08º – Introspecção e Paz Profunda – Hipnose I

08º – Introspecção e Paz Profunda – Hipnose I

Introspecção e Paz Profunda

Hipnose I

Sob o ponto de vista da medicina moderna, o estado de hipnose é uma condição mental, um estado de consciência, um estado de espírito, em que a pessoa tem acesso ao subconsciente, ao banco de memória, seja para lembranças ou seja para proceder novas impressões.

Estudando-se o comportamento de uma criança, percebe-se que a criança de até 7 anos não tem condição de raciocínio indutivo e analítico. A criança raciocina deduzindo e por essa razão, aceita como verdade as afirmações que são feitas por pessoas que elas considerem como autoridade, como sejam, o pai e a mãe, o professor e a professora. Também os dirigentes religiosos como o padre, o pastor, o dirigente espírita e outros em outras culturas.

Quando se leva em conta a eletroencefalografia, verifica-se que nas crianças predominam as pulsações eletroquímicas dos neurônios  entre 4 e 7 ciclos/seg. quando então o nível de energia é maior, entre 250 a 380 microvolts.  Paralelamente ao fato da existência de mais energia, observa-se a facilidade com que as crianças imprimem as informações no banco de memória e a facilidade que apresentam lembranças. Também é nessa faixa de idade em que as crianças manifestam suas emoções de agrado e desagrado sem bloqueios.

As emoções básicas são de amor e de desamor. Crianças tratadas com amor e que respondem com reciprocidade, aprendem com facilidade. Quando há sentimentos de desamor, há bloqueios psicológicos e dificuldade de aceitação, manifestando-se a teimosia.

Como a criança apresenta alto grau de sugestibilidade, podemos dizer que a condição normal de uma criança de zero a sete anos é similar à condição de um adulto que esteja em estado de hipnose. Não seria totalmente errado dizer que uma criança vive em permanente estado de hipnose, sendo assim  sujeitas a assimilar crenças que são impostas.

Quando estudamos o funcionamento do cérebro de um adulto com encefalografia, verificamos que há predominância de ondas Beta se está raciocinando com os olhos abertos, dialogando. Pode haver concomitância de ondas alfa nos momentos em que imagina ao escutar ou expõe pensamentos.

Se o adulto está introspectivo, imaginando, a predominância é de ondas Alfa. Se o adulto vira os olhos para cima em busca de lembranças a predominância ainda é de ondas Alfa, mas se fecham os olhos e manejam pensamentos e imagens de modo introspectivo a predominância passa a ser de ondas Teta.  Quando a predominância é de ondas Alfa o potencial elétrico medido é de 100 microvolts e se há predominância de teta sobe para 250 microvolts, podendo chegar normalmente a 380 microvolts, ou ainda até 2.500 microvolts.

Quando a pessoa é instada a lembranças carregadas de emoções, ou se está concentrada em criatividade a predominância é de ondas Teta e há alta energia em potencial.

Verificamos que o cérebro de um adulto em hipnose mais profunda, funciona com predominância de ondas Teta e alto nível de energia, como se o cérebro do adulto estivesse funcionando como o cérebro de uma criança de 4 a 7 anos de idade, aceitando sugestões e funcionando dedutivamente.

A diferença estaria no fato de que o nível consciente lógico racional e analítico desenvolvido pelo adulto dos 7 aos 21 anos de idade não estivesse em plena função sob o ponto de vista psíquico. Daí a possibilidade dos conceitos de Mente Consciente e de Mente Subconsciente.

Do que foi deduzido até o momento, já dá para entender que nossa consciência apresenta mais do que um aspecto, ou nível de funcionamento.

Quando se oferece a um adulto a possibilidade de aprendizado acelerado , há duas opções a serem consideradas: 1- Indução hipnótica.  2- Ensino para obtenção de estado de Autohipnose, consciente e voluntária em qualquer tempo e lugar.

Pela autohipnose consciente o indivíduo pode estar livre de qualquer dependência em relação a terceiros, desde que aceite um treinamento que leve a formação de reflexos condicionados que automatizam a entrada consciente em níveis de introspecção profunda. Assim as gravações das novas informações são conscientes e voluntárias.

Pela hipnose, há possibilidade de se manter a pessoa semiconsciente, ou ainda inconsciente durante o processo de gravação das informações. Neste caso tudo se passa como se o cérebro fosse um computador recebendo um programa (soft) o qual enriquece o banco de memória subconsciente.

Assim sendo, há necessidade de a pessoa leia, ou, ouça conscientemente o que pode ser programado sob a hipnose para que possa fazer uso consciente das informações.

Em se tratando de hipnose e gravações inconscientes, o hipnotizado poderá agir de acordo com um programa, pensando ser de vontade própria, ou, agir com ação desencadeada através de um estímulo sinal, previamente combinada. É o que acontece com os “suicidas” (nem tem consciência do que fazem), preparados pelos “religiosos” no Oriente Médio.

Alberto Barbosa Pinto Dias, Bacharel em História Natural (todas as Disciplinas Biológicas e Geológicas), Licenciado, Especialista. USP, 1955.

Qualquer questionamento sempre será bem recebido e respondido.

Postado em : Introspecção e paz profunda

Deixe sua mensagem

Seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios são marcados *

*

.