Atividade Psíquica Além do Corpo – 07 – Dando Continuidade às Habilidades Psíquicas

Atividade Psíquica Além do Corpo – 07 – Dando Continuidade às Habilidades Psíquicas

Atividade Psíquica Além do Corpo

Dando Continuidade às Habilidades Psíquicas

Quando o homem tem condições de perceber, que a integridade da Consciência é que mantém o Físico Íntegro, e que se essa massa de energia Espírito deixa o corpo físico de modo definitivo, o físico se desintegra, então percebe que é a isso que denominamos morte física.

Se assim é, enquanto o Espírito se mantém ligado com o físico, ele manifesta uma Lei de Integridade para o Físico. Portanto a saúde física deve depender do grau de Integridade do Espírito (Integridade de Consciência); deve depender do equilíbrio energético que se obtém com uma Consciência livre de Tensões, em Paz Profunda, pelo menos até os 84 anos, idade alcançada por Matusalém e idade sugerida por Salomão como média de vida para uma pessoa saudável. Qualidade de DNA associada à uma Vida Equilibrada, sem fanatismos de nenhuma espécie, seja de política social ou religiosa.

Muitas doenças e enfermidades desaparecem, ou, não progridem, quando a pessoa “se salva” ainda nesta vida, ao se converter à mensagem dos Evangelhos, portanto,  elimina as tensões na consciência, quando, evita, em respeito ao Espírito Santo de Deus, intensões e atitudes agressivas, e livra-se dos pecados da ofensa, injúria e prejuízos causados a terceiros, sejam danos materiais ou de ordem moral.

Jesus nos ensinou isso de modo direto e simples:- “Ama a Deus sobre todas as coisas e ao próximo como a ti mesmo”. Se na comunidade significa “amor compartilhado”, quem ama ao próximo, respeita.

Quem respeita o próximo se respeita. Respeito ao próximo é tudo, pois é a própria e efetiva demonstração do amor. O Amor por si só é muito subjetivo e o respeito é direto e objetivo. Então é fácil entender: “respeite ao próximo da maneira como você se dá respeito”.

Avançando na idade e na experiência o homem pode perceber que as experiências ocorrem mais intensamente até o sétimo período de sete anos de vida. Progressivamente com menos intensidade até o nono período de sete anos. Entende que se o físico está com menos energia vital, uma parte da energia consciente deixa de sair do corpo, não há mais desdobramento nem bilocação, economizando energia até a hora da morte física e possivelmente retardando-a. Parei de sair do corpo “com tudo” a partir dos 56 anos de idade, mas foi possível manter a Projeção Psíquica Efetiva até os dias de hoje.

As ações da Consciência de alguém que está vivo, mobilizando o “espírito” na dimensão fora do físico, e na Dimensão material dependem do nível de energia vital cedida pelo corpo físico. Na idade certa tem as suas experiências, como se estivesse participando de uma escola em outra dimensão, com entendimento progressivo, sem necessidade de repetir experiências passadas se o entendimento foi efetuado. Se insistir em repetições poderá  não haver evolução no sentido das experiências, pois não dá continuidade.

Quando há morte física e a massa de energia espírito se desprende, como energia que é, pelas leis da física, possivelmente não se perde talvez apenas se modifique. Quem tenha experiências fora do corpo pode entender o que seria a eternidade relativa, pois permanecemos como um campo de energia particular, limitado, mas consciente e cognitivo, no meio do oceano de energia do Universo.

Se são assim as experiências tidas antes da morte, pode ser que também seja assim depois da morte física, apesar de que, neste caso, falta a ligação com o cérebro e a fonte de energia vital (mana), que alimenta as ações do espírito no plano físico. Resta saber como será se for mantida a Sintonia com a Fonte do Espírito Santo de Deus.

Também podemos entender que essa massa de energia denominada Espírito (Consciência), tem características peculiares a cada indivíduo devido à integração dos três Eus e poderá ser denominada Personalidade de Alma. Quanto a voltar a possuir outro corpo, e renascer na carne, foi Jesus quem afirmou a seus discípulos:- “Elias já voltou e não o reconheceram e fizeram dele o que quiseram”. Então os discípulos entenderam que Ele se referia a João Batista, o qual vivia com uma Personalidade de Alma, que em uma época anterior foi a personalidade de Alma do profeta Elias.

