A evolução do Psiquismo – 08 –  A diferença básica entre os raciocínios e suas razões concludentes

A evolução do Psiquismo – 08 – A diferença básica entre os raciocínios e suas razões concludentes

 A Evolução do Psiquismo

 A diferença básica entre os raciocínios e suas razões concludentes

1- Há as razões que são apresentadas com raciocínios lógicos, até razoáveis, mas pouco prováveis, ou mesmo improváveis, como pode ser uma boa parte das afirmações de procedência mística.

Essas razões que dependem de suposições, quando aceitas estabelecem crenças. Dependendo da interpretação que façam de uma doutrina, os que são adictos a uma crença, questionam a veracidade das informações resultantes de descobertas científicas quando elas, sendo posteriores à implantação da mesma crença, invalidam os arrazoados que as sustentam. Muitas vezes as novas descobertas da ciência invalidam afirmações da própria ciência, tomadas anteriormente como verdadeiras.

Sempre é possível avaliar uma razão pela sua razoabilidade, seja ela a favor ou contra um ponto de vista. Quando a pessoa é acessível, isto é, se ela se permite ser esclarecida a respeito da possibilidade das mudanças de perspectiva para entender a possibilidade de novas maneiras de compreensão, ampliam-se os enfoques para entendimento e avaliação de razoabilidades.

Assim sendo, um místico pode ser filósofo ou não. O místico que procura entender e harmonizar a sua própria natureza mística com as informações científicas é denominado Místico Esotérico.

O místico naturalmente tem religiosidade. Se tiver religiosidade pode estar, ou não, adepto e engajado em um Sistema Religioso Organizado que aplique uma doutrina, aplicação essa regulamentada por normas, princípios, dogmas, rituais e ou fundamentos. Geralmente o místico com tendências à filosofia não se submete por muito tempo a essa condição por prezar sua independência de pensamento.

Se o místico for religioso sectário e fizer parte de uma Estrutura Organizada, a expressão de sua razoabilidade filosófica estará mais ou menos comprometida, dependendo do grau de envolvimento com cargos, funções e salários, ou, outros fatores de interesse de submissão ao Sistema Sectário, ou, Organização. Nestes casos, com o tempo, sendo uma pessoa esclarecida, manifestam-se alterações na fisiologia do corpo como consequência das muitas tensões na Consciência, e que são devidas aos conflitos entre a aparência expressa pelo seu nível consciente e a realidade, ou seja, a sua verdade em seu subconsciente.

Os maiores conflitos mentais se devem às discrepâncias entre o que queremos aparentar e a realidade do conteúdo interior e consciente.  A vida se desenrola em um palco onde somos obrigados a apresentar mais do que uma persona. O importante é que cada persona esteja em harmonia com o caráter básico. Caso contrário as Tensões na Consciência dão origem às doenças e enfermidades mais comuns, observadas nos líderes de qualquer tipo de Sistema social, ou, religioso, onde o homem deve ser político.

Há os que afogam a Consciência em álcool, ou, drogas para adormecer a própria percepção da falta de integridade, quando a pessoa está consciente de não Ser nem justo e nem reto. Neles são evidentes o envelhecimento precoce e suas consequências em muitos governantes.

O problema pode ser observado em toda e qualquer Organização, que  circunstancialmente é do plano material como estrutura física, com suas despesas, arrecadação e interesses da hierarquia. Quando a organização é voltada para o desenvolvimento psíquico e ou com pretensões espirituais, os interesses e as necessidades materiais podem atrasar a evolução espiritual não só dos líderes, mas também de afiliados envolvidos.

2 – Há raciocínios que são lógicos, razoáveis e prováveis como são as hipóteses e as conclusões que defendam uma teoria desenvolvida cientificamente com honestidade.

No modelo científico, com a observação dos fatos e dos fenômenos, desenvolvem-se suposições básicas, lógicas e razoáveis. As suposições que explicam os fenômenos devem ser testadas pela experimentação e é quando os cientistas tentam repetir os mesmos, baseados nas mesmas suposições. Se as suposições forem confirmadas pela experimentação, assumem a categoria de Teoria.

Na Filosofia Pura predominam as razões decorrentes de raciocínios lógicos, razoáveis e principalmente do que seja provável. A Filosofia Pura não deve se submeter aos modelos rígidos e não deve desenvolver crenças fechadas.

Assim sendo, todo filósofo pode ser um teólogo, mas nem todo teólogo pode ser considerado filósofo se estiver preso a um Sistema que apregoe qualidades, vontades e necessidades relativas ao Deus do seu entendimento e ao mesmo tempo pretenda fazer com que se acredite que o mesmo Deus é O Insondável, O Incognoscível, O Inescrutável. Há incoerência nisso?

Alguns teólogos se especializam em dizer coisas que, todos nós humanos ignoramos e não admitem questionamentos. Se questionados, há os que empalidecem tipo C, e há os que têm uma elevação de pressão sanguínea abrupta e são explosivos, tipo A. Essas reações deixam evidente o que se passa na consciência dos dois tipos de reação humana ao stress emocional, que pode resultar em problemas cardíacos e circulatórios, ou, no desenvolvimento de tumores.

Alberto Barbosa Pinto Dias, Bacharel em História Natural (todas as Disciplinas Biológicas e Geológicas), Licenciado, Especialista. USP, 1955.

Postado em : Psiquismo

Deixe sua mensagem

Seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios são marcados *

*

.