Evolução da Consciência Humana IV

Evolução da Consciência Humana IV

Evolução da Consciência Humana IV

A Consciência mais profunda sempre cobra juros na saúde, pois o desequilíbrio na Consciência produz desequilíbrio na energia vital. Gerar impostos pode ser legalizado pelo governo, aproveitar-se dos recursos gerados pelos impostos demasiados para manobras, que não resultam em benefício para a população em geral, é pecado contra uma coletividade.

A morte pode ser Física e também há morte dos aspectos Eu Básico e Eu Médio da Consciência no plano psíquico, ou espiritual, como queira. A evolução da consciência se faz por integração dos três aspectos da Consciência, EU Básico, Mais EU Médio, integrados com o EU Superior, persistem.

A morte de uma Consciência se dá quando não há integração dos três aspectos antes da morte física. Talvez isso esteja de acordo com a expressão “sepulcros caiados” do Senhor Jesus, onde o Eu Superior não integrado, volta às origens, ao Todo. O aspecto Consciente (Eu Médio, falador e fraco), mais o subconsciente (Eu Básico, forte como gerador de Energia Vital) e que perfazem o Ego, desaparecem. A Alma, como personalidade de Alma desaparece com o desaparecimento do Ego.

Ao nascer somos providos com Eu Superior. Os outros dois aspectos da Consciência, Eu básico e Eu Médio se formam e se desenvolvem na medida em que o Ser cresce tendo experiências objetivas e subjetivas.

Assim sendo, o aspecto da Consciência denominado Eu Básico desde há mais do que onze mil anos, é considerado como o aspecto da Consciência que está ligado a todo um físico e a toda função fisiológica de um físico, inclusive ao que se denomina Subconsciente.

Esse aspecto, o Eu Básico, comanda o equilíbrio energético do corpo e comanda as conversões “normais” de energia química e eletroquímica  em Energia Vital, inclusive o acúmulo de Energia Vital que pode ser usado pelo Consciente para corrigir problemas pessoais e ajudar a terceiros a resolver problemas de saúde, ou ainda ajuda a reequilibrar os desequilíbrios energéticos e suas consequências em terceiros.

O equilíbrio energético da Consciência em seu Todo, e expressa no seu Eu Básico significa Saúde. As sensações físicas de desequilíbrio energético na Consciência são conhecidas como sintomas e, indicam doença. O progresso de uma doença resulta em enfermidade.

Assim, temos dois aspectos da Consciência que indicam Poder. O Eu Superior, divino, com funções psíquicas superiores, responsável por mobilização de energia psíquica por enfoque mental adequado, e o Eu Básico responsável por liberar energia de reações químicas de terceira dimensão e que será convertida em energia de alta frequência vibratória de quarta dimensão pela vontade do Eu Médio, para uso no nível do Eu Superior.

Entre os dois está o Eu Médio, ou nível Consciente da Consciência que, dá os comandos. Assim sendo “O Poder Vem de Dentro” quando há integração dos três Eus e, isso independe de religião como Sistema Organizado de forma arbitrária, nem depende do tipo de crença.

Esse terceiro aspecto da Consciência, o Eu Médio, é assim denominado por intermediar as ações do Eu Básico e do Eu Superior. É o aspecto da Consciência que a psicologia moderna denomina de Consciente.

O aspecto Consciente da Consciência durante a evolução do ser humano, de início se liga, ou, se integra com o Eu Básico, interferindo no Subconsciente como parte do Eu Básico, que constitui o Banco de Memórias.

 O Eu Médio, ou, nível Consciente da Consciência, participa da conscientização dos resultados dos instintos, das emoções e das intuições. O Eu Médio pode ser treinado em colher dados e informações e Ele elabora e participa das experiências que levam ao conhecimento.  O Eu Médio é responsável por reflexões que resultam em ordenação, análise e questionamentos.

