09º – REALIDADE PESSOAL E REALIDADE COLETIVA

09º – REALIDADE PESSOAL E REALIDADE COLETIVA

Realidade Pessoal e Realidade Coletiva – 9

(Folhas de Outono)

A Tradição oral e as práticas dos Polinésios, prováveis descendentes dos habitantes do Continente de Mú, desaparecido em Cataclismo na época da última Glaciação, se difundiram pelo Oriente Médio e pela Ásia.

Assim é possível que também já houvesse conhecimento das habilidades psíquicas e de como fazer o desenvolvimento das mesmas na Ásia antes de 4.000 a. C., porém os Vedas e os Aforismos de Patanjali, bem como os Sutra datam de aproximadamente 4.000 a. C., e mostram um sentido de organização de filosofias associadas a exercícios psíquicos, que resultaram nas práticas de Yoga, que se desenvolvem em 7 níveis e em 7 anos atualmente.

Nessa mesma época coincide o desenvolvimento do psiquismo com habilidades psíquicas na Civilização egípcia, provavelmente difundida por sobreviventes da Atlântida, mas os escritos da Biblioteca de Tebas foram destruídos pelos Assírios invasores. Restou o Tarô e seu simbolismo a ser decifrado, e alguns conhecimentos de Inhotep em hieróglifos (2.800 a.C.). Esse sábio foi denominado Hermes Trimegisto pelos Gregos, que frequentaram as Escolas de Mistério no Egito. Indiscutivelmente Moisés também as frequentou, e no êxodo os Judeus levaram o conhecimento, que em parte se define na Cabala e no Tarô,

Em 2.700 a. C. Melquisedeque, rei de Salem (próximo de Nazaré), manifestou o conhecimento de poderes psíquicos a Abrahão. Com sua morte, os conhecimentos de Melquisedeque foram preservados pelos seus discípulos que mantiveram a “Ordem de Melquisedeque”. A esse respeito o Livro de Hebreus na Bíblia declara várias vezes que o senhor Jesus, nos ano Domine, foi Sumo Sacerdote da Ordem de Melquisedeque.

Ninguém é Sumo Sacerdote de uma Ordem sem passar pelos graus de aprendizagem. Como na Bíblia não há nenhuma referência ao que se sucedeu na vida de Jesus dos 12 anos de idade aos 30 anos, o que há nas escrituras em Hebreus, restabelece a lógica e a razoabilidade na possível origem dos muitos feitos surpreendentes descritos nos Evangelhos, os quais são, mais um relato de feitos extraordinários do Mestre Jesus do que propriamente uma Biografia.

Voltando na Linha do Tempo primeiro temos Os Kahunas e suas práticas psíquicas, bem como seu Código regulador de condutas de há mais do que 11.000. O conhecimento mais profundo das práticas foi feito através do estudo das ações psíquicas, e da tradição oral dos polinésios no Havaí.

Depois o desenvolvimento da Huna na Índia, resultou na Yoga e no Hinduísmo, desde há 4.000 anos. Ao mesmo tempo o desenvolvimento do psiquismo dos Egípcios com um ápice há 2.800 a. C. com Inhotep, o Sábio, denominado Hermes Trimegisto pelos gregos que estudavam em Tebas. Na mesma época há 2.700 a. C. a presença do Mago Melquisedeque e sua Ordem, que poderia ter resultado no Tao que foi divulgado na Ásia e no Cristianismo 2.700 anos depois.

Em 600 a. C. temos os Conhecimentos de Buda, que resultaram no Budismo como filosofia e posteriormente como religião.

Nos ano Domine o senhor Jesus, o Sumo Sacerdote da Ordem de Melquisedeque, antes de divulgar sua filosofia e tentar reformular o Judaísmo, mostrou claramente os seus poderes psíquicos, e ainda afirmou: “isto eu faço para que creiam em mim”.

Nos Evangelhos do Senhor Jesus o Código da Huna fica claro na “Lei Áurea”. O Senhor Jesus acrescenta que o Poder Vem de Dentro, do “Reino dos Céus que está dentro de vós”, porque a Energia da Divindade é imanente dentro de suas criaturas, e se há sintonia, ela pode ser mobilizada, resultando em “O Pai em mim opera as obras”. O Senhor Jesus deixa claro que qualquer indivíduo pode experimentar segundo João 14: 12.

O Conceito de “O Reino dos Céus está dentro de vós”, coincide com o mesmo conceito na Tradição Oral milenar entre os Africanos de língua Yorubá, onde é denominado Orum Mila, e também coincide com a Tradição Oral milenar dos Polinésios e Havaianos, onde recebe o nome de Milú.

Em todos eles “o reino dos céus” é um lugar dentro da cabeça, onde vivem os mortos (memória visual) e onde vivem os mitos, as fadas e os duendes, ou seja, O Reino dos Céus, é O Centro da Imaginação Criativa, único instrumento que temos para resolver nossos problemas.

Com a divulgação do Cristianismo, e com a instalação da Igreja Católica Apostólica em Roma em 313 d. C., pelo Imperador Constantino, que aboliu por decreto as outras Crenças no seio de seu exército, uniu os homens sob uma única crença, o cristianismo, para ter um exército mais coeso, o que facilitou as incursões militares no Oriente Médio e na Europa.

Não se vê a divulgação dos poderes psíquicos em nenhum momento nas divulgações oficiais da Igreja Católica Apostólica Romana, nem na Bíblia Canônica, como se os discípulos do Senhor Jesus nunca houvessem escrito a doutrina que receberam do Senhor Jesus em reservado.

Esses fatos foram uma sugestão para Maomé em 600 d. C. ter a ideia de igualmente unir o Mundo Árabe sob a bandeira da Fé, e assim surgiu o Al Corão que contem passagens da Bíblia, e a ideia do Islã sob as bênçãos de Alá.

Assim como a ideia de Constantino funcionou como programação cerebral das massas, a publicação de Maomé, idem, como reação até os dias de hoje. O mais é História Universal misturada com as diferenças de Crenças, e referente às incursões religiosas armadas e as guerras santas oriundas de ambos os lados.

Havia um movimento filosófico-espiritual no Oriente, o Sufismo, que persiste até os dias de hoje independentemente e fora das características guerreiras e das violências da Sharia e do Islamismo xiita no Estado Islâmico. É a parte Espiritual do Islamismo.

 
Alberto Barbosa Pinto Dias, Bacharel em História Natural (todas as Disciplinas Biológicas e Geológicas), Licenciado, Especialista em Fisiologia (Bioenergética e Órgãos dos Sentidos) USP, 1955.
Qualquer questionamento sempre será bem recebido e respondido.

Postado em : Realidade

Deixe sua mensagem

Seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios são marcados *

*

.