01º – A Huna – Um Código de Conduta Pessoal Milenar

01º – A Huna – Um Código de Conduta Pessoal Milenar

A Huna – Um Código de Conduta Pessoal Milenar

(síntese tirada de várias fontes)

Existente há mais do que 11.000 anos, a Huna apresenta-se como uma Tradição Oral, uma série de ensinamentos de ordem moral, ética e de técnicas de ação procedentes do Hawaii, que estão apresentadas em outro artigo.

Curiosamente é similar aos ensinamentos de iniciação na Ordem de MELCHISEDEK, 2.700 a. C., em Salem, localidade hoje em Israel, que floresceu durante a Terceira Dinastia no Egito, nos tempos de Inhotep, ou, também denominado Hermes Trimegisto pelos gregos, ou, Três Vezes Mestre, entre 2.800 a. C e 2.700 a. C.

O Ser Humano é constituído de três Eus, Selves, ou Mentes. Em psicologia, seria relativo a Subconsciente, Consciente e Superconsciente.

A mente consciente ou Eu Médio denomina-se Uhane.         É a parte do ser humano que tem consciência da própria existência. Tem a habilidade de raciocinar.          Apresenta criatividade e imaginação e o faz com o Subconsciente, um banco de memória em que o Consciente pesca os dados e as informações armazenados.

A Mente Subconsciente é chamada Unihipili ou Eu Inferior. Contém o banco de memória, que pode oferecer material para ser organizado como raciocínio no nível do Eu Médio, e os impulsos para ação, que o Eu Médio decide ser a favor ou contra. Além de banco de memória, é a sede das emoções. Poderíamos considerar que o raciocínio dedutivo de um animal está nesse nível.

O termo Eu Inferior refere-se ao fato de que o nível de consciência está abaixo do nível de consciência do Eu Médio, por ser mais ligado aos automatismos, que podem ser percebidos no estado sonambúlico. Também porque parece que as reações emocionais, reflexas e automáticas, se concentram no plexo solar, fisicamente abaixo do cérebro. Nós, modernamente, sabemos que o centro das emoções está no sistema límbico.

O Eu Superior, ou Aumakua, pode ser considerado o que chamamos Espírito.

O Eu Superior é de um nível de consciência superior, e ao que tudo indica está fora do corpo, mas ligado a ele. O Eu superior não intervém na vida diária a não ser se for solicitado. É como um espírito protetor, o Pai que nos protege ou “o Pai que em nós opera as obras”. É um aspecto da consciência superior aos eus inferior e médio. Ele dirige os sonhos, intuições e premonições por meio do subconsciente. Constrói o futuro pelas formas pensamento, esperanças e medos do médio e inferior.

Supostamente, deve-se ao Eu Superior a habilidade de “ler o futuro”. Nós nos ligamos a ele completamente durante o sono. Por algum mecanismo ainda misterioso, nossos pensamentos e ansiedades passam ao Eu Superior durante o sono, e este pode “materializar” as condições de futuro.

Cada um dos três Eus tem o seu papel a desenvolver durante a vida de cada pessoa. Vida, saúde e felicidade dependem da harmonização e equilíbrio dos três Eus.

 Todas as pessoas são basicamente formadas por elementos básicos que interagem. Para entender esse conceito é preciso entender a tríade de matéria-energia-mente, ou, mente-força-matéria, pois a energia vital é dividida em três níveis principais que se manifestam em três níveis de voltagem, ou em potenciais de ação psíquica, associados a potenciais eletroquímicos do cérebro.

O nível mais alto de frequência vibratória é do Aumakua ou Eu Superior. O nível de frequência vibratória mais baixa corresponde ao Eu Inferior ou Unihipili. O Eu Médio, Uhane, funciona com frequência intermediária.

No entanto há um paradoxo a ser entendido, pois quando funcionamos com o Eu Médio, Uhane, em nível lógico, racional e analítico, a voltagem do potencial eletroquímico no cérebro é menor, ao redor de 50 microvolts.

 

Se começarmos com o Eu Médio, Uhane, a integração com o Eu Básico, o Unihipili, por meio de uma introspecção, a voltagem do cérebro aumenta, a ponto de chegar ao dobro. Se nos estabilizarmos em imaginar, produzindo mentalmente fotos ou filmes, vendo de memória, visualizando, lembrando cenas em preto e branco ou em cor, temos em média 100 microvolts.

Se integrarmos os três Eus, funcionando conscientemente em nível de eu superior ou Aumakua, a voltagem do cérebro é ainda maior. Nesse estado alterado de consciência a voltagem do cérebro pode atingir até 2.500 microvolts, e nossa consciência pode agir à distância. É o que ocorre quando passamos à criatividade e à imaginação bem como à elaboração de situações novas, nunca antes vistas na realidade exterior, e agora criadas na realidade pessoal interior.

A manifestação da força vital básica de uma pessoa muda de acordo com qual Self o Consciente está integrado e funciona.

Pessoalmente, creio que a energia vital básica depende das reações químicas que ocorrem na matéria.      Quando o Eu Médio, consciente funciona, o nível de energia como voltagem é mais baixo. Quando nos aprofundamos em introspecção e imaginação, a voltagem sobe, e há maior consumo para atuar o consciente sobre o subconsciente. Quando a introspecção é mais profunda, como na hipnose, ou ainda melhor na auto-hipnose, a voltagem ainda é maior.

A base para tudo é a matéria em que ocorrem as reações químicas, as quais convertem a matéria em energia de diferentes níveis vibratórios, regulados de acordo com a intenção da consciência.

Portanto podemos dizer que cada Self tem um campo eletromagnético próprio, uma espécie de molde que funciona como duplicata de cada parte do corpo físico. Seria o que denominam corpo etérico. É um corpo metafísico que mantém a integridade do físico.       Tudo o que foi criado tem um corpo sombra, ou metafísico. (continua).

Alberto Barbosa Pinto Dias, Bacharel em História Natural (todas as Disciplinas Biológicas e Geológicas), Licenciado, Especialista. USP. 1955.

[vc_row full_width="" parallax="" parallax_image=""][vc_column width="1/1"][vc_facebook type="standard"][/vc_column][/vc_row]

Postado em : Huna e Conduta Pessoal

Deixe sua mensagem

Seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios são marcados *

*

.