04º – A Propósito de Conversão

04º – A Propósito de Conversão

A Propósito de Conversão

Oradores Hipnotizadores

Sempre é bom que reforcemos a advertência de que muitos dos estudantes de Teologia e pastores improvisados, sem estudos, desconhecem as bases científicas do que estão fazendo em seus procedimentos quando oficiam nas igrejas. Seria o caso de parodiar dizendo: Pai perdoa-os porque não sabem o que fazem. No entanto há os que sabem o que fazem, e ainda estudam hipnose e o Poder da Sugestão.

Se você desejar ver um pregador Evangélico em ação, há provavelmente vários em sua cidade. Vá para a igreja ou templo e sente-se acerca de três-quartos da distância da frente ao fundo, ou, no mínimo além dos oito metros de distância do mesmo.

Muito provavelmente uma música repetitiva será tocada enquanto o povo está chegando, e sentando-se em atitude meditativa antes da reunião. Uma batida repetitiva, idealmente na faixa de 45 a 72 batidas por minuto (um vibrato no órgão que toca com ritmo próximo às batidas do coração humano) é muito hipnótica e pode gerar um médio estado alterado de consciência, com olhos abertos, em uma grande porcentagem das pessoas. E, uma vez você esteja em um ritmo alfa, cérebro com pulsação ao redor de 10,5 ciclos/segundo, e potencial eletroquímico ao redor de 100 microvolts, você estará pelo menos 25% mais sugestionável do que você estaria em um ritmo beta, 21 c/s e 50 microvolts em plena consciência.

Como a música é provavelmente a mesma em cada reunião, ou incorpora a mesma batida, muitas das pessoas, que frequentem seguidamente, irão para um estado alterado de consciência quase imediatamente após entrarem e se sentarem no santuário. Subconscientemente, eles recordam o estado mental quando em serviços religiosos anteriores, e respondem de acordo com a programação pós-hipnótica recebida anteriormente.

Observe as pessoas esperando pelo início do serviço religioso. Muitas exibirão sinais exteriores de transe: corpo relaxado e a pupila dos olhos ligeiramente dilatada. É possível que eles comecem a agitar as mãos para diante e para trás no ar, quando estão de pé cantando em louvor. A seguir, o pastor muito provavelmente virá ao Púlpito, e falará usualmente com uma simpática “voz ritmada”, depois de aquietar o público.

Técnica da Voz Ritmada

Uma “voz ritmada” é um estilo padronizado, pausado, usado por hipnotizadores quando estão induzindo um transe. É também usado por muitos advogados, vários dos quais são altamente treinados por hipnólogos, quando desejam fixar um ponto firmemente na mente dos jurados. Observa-se o mesmo em oradores na Câmara e no Senado, pois alguns o fazem por instinto.

Uma voz ritmada pode soar como se o locutor estivesse conversando ao ritmo de um metrônomo, ou pode soar como se ele estivesse enfatizando cada palavra em um estilo monótono e padronizado. As palavras serão usualmente emitidas em um ritmo de 45 a 60 batidas por minuto, maximizando o efeito hipnótico.

Agora, o pastor começa o processo de “acumulação”. Ele induz um estado alterado de consciência e ou começa a criar excitação e expectativas na audiência. A seguir, um grupo de jovens vem e inicia um canto em coro. Cantos são o máximo, para se conseguir envolvimento emocional.

Alguns pastores preferem, ao invés de falar muito, fazer um sermão curto depois que a assembleia cantou louvores por 30 a 40 minutos, tempo suficiente para que todos estejam em nível mental adequado para receber as boas palavras. Catarses podem ocorrer durante o louvor.

Em algumas das seitas, onde a frequência é de população de menor nível cultural, no meio do canto, uma das pessoas pode figurar como se fosse ser “golpeada por um espírito” e cai, ou reage como se estivesse possuído pelo Espírito Santo. Isto efetivamente aumenta a excitação na sala.

Neste ponto, hipnose e táticas de conversão estão sendo misturadas e o resultado é que toda a atenção da audiência está agora tomada, enquanto o ambiente torna-se cada vez em expectativa.

