10º – Reflexões Básicas Para Aficionados em Psicologia

10º – Reflexões Básicas Para Aficionados em Psicologia

Reflexões Básicas Para Aficionados em Psicologia X

Estados Alterados de Consciência, ou “Estados de Espírito”

Para entender os estados alterados de consciência é preciso enfocar estados de espírito bem conhecidos de todos. Temos uma boa noção do que é estar “ligado” com o meio ambiente prestando atenção em fatos ou fenômenos ao nosso redor.

Quando fechamos os olhos e buscamos no banco de memória, lembranças do tipo visual e auditivo, fazemos enfoques introspectivos. Nossa consciência fica inteiramente voltada para os níveis internos e estamos em outro estado de espírito, em um estado alterado de consciência em relação ao anterior.

Quando buscamos adormecer, passamos por um estágio de relaxamento em que são facilitadas as lembranças do dia a dia. Depois, como se não sentíssemos o corpo, imagens continuam sob o controle do consciente em plena visualização, mostrando características de outro estado de espírito.

De repente desligamos. Ficamos desprovidos de nosso consciente, em outro estado de espírito que denominamos inconsciente. Dormimos profundamente durante um período e então eis que começam os sonhos, de início sem o nosso controle, certamente mostrando aspectos de nossa multifacetada personalidade.  Geralmente, no terceiro ciclo de sono de 90 minutos cada, sonhamos , temos plena Consciência e de certa forma participamos controlando em parte o sonho produzido. Este é com certeza outro estado de espírito, com certeza outro estado alterado de consciência.

Que dizer quando sonhamos um sonho lúcido, que representa uma situação em que estamos em determinado lugar, diante de certos fatos que envolvem outras pessoas e que posteriormente essas pessoas descrevem nossa presença lá e os fatos que se mantém em nível consciente. Que dizer quando os fatos relatados se passam a 2.000 ou 4.000 ou 9.000 km do local onde o corpo esteve dormindo?

Esses certamente são estados bem alterados de consciência, ou estados de espírito projetado, consciente e cognitivo. De que dimensão você acha que é a sua inteligência?

Há ainda a considerar quando durante a introspecção você fixa a imagem de alguém e mentalmente projeta uma forma de energia que pode corrigir problemas de saúde, mesmo a 2.000 km de distância. Certamente sua Consciência se encontra em um estado que move energia de certa dimensão.

Outro estado de espírito se manifesta quando você sintoniza outro cérebro e recebe informações, ou, projeta informações, movendo energia de uma dimensão, onde a mesma tem duas mãos de direção.

Como obter estados alterados de consciência?

Suponha que você foi a um local onde se pratica o candomblé. A dança faz parte do ritual e o ritmo é dado com o som de tambores e atabaques. As pessoas dançam por algum tempo, mais ou menos 2 horas num ritmo constante.

Os movimentos que de início são voluntários, tornam-se automáticos, manifestando os reflexos condicionados ao ritmo dos tambores. Pelo automatismo, com movimentos reflexos comandados por centros neurológicos inferiores ao cérebro, centros cerebelares e medulares, deve haver um processo de retroalimentação, que favorece que a pulsação dos neurônios diminua e a energia disponível aumente. O participante entra através do automatismo em um estado alterado de consciência.

Alguns entram em transe hipnótico e são conduzidos para uma sala especial, onde voltam do “sono” após um Ciclo Circadiano. Outros entram em transe hipnótico consciente e destes, 3% dos participantes manifestam possibilidade de telepatia por hiperestesia, causada pela resposta reflexa do cérebro ao ritmo dos atabaques que é por volta de 10 ciclos.

Imagine que você pratique qualquer tipo de dança. Ao pegar o ritmo da música e pela repetição dos movimentos, que, de início é voluntária, eles se tornam reflexos e automáticos, principalmente se já dançou a mesma música e outras com o mesmo ritmo. Em pouco tempo os pés caminham sozinhos e a conversa poderá discorrer solta a respeito de qualquer assunto. Você entra em estado alterado de consciência e nem sente passar a noite.

