Atividade Psíquica Além do Corpo –  04 – Os Iniciados e os Informados

Atividade Psíquica Além do Corpo – 04 – Os Iniciados e os Informados

Atividade Psíquica Além do Corpo

Os Iniciados e os Informados – I

As pessoas Iniciadas no processo de projetar uma ponte de energia por enfoque mental sabem que o que importa é o que flui “da ponta dos dedos para adiante”, para fora do corpo (projeções psíquicas), fazendo uma ponte com algum objeto, inanimada ou vivo, em algum ponto do nosso planeta. Exagerando um pouco, podemos manter a ideia de que não há limites, com a de que há possibilidade de pontes energéticas com todos os pontos dos planetas desta galáxia, ou, planetas de qualquer outra galáxia do Universo.

O saudoso mestre José Manuel Silva, apenas sugeria que as pessoas não pusessem barreira ao seu pensamento, à sua capacidade de imaginação e nem à sua capacidade de percepção. José, nunca confessou, mas certamente conhecia a Huna, pois havia os livros em sua biblioteca reservada (recâmara), e Max Long foi seu contemporâneo.

Assim sendo podemos também expressar:- Não há limites de espaço e tempo no plano espiritual, assim como não há barreiras para o fluxo de energia quântica (espuma quântica) movida pela Consciência e para a sua manifestação “espiritual” como uma consequência expressa pela vontade. Lembremos que já não há barreiras físicas para os raios cósmicos que atravessam a matéria e estes estão em um nível de frequências vibratórias muito mais baixas do que o nível frequência vibratória da espuma quântica e esta da energia da Consciência.

O iniciado é todo e qualquer Homem que tenha algum tipo de prática nesse sentido. O espiritualizado é todo e qualquer Homem iniciado que pratica dentro dos padrões éticos recomendados pelos mestres, como o de serem as ações psíquicas limitadas ao que for criativo, construtivo, honesto, puro, limpo bom e positivo. Os cristãos encontram estas recomendações nas cartas do Apóstolo Paulo aos Filipensis, Capítulo 4, versículo 8, onde ele indica como sendo esse o caminho da espiritualidade.

As pessoas que ouvem falar a respeito dos fenômenos psíquicos são os Informados. Aqueles que são informados podem acreditar ou não. Se acreditarem, poderão buscar e se buscam poderão encontrar. “Batei e abrir-se-vos-a”, J.C.

Os iniciados têm Fé e realizam com eficiência e sabem por que “a eficácia é a medida da verdade”. Os informados podem adquirir uma Crença enquanto não forem iniciados. O problema é maior quando o não informado é guiado por outros que apenas são informados, mas não são iniciados. “Cegos guiando cegos” segundo o Mestre Jesus.

Biblicamente há uma recomendação para que nas Igrejas haja pastores e mestres. A coisa se perde quando os pastores se consideram mestres, e é o que acontece na maioria das vezes, mas não admitem nem experimentar serem mestres.

O Gênesis e a Atualidade
Todos nós somos vasos de barro, conforme está na 1ª Epistola de Paulo aos de Corinto Capítulo 3, e cada um dos vasos contém o “Sopro Divino”, a Consciência. Por um tempo vivemos o paraíso da irresponsabilidade de uma Consciência atuando na infância da parte física. Depois deixamos o Éden, amadurecemos e tomamos o sentido da responsabilidade do nosso relacionamento com o mundo físico.

Comer a maçã, o fruto da árvore do conhecimento, certamente figura o conhecimento que se adquire quando se “experimenta”, ou, é a ação que permite adquirir informações, alimentando o banco de memória do subconsciente. Digerir a maçã e assimilar é ordenar, analisar e incorporar aprendendo e compreendendo durante o amadurecimento.

Sair do Paraíso da inocência é assumir responsabilidades pelo tipo de conhecimento adquirido. A maçã é o fruto proibido para a idade infantil, para manter a inocência de quem raciocina de modo dedutivo e não consegue fazer a análise crítica com bom senso até que amadureça.

Comer a maçã antes da idade adequada é sair do paraíso antes da hora e enfrentar as dificuldades sem estar preparado. É liberar o desenvolvimento do lado animal sem estar com o caráter humano formado e amadurecido. É a figuração da situação do homem primitivo, que adquiriu a consciência de existir antes de ter desenvolvido por completo o processo racional com bom senso. Não foi fácil e continua não sendo para 70% da humanidade.