Ele determina ao EU Básico as ações e reações de integração com o Meio Ambiente. O Eu Médio percebe que deve existir o Eu Superior e alguns decidem buscar o caminho que leva à Integração dos três Eus, ou, a pretendida salvação da Alma, ou, salvação da personalidade de Alma resultante da Integração dos Três Eus, do Ego com o Eu Superior.

A Consciência como um Todo, pelo nascimento, está ligada a um cérebro através de uma alidade que é denominada Mente. A Mente age no cérebro através de Enfoques que podem colher dados e informações objetivos através dos sentidos, e subjetivos diretamente de outros cérebros e ou do Cosmo. Fixa as ideias como ponto de referência e associa as ideias produzindo pensamentos e, conota pensamentos.

A Mente é a ferramenta da Consciência para fazer enfoques objetivos e ou subjetivos no cérebro e receber informações a partir do cérebro. A Consciência através da Mente ordena as ideias e pensamento e analisa-os de modo a permitir que a Consciência faça os questionamentos.

Há mais detalhes a serem considerados se houver interesse e percepção, pois o limite da imaginação de cada um será o limite de sua própria percepção e, vice-versa, lembrando sempre que o acúmulo de dados e informações apenas dá erudição. A liberdade de pensamento depende da não fixação em Crenças que estabeleçam limites.

 Não há limites entre sua Consciência, o Universo e Deus, pois sua Consciência pode estar em sintonia com a Consciência de Deus como “filho” de Deus, à imagem e semelhança de Deus.

A experiência leva ao conhecimento. Os resultados de experiências que dão conhecimento podem ser descritos, mas não podem ser transferidos como conhecimento. A experiência é pessoal e a “Revelação” que ocorre na análise dos resultados das experiências é pessoal, dificilmente transferível pela comunicação com palavras, gestos e atitudes.

Um Mestre não passa apenas informações. Um mestre dá formação através de exercícios práticos e ensina como proceder nas experiências. A maioria toma consciência apenas do aspecto informação. Alguns poucos levam a sério os procedimentos e adquirem conhecimento próprio e desenvolvimento de uma Consciência Integrada, podendo ou não ser íntegra.

 

O Mestre Jesus pretendia reformular o Judaísmo, religião de seu povo. Passou informações, tentou dar formação, mas na impossibilidade de atingir a todos, depois do Sermão da Montanha e das parábolas, passou uma doutrina reservada a seus discípulos e o resultado foi o de que alguns apresentaram algumas das habilidades psíquicas mostradas pelo Senhor Jesus.

Na maioria dos sistemas organizados como sistema arrecadador para sustento de uma hierarquia, na falta de um Mestre, a maior importância é dada aos discursos, aos rituais, aos graus, às comendas, medalhas, cargos e funções honoríficos. Assim sendo, onde predomina o Eu Básico integrado com o Eu Médio (Ego), há contento com a erudição e às vezes até com as fantasias, faltando objetividade.

O maior desafio do homem é a Ignorância.

Onde predomina o Eu Médio integrado com o Eu Básico, ou seja, o Ego há uma busca do que é lógico, racional, razoável. Em nível superior há busca do que seja provável e eficaz.

Onde predomina a integração dos três Eus há a eficácia nas ações psíquicas como medida da Verdade.

Os semelhantes em nível de Consciência e de Conscientização se atraem e se entendem. Os diferentes em nível de Consciência e de Conscientização não se entendem.

Segundo o que o Apóstolo Paulo afirma em Primeira Epístola aos de Corinto, capítulo 2, verso 15, está  explicado de modo simples e pode ser entendido se alguém quiser entender.

Alberto Barbosa Pinto Dias, Bacharel em História Natural (todas as Disciplinas Biológicas e Geológicas), Licenciado, Especialista. USP, 1955.
Qualquer questionamento sempre será bem recebido e respondido.

Postado em : Consciência, Inteligência e Realidade

Deixe sua mensagem

Seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios são marcados *

*

.