02º – Ser Indivíduo ou ser Sujeito?

02º – Ser Indivíduo ou ser Sujeito?

Ser Indivíduo ou Ser Sujeito

Cada ideologia política social, ou, religiosa, é uma redução dos processos dinâmicos para classificações estáticas, pois cada uma delas encerra um Modelo com normas e princípios, onde cada inclusão às suas normas e princípios promove uma exclusão de um indivíduo livre pensador.

Os pensadores podem ser categóricos, ou, não categóricos. Os que não são categóricos estão sempre abertos a todas as outras possibilidades. Os categóricos por sua vez devem considerar o Mundo uma afronta, quando confrontam pensamentos e ações com suas normas, princípios dogmas e ou fundamentos assumidos. Pior de tudo mesmo são os fatos que violam o seu “senso comum” e seus preconceitos pré-estabelecidos.

Toda a história das religiões, da política, e depois da ciência é uma odisseia de indexadores, vagando entre os fatos que diferem do seu senso comum até que se encaixem em suas classificações favoráveis, ou desfavoráveis, à sua própria perspectiva dominante de buscadores de adeptos e contribuintes.

 No mundo científico há quem gaste toda a vida e morra, indexando foraminíferos, ou algas de água doce, e alguns deles exigindo, que outros embarquem em sua neurose para serem aprovados nas disciplinas de uma Faculdade com currículo estrito e obrigatório. Eles estão sujeitos a morrer precocemente de alergia ou de Câncer.

Os emocionais que agem da mesma maneira com as Crenças religiosas, que cuidem de seus corações para não enfartar, ou, ter um AVC. Curioso que São Patrick já dizia isso há pelo menos 1.500 anos passados.

Toda a história da política, seja religiosa, ou social, tem sido um show épico e às vezes fútil, de uma longa série de tentativas de alinhar o que for contrário a seus interesses, em um “modelo” de atitudes e comportamentos, e obrigar os demais a marchar sob suas ordens, como se isso fosse uma parada adequada a toda humanidade nas diferentes culturas dos diferentes Continentes.

Quando os religiosos levam um contra violento ao invadir outras culturas, apesar de “Deus estar do lado deles”, se lamentam, como certas seitas cristãs invadindo culturas africanas, indianas e no Oriente Médio.

No Universo em que tudo está em movimento, não há dois pingos de chuva iguais, duas árvores iguais, nem duas pessoas iguais, que por essa razão são indivíduos. Os indivíduos diferem na estrutura física e na fisiologia. Não há dois sistemas neurológicos iguais nem na forma e nem no conteúdo informático.

Diferimos no nível de informações armazenadas, na capacidade de lembrar as mesmas, de associar idéias para elaborar pensamentos e de conotar os pensamentos. Diferimos no nível de imaginação e de percepção e por essa razão diferimos no nível Consciência, e no rumo das conscientizações.

Não há duas Consciências no mesmo nível de Conscientização, mas o item de igualdade mais comum nos diferentes indivíduos é a incapacidade de discernir o que é provável do que seja pouco provável, e mesmo improvável.

Alguns, quando não entendem bem, decoram versículos que viram chavão para dar respostas que coincidam com um assunto. Outros menos esclarecidos, respondem com chavões que tem sentido genérico. Outros ainda, quando pressionados pela lógica formal e razoável, dizem que resolvem a falta de entendimento com a Fé, associada com alguma coleção de crenças, o que resulta em convictos associados em uma Realidade Grupal, e dissociados das demais Realidades Naturais que o Universo apresenta em paralelo.

Assim sendo, todo sistema de indexação é arbitrário e ilusório, mas no final das contas, todo Homem passa a ser um grande artista ao viver suas fantasias, e maior artista ainda, quando quer através da oratória com recursos de dialética, fazer os demais viverem as suas próprias fantasias, ao invés de partir para as experiências práticas que dão resultados eficientes e subsídios para raciocínios que resultem em juízos menos imperfeitos, além de favorecer o conhecimento.

De minha parte eu respeito todos os indivíduos e pessoas, cada qual em seu nível de percepção e conscientização, e que defendem o seu próprio nível de realidade pessoal nesta caminhada que fazemos no Planeta Terra. Tudo muda e tudo passa quando nós passamos através do Tempo, pois toda verdade é relativa ao nível de percepção e conscientização com que se constrói a realidade pessoal, a cada lua cheia, a cada ano, a cada século, a cada milênio.

Alberto Barbosa Pinto Dias, Bacharel em História Natural (todas as Disciplinas Biológicas e Geológicas), Licenciado, Especialista. USP, 1955.

Qualquer questionamento sempre será bem recebido e respondido.

[vc_row full_width="" parallax="" parallax_image=""][vc_column width="1/1"][vc_facebook type="standard"][/vc_column][/vc_row]

Postado em : Educação

Deixe sua mensagem

Seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios são marcados *

*

.