Exatamente neste momento, quando a indução ao estado mental alfa foi conseguida em massa, haverá sugestão de entrega de dízimos e ofertas, e os auxiliares irão passar o prato ou cesta de coleta. Ao fundo, em uma voz ritmada a 45 batidas por minuto, o pregador assistente poderá exortar, “trazei a mesa do Senhor as suas ofertas… dê ao Senhor o seu dízimo… dê ao Senhor o provimento ao seu trabalho…”. E a audiência dá. Deus nunca receberá o dinheiro, mas, seu já rico representante, sim.

A seguir, vem o pregador que fala do fogo e do enxofre, ou da bomba H, ou do demônio encarnado nos terroristas. Ele induz medo e aumenta a tensão falando sobre “o demônio”, “ir para o inferno”, e sobre a Armageddon próxima.

Na maioria das assembleias reavivalistas cristãs, “depoimentos” ou “testemunhos” seguem-se usualmente ao sermão cheio de emoções. Pessoas da audiência virão ao palco relatar as suas histórias. “Eu estava aleijado e agora posso caminhar!”. “Eu tinha artrite e ela se foi!”.

Depois de ouvir numerosos casos de curas milagrosas, a pessoa comum na audiência com um problema menor está certa de que ela pode ser curada. A sala está carregada de medo, culpa e intensa expectativa e excitação. A energia coletiva do grupo aumenta.

Agora, aqueles que querem ser curados são frequentemente alinhados ao redor da sala, ou lhes é dito para vir à frente. O pregador pode tocá-los na cabeça e gritar “esteja curado!”. Isto libera a energia psíquica, e, para muitos, resulta a catarse com liberação de endorfinas e cefalinas que encobrem as dores.

Catarse é a purgação de emoções reprimidas, e se a catarse é conseguida, eles possuem uma chance de serem curados. Na catarse (uma das três fases cerebrais anteriormente mencionadas), a lousa do cérebro é temporariamente apagada e nova sugestão é aceita.

Para alguns, a cura pode ser permanente. Para muitos, irá durar de quatro dias a uma semana, ou até 90 dias, que é, incidentalmente, o tempo que dura normalmente uma sugestão hipnótica dada a uma pessoa.

Mesmo que a cura não dure, se eles voltarem na semana seguinte, o poder da sugestão pode continuamente fazer ignorar o problema, ou, algumas vezes, lamentavelmente, pode mascarar um problema físico que pode se mostrar prejudicial ao indivíduo, em longo prazo.

Conheci um professor, meu colega, que desenvolveu um câncer na coluna. A dor desapareceu em uma sessão de cura. Ele voltou para reforço semanalmente. Passados alguns meses sem dor, caiu, foi para um hospital e não saiu mais até o falecimento.

Eu não estou dizendo que curas legítimas não aconteçam. Acontecem. Pode ser que o indivíduo estava mentalmente pronto para largar a negatividade que causou o problema, mas afirmo que isto pode ser explicado com o conhecimento existente acerca das funções cérebro/mente.

As técnicas e encenações variarão de igreja para igreja. Muitos usam “falar línguas” para gerar a catarse em alguns, enquanto o espetáculo cria intensa excitação nos observadores. O uso de técnicas hipnóticas por religiões é sofisticado e profissionais asseguram que elas tornaram-se ainda mais efetivas. Ouvi dizer de um hipnólogo de Los Angeles que diz aos ministros o que eles precisam fazer, e como usar o que está em sua fita gravada.

Sua fita gravada indica que a congregação e a renda dobrarão, se o ministro seguir suas instruções. Ele admite que cerca de 80 por cento de seus esforços são para o sistema de som e de iluminação. Som potente e o uso apropriado de iluminação são de importância primária em induzir estados alterados de consciência.

Alberto Barbosa Pinto Dias, Bacharel em História Natural (todas as Disciplinas Biológicas e Geológicas), Licenciado, Especialista. USP, 1955.

Qualquer questionamento sempre será bem recebido e respondido.

[vc_row full_width="" parallax="" parallax_image=""][vc_column width="1/1"][vc_facebook type="standard"][/vc_column][/vc_row]

Postado em : A propósito de conversão

Deixe sua mensagem

Seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios são marcados *

*

.