01º – Deus e a Consciência dos Homens

01º – Deus e a Consciência dos Homens

Deus – Pressuposições Básicas

Deus é no mínimo uma Consciência que tem por qualidades ser Inteligente, e poder de exercer Vontade. Manifesta-se como um Campo de Energia de altíssima frequência Vibratória denominada Espírito Santo, que abrange todo o Universo e o contém. Podemos imaginar como uma Grande Bolha que contém o Universo em seu interior.

Se tudo o que existe, existe por Ele, e nada do que existe, existe sem Ele, o Espírito de Deus está em tudo e em Todos, manifestando-se em tudo e em todos por diferentes frequências Vibratórias. Atos dos Apóstolos, 17:28 – “porque nele vivemos, e nos movemos, e existimos como também algum dos vossos poetas disseram: Pois somos também sua geração.”

Deus e a Consciência do Homem – I

Se assim for, a Consciência do Homem, supostamente criada à imagem e semelhança de Deus, é um Campo de energia de altíssima frequência vibratória, que tem por qualidades ser Inteligente, e poder de exercer Vontade própria. Podemos imaginá-la como sendo uma micro-bolha em relação à Grande Bolha, mas contida na Grande Bolha.

A formação da Consciência do Homem, por suposição baseada em observação, se faz a partir do momento em que o Espírito encontra suporte Neurológico, iniciando o processo de formação dos Reflexos Inatos, e do armazém de informações que se acumulam no cérebro do feto antes de nascer, e que passam a constituir um conteúdo inconsciente, dificilmente acessado, mas possível de ser acessado pelo nível Consciente da Consciência em introspecção profunda.

A Consciência do Homem começa a se desenvolver na vida intra-uterina, e na medida em que o nascituro abre os olhos para o Mundo, como que ligando o Sistema do Windows, passa a associar imagens às demais impressões provenientes dos demais sentidos, associando-as e registrando-as de modo que possam ser acessadas em um banco de memória física que modernamente é denominado Subconsciente.

Essas impressões fixadas neurologicamente compreendem os reflexos inatos e adquiridos que movimentam músculos, e fazem as glândulas produzir. A ação desses efetores pode estar associada às sensações de prazer e ou de dor, resultando em sentimentos e emoções associadas às expectativas, expressas inicialmente por choro ou sorriso, estruturando aos poucos a Personalidade.

As expectativas são causadas pelos sinais exteriores que podem ser palavras em diferentes tonalidades, gestos e atitudes, que causam como reação pensamentos, e depois, se já há condição pela idade, primeiro gestos, depois palavras e atitudes. Antes dos sete anos predominam as intuições.

A associação progressiva de palavras com objetos e ações desenvolve as ideias, e a associação das ideias desenvolve os pensamentos. Os pensamentos, de início, são dedutivos, mas depois dos sete anos, normalmente tornam-se dedutivos e indutivos, progredindo no tipo de raciocínio denominado humano.

A relação entre a Consciência e o cérebro se faz através da Mente, que funciona como uma alidade, um instrumento, que permite que a Consciência faça enfoques no cérebro. Imagine que a Consciência é um Campo de Energia limitado no espaço. Imagine que desse Campo de energia saia um prolongamento como um fio que se liga ao cérebro, permitindo que a Consciência faça enfoque nas diferentes áreas funcionais do cérebro. Esse prolongamento, ou, fio de contacto energético é denominado Mente.

A Mente é uma só, mas ela permite que a Consciência faça Contactos Objetivos, diretos, através dos órgãos dos sentidos, e Contactos Subjetivos, indiretos, através da imaginação e da visualização, que tem suporte nas impressões registradas no Banco de Memória, denominado subconsciente, pois só se torna consciente quando focalizados pela Consciência.

Não há dois cérebros exatamente iguais na estrutura e na função. Na capacidade de memória de informações e dados. Na capacidade de entender, compreender, perceber e de se Conscientizar. No desenvolvimento do processo de raciocínio lógico, e no entender do que seja razoável, provável, pouco provável e improvável.

Somos todos Um na essência, no Espírito, mas diferimos na formação da Consciência que é individual, pois depende da associação com determinado cérebro. A individualidade é uma condição útil para a Evolução da Consciência que se expande em função dos tipos de percepção, que por sua vez dependem da capacidade de Imaginação.

Durante o desenvolvimento da Consciência armazenamos dados e informações, dos quais, podemos verificar a procedência e a veracidade. Toda Verdade é relativa a alguma coisa. Assim sendo, é preciso ter Consciência de que toda Verdade, mesmo científica, pode sofrer alterações se houver uma mudança que é relativa ao referencial básico que sustente a Verdade em questão.

Os dados e informações que recebem nosso crédito passam a fazer parte de nossa Realidade Interior, que é individual, transferível em parte por palavras, quando possam ser entendidas e compreendidas.

Há pessoas que dão crédito para qualquer tipo de informação, sem verificação, e estas informações passam a constituir um Banco de Crenças que sustente a sua Realidade Pessoal. Geralmente são emotivas e imaginativas, e não conseguem conviver com as incertezas, e são consideradas psicologicamente imaturas.

Há pessoas que tem predomínio de pensamentos concretos, diretos e objetivos. São cultos em um assunto limitado, e dominando o processo de raciocínio lógico e até razoável, convivem bem com o que seja improvável, e geralmente, convertem incertezas em certezas, e oferecem suas certezas, mesmo que improváveis, aos imaturos.

Há pessoas que não aceitam qualquer tipo de informação sem antes procurar saber a veracidade das mesmas. Certamente há incertezas, mas sabem conviver com as incertezas, e se apresentam psicologicamente maduras. O juízo a ser feito geralmente obedece à lógica, à razoabilidade, e à probabilidade de ser provável. Tendem a ser pragmáticos.

Na antiguidade, pela tradição oral dos polinésios e havaianos, com mais do que 10.000 anos, esses três níveis de Conscientização eram denominados, respectivamente de Ku, os mais simples; Lono, os intelectuais e Kaneos, que tem facilidade para abstrações e que sejam pragmáticos.

Nos tempos de Paulo, o filósofo do cristianismo, esses três diferentes níveis de Conscientização eram denominados de Homem Natural, Carnal e Espiritual.

É impossível não haver Choques de Realidades divergentes entre diferentes indivíduos e suas realidades pessoais. Considerem os diferentes níveis de conscientização entre os do nível KU, entre os do nível Lono, e entre os do nível Kane.

Depois entre os diferentes indivíduos de cada um dos diferentes dos diferentes Níveis. Imaginem o Caos que pode ocorrer em uma Cultura, quando os do Nível Ku tomam o poder político-social, o que é periódico.

Imaginem o Caos que há entre religiosos de diferentes níveis de Conscientização e mais ainda entre religiosos de mesmo nível de Conscientização, mas com diferentes níveis Culturais nas informações e de Conhecimento, devido o resultado eficiente nas experiências pessoais.

Alberto Barbosa Pinto Dias, Bacharel em História Natural (todas as Disciplinas Biológicas e Geológicas), Licenciado, Especialista. USP, 1955.
Qualquer questionamento sempre será bem recebido e respondido.

Postado em : Deus e a Consciência dos Homens

Deixe sua mensagem

Seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios são marcados *

*

.