Sair do Jardim do Éden pode figurar o momento de se deixar a irresponsabilidade da infantilidade, da fantasia na imaginação, da dependência e assumir a responsabilidade de quem passou a entender compreender e conhecer o Mundo, pagando o preço da evolução psíquica em nível de percepção com “o suor do seu rosto”.

Os deficientes neurológicos com problemas de entendimento, se protegidos pelos amadurecidos, continuam no jardim do Éden, no jardim da infância, como pode ser observado nas sociedades civilizadas onde predomine a emoção e o cuidado com os incapazes.

A serpente, mencionada no Gênesis por Moisés, pode figurar a capacidade de Visão, a sabedoria da Intuição com o desenvolvimento de habilidades, que resultam da curiosidade com prudência como era figurado no Egito dos Faraós, lugar onde Moisés se desenvolveu e estudou.

Assim também é a figuração das qualidades humanas a serem cultivadas. Humilde como uma pomba, que se permite voar ganhando o espaço (espírito) e Prudente como a serpente, o qual se mantém em silêncio (físico) quanto ao que se pensa e aos resultados que se espera. São essas as recomendações de Jesus o Cristo aos iniciados como discípulos. É proteção dos iniciados em relação aos não iniciados.

Na antiguidade, o espírito era representado pela figura de uma ave, e no Egito, devido ao conhecimento hermético das escolas de mistério de que havia os três aspectos da consciência no Homem, o “Espírito” no sentido de “Alma” era representado pela figura de três aves juntas e imbricadas. Confiram nos hieróglifos a ideia da Trindade.

O amadurecimento é percebido em uma criança que saindo da 1ª infância, passa ao deslumbramento da imaginação criativa da adolescência, e mesmo que não queira sair desse nível e tente retardar o processo, pode chegar o momento de assumir que é adulto, com 21, ou até 28 anos de idade, pois alguns custam mais a amadurecer e ao que parece vivem mais.

“Adão” se viu nu (teve percepção) quando com todo encargo e o suor do rosto, deixou os limites mentais, que hoje são próprios da primeira infância, e partiu progressivamente para o desenvolvimento do psiquismo com raciocínio indutivo além do dedutivo, com a responsabilidade própria do adulto, como parte da evolução possível ao homem. Assim, Adão fora do paraíso, pode representar o momento em que o Homem, como criação, evoluiu mentalmente para uma etapa racional, além do que hoje se entende por pensamento infantil observado na 1ª e na 2ª infâncias.

A serpente simbolizava no Egito a sabedoria da intuição e da capacidade de visão, o dom da chamada 3ª visão. A imagem da serpente figurava na coroa dos faraós. Moisés se criou no Egito como filho da princesa e teve educação diferenciada. O simbolismo de a serpente tentar Eva se ajusta à maior capacidade de imaginação e percepção que na mulher é psiquicamente mais precoce do que no homem em relação à idade cronológica.

O simbolismo de Eva dar a maçã, como fruto da árvore do conhecimento para Adão, pode ser devido ao fato perfeitamente observável de que, uma mulher apresenta três anos de mais amadurecimento e de maior percepção, mais imaginação e criatividade além da sua natural intuição do que em um homem de mesma idade cronológica. Quando os dois forem desenvolvidos, treinados e programados nas mesmas condições, se de mesma idade a mulher leva vantagem sempre.

A figuração simbólica de que Eva surgiu a partir de um ser já criado anteriormente, está de acordo com o fato de Adão simbolizar todos os seres que evoluíram para constituir a humanidade.

Adão figura como um princípio de humanidade e base para formação de Eva. Pode ser considerado um passo evolutivo da humanidade, antes hermafrodita (?), com a posterior separação de sexos.

Talvez Eva leve vantagem devido o duplo X, pois a morfologia do cromossomo Y pode sugerir a falta de um pedaço com sua configuração reduzida em relação aos demais. Falta uma costela em que nível? Cromossômico?

Quem sabe esta concepção de um ser hermafrodita sirva para explicar, apenas como hipótese, o comportamento homossexual observado em ambos os sexos como sendo o resultado de um atavismo. Na atualidade são conhecidos casos de indivíduos que, apresentam os aparelhos de macho e fêmea ao mesmo tempo e até funcionais em casos mais raros, e tive a oportunidade de constatar isso objetivamente.

Alberto Barbosa Pinto Dias, Bacharel em História Natural (todas as Disciplinas Biológicas e Geológicas), Licenciado, Especialista. USP, 1955.
Qualquer questionamento sempre será bem recebido e respondido.

Postado em : Psiquismo

Deixe sua mensagem

Seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios são marcados *

*

.