06 – Consciência, Inteligência e Realidade

06 – Consciência, Inteligência e Realidade

Consciência, Inteligência e Realidade (6/18)

          Diferentes níveis de Consciência podem ser reconhecidos pela prática em Habilidades Psíquicas, e, também podem ser reconhecidos pela Ciência quando esta associa:- Tipo de Pulsação Cerebral predominante com uma Atitude que determine um Estado Mental, e mais o registro do nível de Energia Neurológica disponível para esse tipo de Enfoque Mental em ação.

 

          A Ciência da Medicina dispõe do Eletroencefalógrafo moderno que registra pelo menos 32 tipos de ondas cerebrais, que são os registros gráficos em papel. Esses registros gráficos correspondem às diferentes pulsações eletroquímicas produzidas pela atividade dos neurônios em cada área do cérebro. Eles registram ondas que correspondem aos pulsos que vão de 0,5 ciclos por segundo até 60 ciclos por segundo na média.

          A Energia disponível para as ações determinadas pelos enfoques mentais varia de acordo com a predominância dos Pulsos Neurais em uma ÁREA DO CÉREBRO. Por essa razão a escala de 0,5 a 60 c/seg. foi dividida em setores:- Pulsos Delta de 0,5 a 4 c/seg. Pulsos Tetha de 4 a 7 c/seg. Pulsos Alfa entre 7 a 14 c/seg. e Pulsos Beta entre 14 e 60 c/seg. O máximo de pulsação é de 60 c/seg. Se for além disso a pessoa desmaia para não prejudicar o Sistema. É como se desligasse a chave geral. Os tipos de pulsação coexistem, mas podemos levar em consideração a predominância de um deles em uma Área, ou, Zona dentro de uma Área sensorial do Cérebro.

 

          Todas as pessoas que passam por experiências em estado alterado de consciência, podem reconhecer esses diferentes níveis de consciência na classificação dos níveis de energia mental indicada pela aparelhagem moderna. Os conhecedores da Psicofilosofia Huna, desenvolvida há mais do que 13.000 anos entre os Polinésios, e conhecida atualmente devido à tradição oral dos Havaianos, coligida inicialmente por Max Freedon Long, psicólogo, ex-pastor batista e professor no Havaí, também sabem que os Polinésios conheciam e usavam esses três níveis de energia psíquica.

 

          Um estado alterado de consciência mais leve pode ser reconhecido por pessoas que praticam movimentos repetitivos e ritmados como são os de uma dança qualquer, ou, de um exercício de corrida de fundo. Depois de uns tantos movimentos voluntários repetitivos, o indivíduo cai em um automatismo reflexo que se caracteriza por facilitação dos movimentos sem cansaço e com sensação de prazer. Há um maior nível de energia neurológica e liberação de hormônios tipo endorfinas.

 

          Esse transe leve e consciente também é obtido através da repetição de frases em uma prece e pelo cântico de uma melodia monótona onde as frases se repetem por até uma hora como os corinhos de louvor em uma igreja, aonde os cantochões são acompanhados de um leve balanço de corpo também observados nos Blues. Os mesmos efeitos são obtidos pelos guitarristas em bandas que fazem os assistentes se movimentar por horas sob o ritmo das baterias nas baladas com cânticos. É um transe hipnótico que pode ser leve com os pulsos alfa, até os mais profundos com predominância de pulsos Tetha que são mais raros. Nos dois casos há o risco de alta sugestibilidade.

          Quando o transe leve ou profundo é induzido por terceiros, pode gerar alto grau de sugestibilidade, e todas as suas conseqüências. Esse tipo de procedimento é observado nas igrejas onde há padres e pastores tidos como “carismáticos”, bem como nos centros de Umbanda onde o ritmo dos tambores, o cantochão e o giro na dança pode levar a um transe inconsciente. Neste último caso o indivíduo é retirado para a “casa do santo”, onde dorme pelo menos um ciclo de sono de uma hora e meia.

 

          Quando o transe é auto-induzido o indivíduo mantém a consciência para ação. Assim há exercícios adequados em que o indivíduo entra em estado alterado de Consciência sempre consciente, e mantendo o autocontrole de seus processos mentais. Esse processo pode ser denominado de auto-hipnose. O indivíduo entra em estado alterado de consciência e sai do mesmo, sempre consciente e por autocontrole.

 

          A energia neurológica disponível em Betha, com predominância de pulsos entre 14 e 21 c/seg. quando estamos lógicos, racionais e analíticos, buscando bom senso, próprios do Homo sapiens evoluído e maduro, é entre 50 e 100 microvolts, aumentando quando usamos a imaginação entre o pronunciamento de palavras.

          É de 100 ou mais microvolts de potencial quando predomina a imaginação e ou nos estados de transe leve já indicados.

 

          É de 250 ou mais micro volts em estado de concentração mais profunda, em introspecção, com toda atenção nos enfoques mentais subjetivos e que caracterizam os pulsos Tetha dos transes mais profundos. Evidentemente que dependendo do estado de consciência em que nos encontramos, o Sistema Nervoso libera energia vital da ordem de 1.500 até 2.000/ micro volts para as ações de nosso psiquismo.

          É curioso que um povo existente há mais do que 13.000 anos pudesse denominar de Mana a energia Vital liberada pelo enfoque mental, considerada em outras culturas como sendo “espírito”.  A Consciência pode gerar um enfoque Mental adequado e canalizar energia, denominada “espírito” em algumas culturas para uma determinada finalidade, desde que haja intenção e propósito firmes.

 

          Também, curiosamente, esse povo conhecia que havia diferentes níveis de “Mana” (energia vital) liberada, dependendo do tipo de enfoque Mental em diferentes níveis de Consciência:- Mana; Mana – Mana e, Mana Loa. 

 

          Mana Corresponde aos 50 micro-volts. Mana – Mana corresponde a 100 micro-volts, ou mais, Mana em dobro; Mana Loa como sendo uma alta voltagem disponível em estados alterados de consciência mais profundos e que mobiliza energia quântica, podendo chegar até 2.500 microvolts, medidos, segundo Barbara Brown.

 

          O nível de energia normal quando a pessoa está prestes a dormir ou em estados de hipnose mais profunda é mínimo 250 micro volts a 380, podendo ser 1.500 a 2.500 microvolts segundo Bárbara Brown em seus experimentos com “sensitivos”. Recentemente descobri em Atibaia um senhor que sem treinamento algum, acende uma lâmpada de néon, com 40 W e acende a mesma, segurando suas extremidades com as mãos e se concentrando.

 

          Sempre é bom lembrar que os fenômenos denominados de forma errônea de paranormais, ocorrem normalmente, quando, estando em estado alterado de consciência, dispomos de alto potencial de energia neurológica. Alberto B. P. Dias, Especialista, USP, 55. (continua).

Postado em : Consciência, Inteligência e Realidade

Deixe sua mensagem

Seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios são marcados *

*

.