04º – Introspecção e Paz Profunda – A Introspecção

04º – Introspecção e Paz Profunda – A Introspecção

Introspecção e Paz Profunda

A Introspecção

A Introspecção é um Estado Alterado de Consciência em que o indivíduo vai se desligando relativamente das percepções devidas aos estímulos procedentes do meio ambiente e vai se voltando progressivamente para as percepções devidas aos enfoques mentais subjetivos. Esse é um processo mental de exclusão relativa que funciona como uma gangorra.

Quando estamos com a consciência voltada para os enfoques mentais objetivos, o nosso lado subjetivo fica deprimido, ou melhor, temos apenas alguns lampejos dos enfoques subjetivos. Quando voltamos toda a consciência para os enfoques mentais subjetivos, em introspecção profunda, perdemos relativamente o contato com o meio ambiente, podendo até excluir todas as impressões objetivas, e ficamos sem sentir o corpo.

Na introspecção profunda há a intenção de voltar a nossa atenção para a vida interior, permitindo que, em reflexão, analisemos as próprias ideias, as emoções e os sentimentos que as acompanham.

Quando estudamos hipnose, consideramos que possa haver quatorze níveis de aprofundamento introspectivo induzido. Eles são reconhecidos por sinais que o corpo apresenta. Hypnos quer dizer sono e se refere a qualquer processo natural ou induzido que leve os enfoques mentais a percorrer o caminho que pode levar ao sono. É lógico que pode haver estabilidade de ação mental em qualquer nível intermediário entre o sono e o estado de vigília, como o é na sonolência, ou ainda em determinados estados alterados de consciência como o é no sonambulismo e outros.

Na verdade qualquer procedimento que favoreça a introspecção voluntária pode ser considerado um processo de autohipnose, pois neste caso o indivíduo deve se manter plenamente consciente. Tanto em hipnose como em autohipnose, podemos observar sinais físicos que indicam o nível de aprofundamento. Alguns autores indicam 14 sinais que indicam 14 estágios percebidos e relatados por eles. Se a hipnose é por indução, poderá haver perda de consciência, aflorando o subconsciente com seu banco de memória pleno de informações sem bloqueios, sendo que a conduta passa a ser guiada pelo hipnotizador.

Quando há autohipnose, o indivíduo estando consciente, usufrui uma ação consciente no banco de memória, podendo fazer conotações de idéias e fazer funcionar a imaginação criadora a todo vapor. Às vezes, em um aprofundamento autohipnótico a pessoa dorme. Em casos mais raros há um sonambulismo consciente em que o indivíduo além de trabalhar no banco de memória com facilidade, pode ter percepções a respeito de pessoas ou de situações até distantes de modo a sugerir uma mediunidade.

Nessas condições o indivíduo conversa com o interlocutor e responde as perguntas de modo correto e coerente, além de apresentar um nível de percepção expandida e consciente, podendo se lembrar posteriormente de tudo o que ocorreu durante o processo, se não for dada ordem em contrário. As situações de autohipnose são incontestavelmente melhores.

Também durante a introspecção consciente a pessoa tem condição de aproveitar os altos níveis de energia existentes no cérebro (250 380 até 2.500 microvolts), para fixar novas informações, programar novas atitudes e novas condutas, como mudanças de hábitos, por exemplo. Também para projeção de Energia de modo eficiente, por enfoque Mental adequado.

É conveniente observar que as crianças de até 7 anos, podendo estender até dez anos em alguns casos, não tem poder de análise crítica e funcionam dedutivamente. Apresentam ainda alto grau de sugestibilidade e o cérebro funciona como o cérebro de um adulto que se encontre em introspecção profunda ou mesmo em estado de hipnose, daí a capacidade de memória extraordinária que apresentam principalmente entre 4 e 7 anos de idade. Seria como dizer que toda criança até os sete anos, vive a maior parte do tempo em Introspecção Profunda, estável por não apresentarem bloqueios psicológicos.

Esse estado de Consciência em que há facilidade de Imaginação, e poder de Projeção Sensorial Efetiva, caracteriza o que os antigos denominavam de O Reino dos Céus, e ou, o Reino de Deus, pelo Poder que Vem de Dentro. Oito são os poderes a serem desenvolvidos pelo homem quando a Consciência opera mentalmente nesse nível com Energia de outras dimensões, ou, de outras frequências que estão além das frequências consideradas dentro do Campo da Terceira Dimensão.

Alberto Barbosa Pinto Dias, Bacharel em História Natural (todas as Disciplinas Biológicas e Geológicas), Licenciado, Especialista. USP, 1955.
Qualquer questionamento sempre será bem recebido e respondido.

Postado em : Introspecção e paz profunda

Deixe sua mensagem

Seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios são marcados *

*

.