Se Elias voltou, por qual razão outros não podem voltar para tentar melhorar, ou cumprir um trabalho da Criação neste plano? Também é evidente que enquanto no outro plano, como Consciências no “Além” não podem agir neste plano, de acordo com o que ensinava o senhor Jesus, pois necessitam da energia vital do corpo para acionar os quantos de energia na Dimensão onde há espaço-tempo, mas explica alguns outros fenômenos causados por Consciências não íntegras, ou melhor, desintegradas que resultam dos “Sepulcros Caiados”.

Ainda com relação a voltar, temos a afirmação do próprio Jesus o Cristo referindo-se à sua volta. A pessoa pode ter ido antes da hora programada, se deixou o trabalho pela metade por acidente, ou, pela ação nefasta de alguns homens naturais e outros carnais, como foi nos casos históricos de João Batista e depois de Jesus, sem a necessidade de citar todos os demais casos de morte violenta como extermínio dos judeus causado pelos nazistas, e de outros genocídios atuais causados pelos Islâmicos radicais, talvez como uma resposta tardia aos Cruzados oriundos da Igreja Católica na Idade Média.

Afora isso, há muito conhecimento para expandir uma consciência limitada por uma só vida planetária, em uma só morada, já que deve haver muitas moradas. Fica a pergunta:- Quantas vezes serão as que Moisés (Moria El), Elias e Jesus já voltaram e “não os reconheceram?”.

É possível, que em uma de suas voltas, a personalidade de alma conhecida como Jesus, entregou-se ao sacrifício extremo para marcar, como marcou, com sua vida, morte e ressurreição, os seus ensinamentos, que perpetuam nos Evangelhos como sendo as Boas Novas. Jesus marcou de maneira definitiva o poder do Espírito (Consciência) sobre a matéria e mais ainda a perpetuação do Espírito-Consciência como modalidade de energia consciente e inteligente.

Em todos os continentes há diferentes grupos culturais. Cada grupo cultural pode se apresentar com uma psicoreligiosidade diferente. A tendência dos líderes e dirigentes em uma cultura é atribuir às habilidades psíquicas de quem as tenha desenvolvido, como sendo consequência da psicoreligiosidade dominante em sua própria cultura, e o modelo apresentado é o de algum de seus mestres iluminados.

Ora, como há um sem número de atitudes psicoreligiosas e os fenômenos básicos (nível I) são sempre os mesmos em qualquer uma delas, certamente as habilidades psíquicas independem das atitudes psicoreligiosas, e independem do que pensa e prega a liderança e os dirigentes de qualquer Ordem, Disciplina, ou em qualquer Sistema Religioso ou não.

Todas as habilidades psíquicas têm um denominador comum que é um estado alterado de consciência. Esse estado alterado de consciência é caracterizado por alterações fisiológicas no cérebro, o qual mostra diferentes níveis de energia detectada por aparelhagem física. Em estado normal de raciocínio 50 microvolts de tensão elétrica; medianamente concentrado e em imaginação plena, 100 microvolts de tensão elétrica; em alto grau de introspecção profunda com concentração na imaginação, de 250, 380, ou muito mais microvolts em cada um dos milhões de neurônios, podendo chegar até à 2.500 microvolts (Jean Milley – Barbara Brown).

Curiosamente, entre os antigos havaianos e os da época da descoberta do Hawai, os que tinham qualidades e habilidades psíquicas, mencionavam os três níveis de energia psíquica, rotulando-os de Mana a energia do Eu Médio, Mana – Mana (Mana em dobro) a energia do Eu Base, relativa à introspecção com imaginação e Mana-Loa, a energia no nível do Eu Superior, a energia capaz de agir à distância e fora dos limites dos conceitos de espaço-tempo. Recordemo-nos dos dizeres bíblicos no Velho Testamento a respeito do Manah.

Alberto Barbosa Pinto Dias, Bacharel em História Natural (todas as Disciplinas Biológicas e Geológicas), Licenciado, Especialista. USP, 1955.
Qualquer questionamento sempre será bem recebido e respondido.

 

Postado em : Psiquismo

Deixe sua mensagem

Seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios são marcados *

*

.