Você está aprendendo a dirigir um automóvel. Você sofre e sua até que automatiza os reflexos de direção, câmbio e pedais. Depois de certos anos, se aprendeu a dirigir antes dos 28 anos, lá vai você pela 23 de Maio no horário de rush, olhando no retrovisor, ou, conversando com o passageiro do banco de trás, quando não está costurando de uma pista para outra.

Quando você cantou um hino de Igreja pela décima vez e já o sabe de cor, e se você é estimulado a fazer qualquer movimento do tipo embalo, ou movimento rítmico como o de bater palmas enquanto canta, você entra no automatismo; com a retroalimentação nervosa. Há “um enlevo” típico que caracteriza o estado alterado de consciência de um transe hipnótico moderado, o corpo leve manifesta a presença de uma maior energia potencial disponível.

Em uma assembleia em que as pessoas se põem a repetir frases e chavões, o transe vem, e a cada repetição posterior torna-se mais fácil.

É bem característica a atitude da multidão que frequenta shows de roque, ou de músicas conduzidas por cantores em trios elétricos. O agito repetitivo dos braços e as gingas de corpo promovem o estado alterado de consciência, proporcionando as condições para um ataque do tipo histérico para os predispostos. O mesmo se vê em igrejas “evangélicas” e outras, que usam música ritmada e danças durante o “culto”.

Qualquer processo onde haja repetição de palavras, sons, imagens, movimentos, pode gerar automatismos que levem a um estado alterado de consciência, ou um estado de espírito diferente e não faltará o comentário -“mas que astral… que energia positiva eu senti no ambiente”.

A característica geral de quem está em estado alterado é a de ser susceptível a ser sugestionado, isto é o seu subconsciente é facilmente acessado para imprimir ou para buscar informações no banco de memória. Geralmente o acesso é através de palavras sugestivas. Mas há outras possibilidades, senão, vejamos:

Estávamos eu e a minha esposa em um período de buscas. Fomos a uma Igreja denominada Maranata lá para os lados da Vila Guilherme. Os bancos eram do tipo rústico de tábuas de pinho. Entramos e sentamos. A maioria das pessoas estava de pé e cada qual repetia suas orações em voz alta. Alguns repetiam frases feitas. Alguns estavam sentados introspectivos.

Enquanto eu aguardava o que deveria se suceder, abri a Bíblia e li João capítulo 15 até o versículo 8. Parei e voltei a ler do começo. Para minha surpresa e da esposa, uma senhora sentada à frente e outra à esquerda levantaram-se e de imediato repetiam em voz alta o que eu lia.

Surpreso, parei a leitura e fechei a Bíblia. As duas pararam de falar e sentaram-se. Comentamos, eu e a esposa, o fato. Tentei repetir o fenômeno. Abri em Lucas, capítulo 19, no trecho referente à Zaqueu o publicano e comecei a ler com alto grau de concentração. Li até o fim, verso 10 e nada ocorreu. Tornei a ler desde o começo, e já estava quase no fim, quando o pastor se levantou de sua cadeira, estendeu os braços para o auditório pedindo silêncio e então disse: – “O Senhor me revelou que devemos todos nós, abrir a Bíblia em Lucas capítulo 19 e ler todo ele, de 1 a 10.” E toda congregação leu o capítulo referido.

Que cada um dos leitores interprete o acontecido, cada qual de acordo com o seu entendimento.

Em qualquer ritual, observamos que basicamente há um movimento ou uma postura, que está associado a uma imagem ou impressão cênica e associado a uma ideia ou pensamento. Pela repetição do movimento e da imagem, associados ao pensamento, depois de várias repetições, o movimento ou a imagem disparam o significado do pensamento.

 

Alberto Barbosa Pinto Dias, Bacharel em História Natural (todas as Disciplinas Biológicas e Geológicas), Licenciado, Especialista. USP, 1955.
Qualquer questionamento sempre será bem recebido e respondido.

Postado em : Aficionados em Psicologia

Deixe sua mensagem

Seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios são marcados *

*

.