06º – Deus, Fé, Crenças, Religião e Política – VI

06º – Deus, Fé, Crenças, Religião e Política – VI

 Deus, Fé Crenças, Religião, Política – VI

Muitos decoram a Bíblia sob uma só perspectiva e se isolam de tudo o mais que possa ser considerado conhecimento, e passam pressuposições como informações, as quais se tornam Crenças limitantes.

A solução individual para o dia a dia está no respeito à própria inteligência, no respeito à individualidade, não se deixando levar pela falácia e pela demagogia.

Todo demagogo usa de fantasias e de recursos como metáforas e alegorias, que de alguma maneira emocionem os demais, além de palavras gestos e atitudes usuais, repetitivos, e que impressionem.

Pessoas emocionadas são mais sensíveis às sugestões e suposições enfeitadas com metáforas e alegorias. Nós devemos respeitar o nível da inteligência do próximo, respeitando o próximo, e mais, evitando se impressionar com o que não convém à nossa liberdade, e à nossa saúde física, mental e financeira.

Todo ritual é condicionador e leva as pessoas a um estado de maior sugestibilidade. Todo Sistema Organizado de forma arbitrária tem rituais condicionadores e implantam crenças limitantes. Os Iluminati se divertem com isso e puxam OS CORDEIS de todos.

Ter Fé é sentir que Deus existe, e ter respeito por Ele. É um sentimento e sentimento não se discute, porque com sentimento não se faz prova a favor, nem contra. Os sentimentos que acompanham a Fé nos conferem a Religiosidade, que é a vontade de se ligar a Deus, e receber a Sua orientação nesta vida terrena.

Religiosidade é uma coisa e Religião é outra totalmente diferente. A Religiosidade pode ser um sentimento comum a toda humanidade, independentemente de ter ou não religião, ou, do tipo de religião que se possa aceitar e professar em função de uma religiosidade.

Informar é proporcionar coleta de dados e informações, é dar cultura se as informações forem corretas. Informação não é Conhecimento.

Conhecimento é o que resulta de se ter experiências eficientes e esclarecedoras por seus resultados. Experiências Psíquicas com resultados eficientes fazem pensar de modo correto devido aos resultados objetivos ou subjetivos que se obtenha.

Há informações de todo tipo. Acreditar só em informações a partir de terceiros é gerar Crenças. Crenças são pressuposições que sejam consideradas como verdadeiras, mesmo que pouco prováveis.

Como as Crenças são a base para a experiência de qualquer realidade pessoal, a ideia básica é a de que nossa experiência de vida é condicionada pelo que acreditamos. Só podemos experimentar aquilo que acreditamos ser possível em algum nível de Consciência, e por essa razão podemos afirmar que “aquilo que um pensa ser verdade, é a verdade para esse um”.

Assim sendo, há os que experimentam, observam os resultados dos experimentos, conferem a autenticidade e a possibilidade de que os resultados sejam conferidos por outros que façam os mesmos experimentos.

Contrariamente há os que fazem discursos sobre a flor, o motor e o amor e projetam belas imagens mentais de modo subjetivo, ou objetivamente, e movem as emoções que obliteram as razões.

Uns lidam com fatos que levam a pensamentos razoáveis e prováveis, outros fantasiam e lidam com metáforas e alegorias para encobrir a falta de conhecimento com o excesso de cultura que querem demonstrar. Por exemplo, afirmar: “Deus, sentado em seu trono de graça, no alto dos Céus, comtempla a criação.” Isso diz, apesar do senhor Jesus afirmar: “O reino dos céus está dentro de vós”.

As experiências pessoais podem ser transmitidas a terceiros, e se os demais puderem ter o mesmo tipo de experiências, esse fato nos dará a certeza de que os resultados não são fantasia nem alucinação.

Se as nossas Crenças forem pressuposições limitantes, elas serão o limite de nosso alcance de percepção e de conscientização.

No entanto, aceitar Crenças formadas a partir de informações de terceiros, que cultivam como crenças pressuposições limitantes, é pedir para nunca chegar a ter algum tipo de conhecimento que seja proposto e demonstrável. Com a advertência do Salmo 118: 8, o melhor é experimentar pessoalmente e ver e comparar resultados.

 Há três tipos básicos de Crenças:

1 -   “Baseada em Pressuposição – É um Estado de Crença no qual não há dúvida nenhuma, e nossa experiência consiste no que acreditamos”. Se a pressuposição for limitante em relação aos pensamentos e as ações, somos fechados a outras possibilidades.

2 – “Baseada em   Atitude – É uma crença que abre margem para dúvidas, mas se as atitudes forem habituais, continuarão afetando pensamentos e ações no dia a dia”. Atitudes são crenças que determinam ações, mas diante dos resultados, podemos mudar ou não a maneira de pensar, para que haja adaptação.

3 -  “Baseada em Opinião – É uma crença que pode ser facilmente mudada diante de um fato novo, ou, de uma experiência que leve a um conhecimento novo”. Assim sendo, dar Opinião é como liberar vapor de água em dia de baixa umidade relativa, ela some pela inconsistência.

A somatória das crenças de uma pessoa cria uma Realidade Pessoal, dificilmente transferível. Procurar sair da ignorância relativa por experiências pessoais é ter oportunidade de ter mais Conhecimento e assim mudar  qualquer  Realidade pessoal, pela mudança de Crenças, e não aceitando outras crenças que chegam por sugestões baseadas somente em pressuposições.

Alberto Barbosa Pinto Dias, Bacharel em História Natural (todas as Disciplinas Biológicas e Geológicas), Licenciado, Especialista. USP, 1955.
Qualquer questionamento sempre será bem recebido e respondido.

Postado em : Deus, Fé, Crenças, Religião e Política

Deixe sua mensagem

Seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios são marcados *

*

.