em espírito e em verdade”.
João 4:24

“Mas tu, quando orares, entra no teu aposento e, fechando a tua porta, ora a teu Pai que está em secreto; e teu Pai, que vê em secreto, te recompensará publicamente”.
Mateus 6:6

“O Deus que fez o mundo e tudo que nele há, sendo Senhor do céu e da terra, não habita em templos feitos por mãos de homens;
Nem tampouco é servido por mãos de homens, como que necessitando de alguma coisa; pois ele mesmo é quem dá a todos a vida, e a respiração, e todas as coisas;”.
Atos 17:24,25

Alberto Barbosa Pinto Dias, Bacharel, Licenciado e Especialista em História Natural (Todas as disciplinas Biológicas e Geológicas), USP, 1955.

 

Postado em : Apenas quero entender Jesus

Deixe sua mensagem

Seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios são marcados *

*

.