02º – Centro de Pesquisas e Procedimentos Pedagógicos Avançados

02º – Centro de Pesquisas e Procedimentos Pedagógicos Avançados

02º – Centro de Pesquisas e Procedimentos Pedagógicos Avançados

Professor Alberto B. P. Dias, Licenciado, USP – 55.

Consideremos as informações que são necessárias para o entendimento de como aumentar o QI de uma pessoa, que seja avaliada pelos testes aplicados por psicólogos. Consideremos também as informações necessárias para entender o que é Inteligência Emocional, e os recentes conceitos de Inteligência Espiritual.

Médicos usam o eletroencefalógrafo para registro dos tipos de “ondas cerebrais”. Os registros gráficos feitos em papel são relativos às pulsações eletroquímicas dos neurônios e captadas de uma ou mais áreas do cérebro.

Para efeito de comunicação essas pulsações obtidas por sensores, e convertidas em registros, são divididas em faixas situadas em um gráfico em coordenadas cartesianas, onde são assinalados os pulsos que variam de 0,5 ciclos por segundo até 60 c/s.

Os registros gráficos que indicam pulsos de 0,5 c/s. até 4 c/s. são denominados de ondas Delta, com medidas de potencial eletroquímico que varia de 10 a 50 microvolts.

As pulsações que variam entre 4 e 7 c/s. são  denominadas de pulsos Tetha e com um potencial eletroquímico que pode variar entre 250 e 380 microvolts. Nos paranormais 1.500 ou até 2.000 microvolts.

As pulsações do cérebro que variam entre 7 e 14 c/s. são acompanhadas de um potencial médio de 100 microvolts e são denominadas de pulsos Alfa.

As pulsações do cérebro que variam entre 14 e 60 ciclos caracterizam o pulso Beta, com potencial elétrico de 50 microvolts ou menos, nos casos de tensão ansiedade e medo.

Desde o momento em que a criança nasce, até que complete os quatro anos de idade, na média, predominam as Ondas Delta e o potencial eletroquímico variando entre 10 e 50 microvolts. Quando a criança completa os quatro anos há uma alteração fisiológica e os pulsos Delta predominam durante o sono, mas em vigília predominam os pulsos Tetha e o potencial eletroquímico varia entre 250 e 380 microvolts, ou mais, em determinados casos.

Observa-se que a criança nessa faixa de idade tem facilidade de aprendizado, e pode aprender dois ou três idiomas sem esforço. É também quando se desenvolvem as emoções, e se a criança for motivada positivamente, todo aprendizado é facilitado. Emoções são acompanhadas de alto nível de energia dos pulsos Tetha, facilitando o armazenamento de informações, e a isso se denominou Inteligência Emocional.

A partir dos sete anos de idade há outra alteração fisiológica. As pulsações neurológicas no cérebro passam a ser predominante Alfa durante a atividade física e o contato com o mundo exterior, predominando a imaginação. Nestas condições o potencial médio de 100 microvolts garante muita energia para a atividade física e mental.

Na introspecção, as ondas Tetha e os 250 microvolts facilitam a gravação de informações novas, um início de conotação de ideias, e o desenvolvimento do processo racional dedutivo-indutivo até os 14 anos. É quando as emoções positivas garantem estabilidade nesse nível de energia.

Os adultos podem aprender a desenvolver a predominância de ondas Tetha e alta energia por exercícios mentais adequados, para facilitar o aprendizado, sem a dependência de emoções.

Alberto Barbosa Pinto Dias, Bacharel em História Natural (todas as Disciplinas Biológicas e Geológicas), Licenciado, Especialista. USP, 1955.

Qualquer questionamento sempre será bem recebido e respondido.

[vc_row full_width="" parallax="" parallax_image=""][vc_column width="1/1"][vc_facebook type="standard"][/vc_column][/vc_row]

Postado em : Centro de Pesquisas e Procedimentos Pedagógicos Avançados

Deixe sua mensagem

Seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios são marcados *

*

.