09º – Reflexões Básicas Para Aficionados em Psicologia

09º – Reflexões Básicas Para Aficionados em Psicologia

Reflexões Básicas Para Aficionados em Psicologia IX

Processos de desenvolvimento Neurossomáticos

Muitas pessoas, com ou sem interesse financeiro, estão interessadas no melhoramento pessoal e no melhoramento da Humanidade. Aqueles que se preocupam com melhoramento pessoal, geralmente não são incomodados, e vivem muitos anos se não houver um acidente ou incidente que impeça, haja vista Sidarta.

Aqueles que se preocupam com o melhoramento social, e com as justiças e injustiças sociais, em qualquer nível de sociedade, tentando corrigir desmandos de líderes e de “autoridades”, geralmente são agredidos, de início com ditos chistosos, depois com críticas, depois com perseguição, conforme instrui o Zen Budismo. O Homem Jesus, nascido 600 anos depois de Buda, sabia disso e passou por tudo isso.

Em termos de eternidade, o melhoramento do indivíduo, e de indivíduos, com o tempo resultará em melhoramento de humanidade. Talvez baseado nisso, Paulo que era lúcido, faz as recomendações em Filipenses, Capítulo 4: v. 8. Que sejamos corretos, honestos puros limpos e bons. Que sejamos criativos e construtivos. Que consideremos a humanidade como pais, mães irmãos e irmãs, como bem sintetiza José Manuel Silva, de Laredo, Texas, falecido em Janeiro do ano 2000.

Muitas vezes a opressão é muito grande e gera impaciência e revolta. Estão aí os movimentos sociais crescendo em todos os estados. As acusações que fazem os políticos a esses movimentos é o de que eles são movimentos políticos…!

Da Yoga

Deixemos de lado qualquer tipo de conotação religiosa que a Yoga possa apresentar e estudemos os exercícios e seus benefícios, pois se trata de uma Psicotecnologia com efeitos positivos comprovados e aceitos pelos psicólogos de linha de pensamento Humanista. Há religiosos ignorantes que se opõem, mormente porque em suas religiões há muito discurso e pouca prática além da mesmice.

Há exercícios para domínio dos movimentos e posições do físico. O primeiro nível diz respeito à não contração, ao relaxamento muscular (Laya  yoga). O segundo nível diz respeito a controle de músculos para uma postura a ser automatizada pela repetição (Hatha Yoga).

A repetição de uma mesma postura exige concentração. Depois pela repetição vem o Automatismo ou Condicionamento (reflexo condicionado).

Todo automatismo leva a um estado alterado de consciência, ou, a um estado de espírito diferente. Um estado alterado de Consciência em nível de introspeção apresenta um maior nível de concentração e o cérebro com pulsação mais baixa se apresenta com um nível de energia potencial maior.

Maior potencial de energia eletroquímica permite uma metaprogramação cerebral mais eficiente, além de levar o Consciente a se integrar com o Supraconsciente, e assim exercer Poder à distância, com projeção de energia quântica.

Instruções a respeito de amor ao próximo, controle de sentimentos e de emoções, (Karma e Backti Yoga) facilitam a busca da paz interior necessária para a estabilidade do processo.

Dentre os vários níveis de Yoga, aprendemos que há um exercício que é fundamental para o desenvolvimento mental e psíquico. Geralmente esse exercício é ensinado depois de certo estágio, em que o adepto já aprendeu o processo de introspecção e já o automatizou de tal maneira que introspeção e concentração em nível de Consciente Interior são um processo rápido e natural.

O senão, na Yoga tradicional, é que os exercícios básicos que o antecedem são apresentados com instruções demoradas de fundo místico, onde muitos se perdem no meio de nomes complicados.

O processo de Concentração no nível Exterior Consciente, objetivo, permite que colhamos informações por via visual, auditiva, táctil, olfativa, gustativa. Essas informações passam a ser pontos de referência gravados no cérebro. São as ideias em nível subconsciente.

O processo de Contemplação é disparado quando voltamos o nível consciente para nosso interior, iniciando introspectivamente os enfoques subjetivos, trabalhando os pontos de referência gravados no banco de memória, associando as ideias e produzindo pensamentos em Meditação Dinâmica (Jnana Yoga).

Durante a Contemplação podemos analisar as ideias, colocar em ordem as informações e os pensamentos bem como podemos ordenar a conotação dosmesmos, fazendo questionamentos.

Pela ação da vontade podemos parar o processo de associação de ideias, imagens, pensamentos, e entramos em um processo de Meditação. Durante a meditação o consciente não busca nada no banco de memória, mas a Inteligência continua trabalhando, mesmo inconscientemente, com os dados e as informações.

O fruto da meditação é a intuição Heurística (defendida pelo filósofo Bazzarian), bem como a intuição que resulta da recepção de informações provenientes de outros cérebros, muitas vezes resposta aos questionamentos anteriores.

A prática de concentração para a colheita de dados e informações, seguida de um período de contemplação, para ordenação e análise das ideias e depois um período de meditação para repouso do consciente é denominada Samyama. Esta prática de certa maneira ajuda a acionar os circuitos neurossomáticos e é uma porta de abertura para os exercícios da Yoga superior, a Raja Yoga, exercícios que, quando modernizados, levam os indivíduos geneticamente favorecidos com sangue tipo B e AB rapidamente à telepatia, vidência e clarividência.

 

Alberto Barbosa Pinto Dias, Bacharel em História Natural (todas as Disciplinas Biológicas e Geológicas), Licenciado, Especialista. USP, 1955.
Qualquer questionamento sempre será bem recebido e respondido.

Postado em : Aficionados em Psicologia

Deixe sua mensagem

Seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios são marcados *

*

.